29 de agosto de 2016

Turismo de Galpão terá 158 atividades no Acampamento Farroupilha

Foto: Ricardo Giusti/PMPA

Projeto realizará também oficinas e caminhadas guiadas no Parque Harmonia Projeto realizará também oficinas e caminhadas guiadas no Parque Harmonia
A 5ª edição do projeto Turismo de Galpão, que acontece dentro da programação do Acampamento Farroupilha, terá 158 oficinas e atividades de interação e aprendizagem sobre a cultura e as tradições gaúchas, no período de 3 a 20 de setembro. As atrações, que mobilizam 40 entidades tradicionalistas parceiras, prometem movimentar os piquetes no Parque Maurício Sirotsky Sobrinho (Harmonia), e foram apresentadas nesta segunda-feira, 29, pela Prefeitura de Porto Alegre. A novidade deste ano é o 1º Festival Comida de Galpão, que irá oferecer cardápios de valorização da culinária regional. (fotos)

Durante o lançamento da 5ª edição do projeto, Fortunati destacou sua importância para divulgar as tradições gaúchas. “Temos uma cultura rica, forte, mas muito fechada. O Turismo de Galpão rompe com isso e mostra que estamos abertos a outros povos, outras culturas para mostrarmos que somos diferentes, mas somos brasileiros e respeitamos essa diversidade que faz o nosso país tão plural”, afirmou o prefeito. Ele lembrou que o projeto fez sucesso na edição extraordinária do Acampamento Farroupilha na Copa de 2014, quando muitos turistas se encantaram com as oficinas e descobriram tradições e costumes até então pouco difundidos internacionalmente.
O secretário municipal de Turismo, Luiz Fernando Moraes, explicou que o ponto de referência do Turismo de Galpão, na área do parque, será o Espaço de Hospitalidade, localizado ao lado do Centro de Eventos Casa do Gaúcho. No local, os visitantes serão acolhidos e poderão fazer as inscrições nas oficinas. Moraes acrescentou que as atividades proporcionam aos turistas uma experiência única, que é o contato direto com os gaúchos e a nossa cultura. O secretário municipal da Cultura, Roque Jacoby, ressaltou que essa iniciativa, em parceria com a 1ª Região Tradicionalista e a Fundação Cultural Gaúcha, está sendo acompanhada por pesquisadores para servir de exemplo para outras ações de promoção da cultura regional também em outros locais.

Nas oficinas, os visitantes aprenderão o preparo de pratos da culinária regional e do chimarrão, a forja e a afiação de facas, danças folclóricas, atividades campeiras, jogos, detalhes da indumentária típica de peões e prendas, os usos e costumes do campo. A grande maioria será gratuita, e algumas terão intérprete para inglês, espanhol, além de alemão e francês. O projeto realizará também caminhadas guiadas pelo Parque Harmonia.
Comida de Galpão - No lançamento do Turismo de Galpão foi apresentado o 1º Festival Comida de Galpão. Idealizado por Clarisse Chawrtzmann, nacionalmente conhecida como A Churrasqueira, o evento reunirá, no Espaço de Hospitalidade, alguns dos mais importantes chefs e cozinheiros do Rio Grande do Sul. No dia 20 de setembro, diferentes pratos da culinária gaúcha, preparados a partir da leitura contemporânea de criativos cozinheiros da cidade, estarão disponíveis ao público.

Linha Turismo – Outra novidade é que o city tour oficial de Porto Alegre se integrará aos festejos farroupilha fazendo uma parada especial no roteiro Centro Histórico, entre 3 e 20 de setembro, junto ao Parque Harmonia. Os passageiros que estiverem no passeio poderão desembarcar para visitar o Acampamento, o Espaço de Hospitalidade, interagir com a cultura gaúcha em oficinas do Turismo de Galpão e reembarcar, usando a mesma passagem, em um dos ônibus Linha Turismo que passarão pelo local de hora em hora, entre 10h05 e 16h05, aproximadamente.


/cultura /turismo

Texto de: Melina Fernandes
Edição de: Isabel Cristina Kolling Lermen
Autorizada a reprodução dos textos, desde que a fonte seja citada.

27 de agosto de 2016

Edição 2016 do Turismo de Galpão será lançada nesta 2ªfeira

Foto: Divulgação/PMPA

Oficina de danças tradicionais gaúchas é um dos destaques da programação
Oficina de danças tradicionais gaúchas é um dos destaques da programação

A edição deste ano do projeto Turismo de Galpão, que irá oferecer aos visitantes do Acampamento Farroupilha um farto cardápio de oficinas e atividades de interação e de aprendizagem sobre a cultura gaúcha, será oficialmente lançada nesta segunda-feira, 29, em evento promovido pela Secretaria Municipal de Turismo que terá a presença do prefeito José Fortunati. O lançamento ocorrerá às 11h, no Hotel Laghetto Viverone (rua Dr. Vale, 579 - bairro Moinhos de Vento).
 
A programação das oficinas será desenvolvida de 3 a 20 de setembro, no Parque Maurício Sirotsky Sobrinho (Harmonia), nos galpões de 40 entidades tradicionalistas parceiras do projeto. Na área do parque, o ponto de referência do Turismo de Galpão será o Espaço de Hospitalidade, galpão localizado ao lado do Centro de Eventos Casa do Gaúcho e especialmente ambientado para receber visitantes e as inscrições para as oficinas. O Turismo de Galpão é uma iniciativa das secretarias municipais de Turismo e da Cultura, da 1ª Região Tradicionalista e da Fundação Cultural Gaúcha.
 
Oficinas - Neste ano, o Turismo de Galpão oferecerá 158 oficinas.  Aprender o preparo de pratos da culinária regional e o chimarrão, a forja e a afiação de facas, danças folclóricas, atividades campeiras, jogos, detalhes da indumentária típica de peões e prendas, os usos e costumes do campo são algumas das muitas opções de oficinas rápidas e práticas que estarão abertas ao público. A grande maioria será gratuita, e algumas terão intérprete para inglês, espanhol, além de alemão e francês. O projeto realizará também Caminhas Guiadas pelo Parque Harmonia.
 
Festival - Este ano, o projeto trará uma novidade. Será o 1º Festival Comida de Galpão, idealizado por Clarisse Chawrtzmann, nacionalmente conhecida como A Churrasqueira, que reunirá no Espaço de Hospitalidade alguns dos mais importantes chefs e cozinheiros do Rio Grande do Sul na criação de cardápios de valorização da culinária regional. No dia 20 de setembro, diferentes pratos da culinária gaúcha, preparados a partir da leitura contemporânea de criativos cozinheiros da cidade, estarão disponíveis ao público.
 
Linha Turismo – O city tour oficial de Porto Alegre se integrará aos festejos farroupilha fazendo uma parada especial no roteiro Centro Histórico, entre 3 e 20 de setembro, junto ao Parque Harmonia. Os passageiros que estiverem no passeio poderão desembarcar para visitar o Acampamento, o Espaço de Hospitalidade, interagir com a cultura gaúcha em oficinas do Turismo de Galpão e reembarcar, usando a mesma passagem, em um dos ônibus Linha Turismo que passarão pelo local de hora em hora, entre 10h05 e 16h05, aproximadamente. 
 


/acampamento_farroupilha /turismo

Texto de: Eliana Zarpelon
Edição de: Gilmar Martins
Autorizada a reprodução dos textos, desde que a fonte seja citada.

26 de agosto de 2016

Acampamento Farroupilha divulga Programação Cultural

Foto: Joel Vargas/PMPA

Grande parte das atividades culturais acontecem no Palco Central
Grande parte das atividades culturais acontecem no Palco Central

Foi divulgada nesta sexta-feira, 26, a programação cultural do Acampamento Farroupilha 2016. Mesmo com a abertura oficial esteja programada para o dia 7 de setembro, já a partir do domingo, 3 de setembro, acontecem diversas atividades culturais. Os eventos acontecem no palco principal e tabém nos piquetes das 365 entidades acampadas no Parque Maurício Sirotski Sobrinho. O Acampemento Farroupilha 2016 vai até o dia 20 de setembro.Para o coordenador de Tradição e Folclore da Secretaria da Cultura, Giovani Tubino, a expectativa é de superar o público do ano passado, que foi de 1,2 milhão de visitantes. Uma das novidades desta edição será a instalação do Juizado Especial de Grande Eventos, que poderá atender e julgar as eventuais ocorrências no próprio acampamento.

Veja aqui programação Cultural

A abertura está programada para o dia 7 de setembro, com a chegada da chama crioula e o início das atividades oficiais. Com extensa programação de bailes, rodeio e competições de laço, rédeas e gineteadas, esta edição terá como tema Campeirismo Gaúcho e a Sua Importância Social e Cultural.

Patrona  - As atividades do Acampamento Farroupilha este ano terão o comando de uma patrona, Neusa Secchi. Natural da cidade de Passo Fundo, é graduada em História e pós-graduada em Folclore pela Faculdade de Música Palestrina de Porto Alegre. Neuza foi presidente da Comissão Gaúcha de Folclore e Conselheira da Comissão Nacional de Folclore.

Cronograma para o Acampamento Farroupilha de 2016
Período oficial do evento:  de 7 a 20 de setembro
Período de montagem: de 20 de agosto a 2 de setembro
Vistoria dos Bombeiros: de 2 a 6 de setembro
Período de desmontagem: de 21 a 30 de setembro

O Acampamento Farroupilha é uma realização da prefeitura, pela Secretaria Municipal da Cultura, em parceria com o Movimento Tradicionalista Gaúcho (MTG), através da Fundação Cultural Gaúcha.



/acampamento_farroupilha /cultura

Texto de: Cleber Saydelles
Edição de: Manuel Petrik
Autorizada a reprodução dos textos, desde que a fonte seja citada.

25 de agosto de 2016

SOPAPO POÉTICO - EDIÇÃO DE AGOSTO/2016

 
 



SOPAPO POÉTICO RECEBE O MÚSICO E COMPOSITOR ALEXANDRE RODRIGUES


Dando continuidade à programação mensal de 2016, o SOPAPO POÉTICO, na edição de agosto, tem a satisfação de receber o músico, compositor e arranjador Alexandre Rodrigues, uma das grandes referências musicais do Rio Grande do Sul.

A atividade acontece no próximo dia 30, última terça-feira do mês, com entrada franca, no Centro de Referência do Negro Nilo Feijó, localizado na Av. Ipiranga, nº 311, Porto Alegre/RS.


O sarau SOPAPO POÉTICO é promovido pela ANdC (Associação Negra de Cultura) desde 2012. A exemplo de outros saraus afro-brasileiros, o encontro celebra o protagonismo negro, em uma roda de atuações, reflexões e de convivências afrocentradas.


ALEXANDRE RODRIGUES

Carlos Alexandre Rodrigues é músico, compositor, produtor e arranjador. Natural de Porto Alegre, iniciou sua carreira nos anos 60, tocando em bailes e na noite da capital gaúcha. Nos anos 70, entrou para a história da música popular brasileira como integrante da lendária banda Pau-Brasil, a maior expressão do suingue no sul do país, com quem gravou dois discos cultuados até os dias hoje: "O Samba e Suas Origens" e "Pau Brasil". Com os parceiros Bedeu e Leleco Telles, compôs temas que se tornaram grandes êxitos nas vozes de renomados intérpretes nacionais, como Bebeto, Wilson Simonal, Branca di Neve, Neguinho da Beija-Flor, Originais do Samba, Agnaldo TImóteo, entre outros. Na década de 80, fez dupla com o cantor Zê, com quem formou a banda Expresso 21. É compositor de clássicos do suingue e do cancioneiro popular, como Negra Ângela, Minha Preta, Grama Verde e Kid Brilhantina. Alexandre também produziu e arranjou discos de vários cantores gaúchos, entre eles Bedeu, Porto Alex e Carlos Medina. Foi, ainda, produtor do antológico "Tributo ao Bedeu" e de seis edições dos discos oficiais do Carnaval de Porto Alegre. Neste ano, Alexandre lançou seu segundo disco solo, o álbum duplo "Ainda tô na luta, apesar dos pesares", com todas as faixas por ele compostas, e produziu o 1º volume do CD "Elas e Eles Cantam Bedeu e Delma". Segue trabalhando como produtor musical em shows locais, como "Emílio Santiago Para Sempre" e "As Vozes de Dandaras", e participa frequentemente do Sarau Clube da MPB em POA. Como ele próprio afirma: "ainda tô na luta".


SOPAPINHO
Com a proposta de desenvolver o interesse pela cultura e pela poesia nos pequenos, o Sopapinho é um momento de fortalecimento da identidade étnica e da autoestima das crianças negras. As atividades do Sopapinho, paralelas ao sarau, envolvem brincadeiras, artes visuais, canto, contação de histórias e a participação na roda de poesia.

 

FEIRA AFRO

A diversidade de produtos e estilos é característica da Feira Afro, formada por expositores que acompanham e apoiam o sarau. Artesanato, alimentação, literatura, estética cultural, vestuário, cosméticos naturais, música - e muito mais - são opções da feira para o eclético público sopapeiro.


CINE KAFUNÉ

Antecedendo o sarau, o Cine Kafuné projeta no telão vídeos clipes e documentários afrocentrados.


SOPAPO POÉTICO - Ponto Negro da Poesia

Edição de agosto de 2016

Convidado: Alexandre Rodrigues

Quando: terça-feira, 30 de agosto, às 19h30min

Onde: Centro de Referência do Negro Nilo Feijó

Av. Ipiranga, 311, Menino Deus - Porto Alegre/RS


ENTRADA FRANCA

Contatos:
sopapo.poetico@gmail.com
9365-3315 - 9117-4559 - 9317-6497 - 9218-5449


Realização:
ANdC - Associação Negra de Cultura


Apoios:
Centro de Referência do Negro Nilo Feijó

Cine Kafuné

SINDIPRETO - Sindicato dos Petroleiros

Boteko do CANINHA (Areal da Baronesa)


MTG realiza segunda edição do Prêmio MTG de Jornalismo



O Movimento Tradicionalista Gaúcho realiza, pelo segundo ano consecutivo, seu Prêmio de Jornalismo. O objetivo da iniciativa é reconhecer o papel da imprensa e seu compromisso com a história, cultura e folclore do Rio Grande do Sul.

O Prêmio contempla duas categorias: Profissional e Universitário. Poderão concorrer ao Prêmio MTG de Jornalismo trabalhos jornalísticos veiculados em TVs, jornais, revistas, rádios, sites, blogs e fanpages, que se destaquem por ineditismo e/ou originalidade da abordagem do tradicionalismo gaúcho; pela consistência na divulgação e cobertura dos fatos tradicionalistas; capacidade de traduzir os fatos tradicionalistas para o leitor; pela contribuição para preservação da memória do tradicionalismo gaúcho; e contribuição para uma reflexão sobre a figura folclórica e simbologia do gaúcho.

As modalidades são Melhor Matéria Jornal Impresso; Melhor matéria Revista Impressa; Melhor matéria de Rádio; Melhor matéria de Televisão; Melhor matéria de Site, Blog ou Fanpage; Destaque Melhor Cobertura de Evento Artístico; Melhor Cobertura de Evento Campeiro; Melhor Caderno Especial; e Melhor Fotografia.

Serão aceitos trabalhos jornalísticos produzidos por um ou mais profissionais, que tenham sido publicados/veiculados entre os dias 01 de janeiro de 2015 e 31 de dezembro de 2015.
Podem inscrever seus trabalhos autor, autores, representantes legais, diretores ou chefes de redação, no período compreendido entre 1 a 30 de setembro, no site do MTG.

O resultado será anunciado durante as Comemorações pelo Cinquentenário do MTG, no mês de outubro. O primeiro colocado de cada categoria receberá troféu. O segundo e o terceiro colocados, certificados.

Segundo o presidente do MTG, Nairo Callegaro, a imprensa é uma grande aliada da instituição na divulgação do tradicionalismo.

Sandra Veroneze
Assessoria de Imprensa MTG

Lançado Edital do Fundo de Apoio à Cultura para o Artesanato





Pela primeira vez na história do FAC, serão investidos R$ 250 mil em projetos para realização de uma feira estadual e cinco regionais, valorizando a cultura local e incluindo a atividade artesanal como produto cultural da economia criativa. As inscrições abrem nesta quinta-feira, 25 de agosto, pelo site www.procultura.rs.gov.br.
14141742_1229796347071956_552252992903866069_n
O secretário de Estado Adjunto da Cultura, André Kryszczun, lançou na tarde desta quarta-feira (24) o Edital Sedac do Fundo de Apoio à Cultura (FAC) para o Artesanato.
As regras foram definidas de forma dialogada entre o Colegiado Setorial do Artesanato e as diretorias de Cidadania e Diversidade Cultural. “É um momento histórico e de valorização do setor. Em outubro do ano passado, solicitávamos à Secretaria de Estado da Cultura a criação do Colegiado Setorial do Artesanato e, hoje, comemoramos o primeiro edital específico para este segmento”, destacou a coordenadora do Colegiado, Rejane Verardo.
Serão selecionados seis projetos de pessoas jurídicas para realização de feira e comercialização de produtos no Rio Grande do Sul:
- Um projeto de R$ 100 mil para realização de feira estadual;
- E cinco projetos, no valor R$ 30 mil cada, para realização de feiras regionais.
As inscrições estarão abertas até o dia 11 de outubro, pelo site www.procultura.rs.gov.br.

Secretário recebe produtores selecionados no edital #juntospelacultura



Na tarde desta quarta-feira (24), o secretário de Estado da Cultura, Victor Hugo, recebeu um grupo de produtores culturais que tiveram seus projetos selecionados no edital 03/2015  #juntospelacultura,  do Fundo de Apoio à Cultura (FAC).
cfd5e631-1964-44cb-b8ee-df3aaedbf7e1
No total foram contemplados 67 projetos, os representantes foram divididos em três grupos que serão recebidos pelo secretário ainda neste mês. O objetivo é criar uma aproximação maior entre a Secretaria da Cultura (Sedac) e os selecionados nos editais do Sistema Pró-Cultura. “Queremos ser além de financiadores, queremos conhecer os trabalhos e ter um  relacionamento mais estreito com os produtores”, afirmou Victor Hugo.
O edital foi o primeiro do FAC nesta gestão e teve um investimento de R$ 3 milhões. O #juntospelacultura contemplou projetos nas categorias:
- Apoio à Produção e Inovação Cultural: R$ 1 milhão para 20 projetos apresentados por pessoas físicas e jurídicas. No total, 20 projetos de pessoa física de R$ 25 mil cada, e, para jurídica, quatro projetos de R$ 50 mil cada e mais três de R$ 100 mil cada;
 - Apoio à Circulação: 20 projetos de pessoa jurídica no valor de R$ 50 mil cada;
 - Apoio à Programação Continuada em Espaço Cultural: 20 projetos de R$ 50 mil cada.
 Também participaram do encontro o secretário Adjunto,André Kryszczun e a diretora de Economia da Cultura, Erica Lewis.

MinC planeja abrir Rouanet para empresas com lucro presumido


Via folha de São Paulo



Opiniões sobre a Lei Rouanet podem divergir, mas existe um ponto em que todas as vozes convergem: a concentração de patrocínios na região sudeste é um dos desafios do Ministério da Cultura na operacionalização do mecenato. Em 2015, por exemplo, o eixo São Paulo-Rio ficou com 68,7% do total de aportes a projetos culturais no país, que chegou a R$ 1,18 bilhão.
"Uma forma de mitigar essa concentração é abrir o patrocínio para empresas tributadas pelo lucro presumido [regime simplificado que presume a receita bruta para determinar a base de cálculo do imposto de renda]", afirmou Marcelo Calero, ministro da Cultura do governo interino, em encontro em São Paulo, na manhã de quarta (24).
Durante o evento promovido pela Comissão de Direito às Artes da OAB-SP, Calero disse que articula com o Senado mudanças na lei, entre as quais estão contempladas alterações que permitam maior abrangência de pessoas jurídicas nos patrocínios pelos Estados.

23 de agosto de 2016

O RIO GRANDE É UM PAÍS A PARTE (CULTURALMENTE FALANDO)






Terminados os jogos Olímpicos que, mesmo contra todas as previsões negativas, foi um sucesso e mostrou que o povo brasileiro ainda tem autoestima, apesar dos diversos contratempos que ocorreram, o que é natural num evento deste porte, também percebemos, mais uma vez, que na visão dos encarregados da abertura e encerramento, o Brasil só existe, culturalmente falando, do Rio de Janeiro para cima. Já estamos acostumados com isto. Nós, gaúchos, somos alienígenas dentro da própria terra. O que tem valia é samba, frevo e bumba-meu-boi....
Mas nós mesmos pouco nos valorizamos. Nossa TV Estatal, em toda sua grade de programação, tem apenas um programa voltado para as nossas tradições. As demais emissoras de canal aberto? Com exceção da RBS TV, não lembro de nada significativo.
Por esta razão ergo as mãos para o céu quando o canal 12 coloca em sua tela, por longos minutos, um projeto como o Desafio Farroupilha. Nesta hora não procuro critérios do citado projeto, apenas vibro com a sua aparição. Os pormenores, as formas de escolha das invernadas (tem muito grupo reclamando que o estilo de dança Paixão Côrtes foi penalizado), realmente não me chamaram a atenção. Gostei da ideia como um todo e de vê-la projetada na maior rede de comunicação do Sul. Pena que a maioria destas promoções culturais tenham voz e vez, aqui mesmo no Rio Grande do Sul, no iminente mês dos Gaúchos. De toda a forma, melhor assim do que nada.


Conselho Consultivo do Porto Alegre Film Commission toma posse

Foto: ivo Gonçalves/Arquivo PMPA

Organização é destinada a servir de facilitador para produções audiovisuais

Organização é destinada a servir de facilitador para produções audiovisuais


Integrantes do Conselho Consultivo do Escritório Municipal de Apoio à Produção Audiovisual - Porto Alegre Film Commission serão empossados pelo prefeito José Fortunati nesta terça-feira, 23, às 10h30, no Salão Nobre do Paço Municipal. Nomeado pela portaria nº336/2016, o grupo de conselheiros é integrado por representantes do município, do estado e de entidades privadas do turismo e setor audiovisual da Capital.
 
Desenvolvido pela Secretaria Municipal de Turismo (SMTUR) em parceria com entidades, o Porto Alegre Film Commission é uma organização destinada a captar e servir de facilitador para produções audiovisuais - nacionais e internacionais - na cidade, como nas áreas de cinema, publicidade, documentários e novelas. A organização é composta pela Secretaria Executiva e pelo Conselho Consultivo, que tem por função apreciar o relatório anual de atividades; orientar e opinar sobre qualquer assunto afeito à natureza e atividades do Escritório de Apoio à Produção Audiovisual; elaborar e aprovar do Regimento Interno; avaliar projetos especiais que solicitem apoio do Escritório Municipal de Apoio à Produção Audiovisual; criar rotinas e processos que busquem apoiar, fomentar e promover a produção audiovisual na cidade.
 
O Conselho Consultivo tem como presidente o secretário municipal de Turismo. Também compõem o grupo, conselheiros integrantes da (SMTUR); representantes das secretarias municipais de Cultura (SMC), Segurança (SMSEG), Meio Ambiente (SMAM), Departamento Municipal de Limpeza Urbana (DMLU), Gabinete de Inovação e Tecnologia de Porto Alegre (InovaPoa), Gabinete de Comunicação Social (GCS), Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC); e do setor privado, representantes da  Associação Brasileira da Indústria de Hotéis (ABIH/RS), Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel), Porto Alegre e Região Metropolitana Convention e Visitors Bureau, Associação Profissional de Técnicos Cinematográficos (APTC), Federação do Comércio de Bens e de Serviços do Estado do Rio Grande do Sul (Fecomércio), Fundação de Cinema RS (Fundacine), Sindicato da Indústria Audiovisual do Rio Grande do Sul (SIAV) e Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS).


/cinema /turismo


Texto de: Cristiane Serra
Edição de: Jandira Davila Feijó
Autorizada a reprodução dos textos, desde que a fonte seja citada.

22 de agosto de 2016

Requalificação da Usina do Gasômetro será apresentada hoje

Foto: Ivo Gonçalves/Arquivo PMPA

Evento, aberto ao público, será realizado no mezanino da usina

Evento, aberto ao público, será realizado no mezanino da usina

Será apresentado nesta segunda-feira, 22, a partir das 18h30 o anteprojeto de requalificação da Usina do Gasômetro. A promoção é da Coordenação da Memória da Secretaria da Cultura de Porto Alegre em parceria com a 3C Arquitetura e Urbanismo, empresa vencedora da licitação para formatação do projeto arquitetônico. O evento é aberto ao público e será realizado no mezanino da usina. Após esta apresentação, será aberto o processo de licitação que apontará a empresa que realizará as obras previstas pela equipe de arquitetos sob orientação do coordenador da Memória Cultural, Luiz Antonio Bolcato Custódio. 
O anteprojeto prevê a reorganização total do espaço, melhorando acessos e circulação interna e ampliando os locais para atividades culturais, além de soluções para recuperar a estrutura interna. Em oficina participativa promovida em abril, foram reunidas sugestões de usuários do espaço, desde os grupos que ocupam o complexo cultural, até os frequentadores. Foram sugeridos, por exemplo, o aproveitamento e ocupação dos terraços (para proporcionar contato visual direto com o Guaíba), a criação de praças internas e de espaços gastronômicos, a ampliação dos espaços para atividades culturais, preservação dos fornos originais, instalação de bicicletários, entre outros.   


/cultura /gasometro

Texto de: Natalie Oliveira (estagiária) / Supervisão: Maristela Bairros
Edição de: Jandira Davila Feijó
Autorizada a reprodução dos textos, desde que a fonte seja citada.

21 de agosto de 2016

‘República das Carretas’ é música tema dos Festejos Farroupilhas 2016




Os organizadores dos Festejos Farroupilhas, entre eles o Movimento Tradicionalista Gaúcho, divulgou nesta semana o áudio da música tema da edição deste ano. ‘República das Carretas’ tem letra, música e interpretação de Érlon Péricles, com violões de Guilherme Castilhos, acordeon e contrabaixo de Tiago Quadros, percussão de Marcelinho Freitas.

Ouça:
http://www.semanafarroupilha.com.br/noticias/51/msica-tema-festejos-farroupilhas-2016---repblica-das-carretas


Fonte: blog do MTG-RS

20 de agosto de 2016

Segunda, dia 22 de agosto, dia do Folclore


Via Blog ROGERIO BASTOS


Paula Simon Ribeiro

Dia 22 de agosto é comemorado universalmente o Dia do Folclore.

Por que?

Nesta data em 1846 a revista londrina "The Atheneum" publicou pela primeira vez, em uma carta que sob o pseudônimo de Ambrose Merton, William John Thoms sugeria a palavra Folclore para designar o estudo das antiguidades literárias, o que hoje conhecemos como literatura popular.

Com a palavra formada por dois vocábulos: Folk-povo e Lore-saber, Thoms definia o conhecimento e estudo dos "usos, costumes, cerimônias, crenças, romances, refrões, superstições", etc.

O início dos estudos de Folclore esteve restrito a estes aspectos da cultura espontânea e posteriormente foi ampliado, sendo que atualmente abrange a cultura material e a imaterial.

A cultura espontânea é aquela decorrente da experiência de vida, adquirida por contiguidade, por ver fazer ou ouvir dizer. Todos somos portadores de uma bagagem de cultura espontânea adquirida no meio em que vivemos, desde a mais tenra idade com familiares e posteriormente na convivência dos parentes, amigos, colegas e na comunidade em geral. A cultura espontânea não sofre influência das instituições de educação ou culturais.

O Brasil, país com dimensão continental possui uma variedade muito grande de manifestações de culturas populares, herança dos primeiros colonizadores, dos nativos, dos povos escravizados e de todas as etnias que para aqui vieram povoar a terra “recém descoberta”. Pela Carta do Folclore Brasileiro (releitura de 1995) Folclore e Cultura Popular se equivalem, mas em respeito a todas as influências e heranças recebidas foi estabelecido referir-se a estas manifestações como Culturas Populares (no plural).

Esta conceituação vem sendo empregada desde a divulgação da “Convenção sobre a Proteção e Promoção da Diversidade das Expressões Culturais”, publicada a partir da Conferência Geral da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura” em sua 33ª reunião, celebrada em Paris, de 03 a 21 de outubro de 2005, na qual o Brasil foi um dos 52 países signatários e juntamente com o Canadá um dos que mais lutou para que fosse aprovada e divulgada. Foi ratificada no Brasil por meio do Decreto Legislativo 485/2006.

Em seu capitulo IX a Carta do Folclore Brasileiro refere-se aos Grupos Parafolclóricos, que sem serem os legítimos portadores do fato folclórico, dele fazem uso para atingir objetivos estéticos, artísticos ou didáticos. Os integrantes destes grupos se organizam formalmente, aprendem com instrutores as danças ou folguedos e apresentam-se em público em shows, desfiles e/ou espetáculos.

Desta forma contribuem para a preservação das manifestações de culturas populares, sem, no entanto, ter compromisso com a fidelidade ao fato folclórico, ou seja, em muitos momentos alterando ou modificando a coreografia ou a essência da manifestação, que geralmente em sua forma original é simples, mas quando levada a palco pode sofrer acréscimos ou supressões, (ser estilizada) para causar um maior impacto estético.

É uma forma de preservação, mas não pode ser chamada de folclore, pois o fato só é folclore quando apresentado por seus legítimos portadores, no seu habitat natural e no período previsto. (Por exemplo, Ternos de Reis dentro do ciclo natalino, Terno Junino dentro do ciclo junino, etc.)

Em seu parágrafo 3, este capitulo diz “os grupos parafolclóricos constituem uma alternativa para a prática e para a divulgação das tradições folclóricas, tanto para fins educativos como para atendimento a eventos turísticos e culturais”.

19 de agosto de 2016

Acampamento Farroupilha começa a tomar forma em Porto Alegre


Área administrativa está sendo montada desde o início de agosto, mas a instalação dos piquetes começa no sábado







Acampamento Farroupilha começa a tomar forma em Porto Alegre Ronaldo Bernardi/Agencia RBS
Foto: Ronaldo Bernardi / Agencia RBS





























A estrutura do Acampamento Farroupilha começa a tomar forma em Porto Alegre. As áreas administrativa, de comércio e dos patrocinadores do evento estão sendo montadas desde o início de agosto no Parque Maurício Sirotsky Sobrinho, também conhecido Parque Harmonia. Já a instalação das entidades tradicionalistas começa neste sábado.

Leia mais:
Conheça 12 curiosidades sobre a Chama Crioula, uma tradição farroupilha
Prefeitura cancela repasse para o Acampamento Farroupilha 
No total, 365 piquetes, Centros de Tradições Gaúchas (CTGs) e Departamentos de Tradições Gaúchas (DTGs) estarão no acampamento.  Para o coordenador de Tradição e Folclore da Secretaria da Cultura, Giovani Tubino, a expectativa do evento é superar o público do ano passado, que foi de 1,2 milhão de visitantes.
A abertura do acampamento está programada para o dia 7 de setembro, com a chegada da chama crioula. Com o tema Campeirismo Gaúcho e a Sua Importância Social e Cultural, o evento contará com bailes, rodeio e competições de laço, rédeas e gineteadas. 
Este ano, as atividades terão o comando de uma patrona, Neusa Secchi. Natural de Passo Fundo, ela é graduada em História e foi presidente da Comissão Gaúcha de Folclore e Conselheira da Comissão Nacional de Folclore.
Publicidade

Dois filmes gaúchos estreiam em setembro nos cinemas






"Nós duas descendo a escada" e "Os senhores da guerra" falam sobre o romance entre duas mulheres e irmãos que ficaram em lados opostos na Revolução de 1923

Foto: Bruno Polidoro / Divulgação

Entram em cartaz coincidentemente quase ao mesmo tempo, no começo do mês que vem, dois filmes gaúchos já exibidos no Festival de Gramado. Exemplos da diversidade da produção local, os longas-metragens são totalmente distintos em termos de gênero, temática, época e estilo: NÓS DUAS DESCENDO A ESCADA e OS SENHORES DA GUERRA.

Escrito e dirigido por FABIANO DE SOUZA, Nós duas... estreia no dia 8 de setembro em Porto Alegre e São Paulo. Estrelada por CARINA DIAS e MIRIÃ POSSANI, a produção acompanha nove meses do relacionamento de duas mulheres, iniciando pelo final de semana em que elas se conhecem.

– A ideia principal era fazer um filme com uma intensidade que reverberasse a alma apaixonada. Um filme que vibrasse com cores, diálogos e músicas. Embebido de melodrama, musical, comédia, cinema íntimo, existencial, com alegria e tristeza no último volume – explica o diretor.

A música original foi composta por Frank Jorge, inspirada nos primeiros filmes do mestre francês François Truffaut. A canção de clima sessentista Me ajude a lembrar ganhou um videoclipe produzido pela Rainer Cine, que terá lançamento próximo à estreia do filme.
Foto: Rodrigo Migliorin / Divulgação

Já Os senhores da guerra chega às telas de 14 cidades brasileiras no dia 15 de setembro, trazendo um do tema atualíssimo no país: famílias divididas pela política. Baseado no romance homônimo de José Antônio Severo, o filme dirigido por Tabajara Ruas conta história real de dois irmãos gaúchos em lados opostos durante a Revolução de 1923: Júlio Bozano (RAFAEL CARDOSO), chimango e legalista, quer a manutenção do governo, enquanto Carlos Bozano (ANDRÉ ARTECHE), maragato e revolucionário, luta para derrubar o poder e criar um novo regime.

A produção de época recebeu dois Kikitos no Festival de Gramado de 2014: o Prêmio Especial do Júri e o troféu de melhor atriz coadjuvante para Andrea Buzato. Foram 15 semanas de filmagem realizadas em três etapas – em 2011, 2012 e 2013 – em 11 cidades gaúchas, com uma equipe de mais de 200 profissionais, 2 mil figurantes e um elenco com 40 nomes.

Entre os atores do novo trabalho do diretor de Netto perde sua alma (2001) e Brizola – Tempos de luta (2007), estão Leonardo Machado,Marcos Verza, Elisa Brites, Marcos Breda,Felipe Kannenberg, Sirmar Antunes, Zé Victor Castiel, Zé Adão Barbosa, Nelson Diniz, Sissi Venturin, Hique Gomez e Miguel Ramos.
Veja os trailers CLICANDO AQUI.
Por Roger Lerina
Fonte: jornal Zero Hora

Ministério da Cultura apresenta nova estrutura







Depois de lançar o Programa de Valorização do Servidor, o Ministério da Cultura apresenta sua nova estrutura organizacional, que garantirá eficiência à gestão e aproximará as ações do Ministério da Cultura das demandas da sociedade. O Ministério seguirá composto por seis Secretarias, dentre elas as novas Secretaria da Economia da Cultura e a Secretaria de Infraestrutura Cultural. As antigas Diretorias passam a formar Departamentos, em harmonia com a nomenclatura utilizada em outros Ministérios. Os Departamentos estão divididos em Coordenações-Gerais. Em alguns casos, as Coordenações-Gerais reportarão diretamente aos Secretários.
"Queremos um Ministério da Cultura que ofereça entregas concretas à sociedade. A nova estrutura busca resgatar a credibilidade do Ministério da Cultura e a dimensão simbólica da Cultura no coração dos brasileiros", ressalta o Ministro da Cultura, Marcelo Calero.
Sob o comando de Mariana Ribas, a Secretaria-Executiva (SE) contará com duas Subsecretarias: a Subsecretaria de Gestão Estratégica (SGE), responsável pela gestão de pessoas, tecnologia de comunicações e informação e planejamento estratégico do Ministério; e a Subsecretaria de Planejamento, Orçamento e Administração (SPOA), que segue com as atribuições de gestão interna, financeira e orçamentária.
A Secretaria da Economia da Cultura (SEC) mapeará a cadeia produtiva da cultura de forma ampla e abrangente e atuará em parceria com as outras secretarias e entidades vinculadas do Sistema MinC. Designado, o advogado Claudio Lins de Vasconcelos comandará a Secretaria da Economia da Cultura, que atuará em três frentes: estimulando a sustentabilidade de atividades tradicionais, de vanguarda e de experimentação de linguagem; incentivando o empreendedorismo cultural; e apoiando o desenvolvimento de estratégias para a indústria cultural de alta performance. No novo desenho do Ministério da Cultura, a Diretoria de Direitos Intelectuais, antes vinculada à Secretaria-Executiva, passa a ser um departamento da nova Secretaria. São ainda departamentos desta Secretaria o Departamento de Estratégia Produtiva e o Departamento de Sustentabilidade e Inovação. 
O Ministério da Cultura irá buscar parcerias com prefeituras e governos estaduais no sentido de apoiar melhorias e modernização de teatros, centros culturais, bibliotecas, museus e afins. Essa será a função principal da Secretaria de Infraestrutura Cultural (SEINFRA), que tem como secretária designada Orvalina Ornelas de Nascimento Silva, servidora de carreira do Ministério da Educação. Muito além do incentivo à fruição, equipamentos culturais em bom estado estimulam a produção cultural local, contribuindo para a democratização do acesso e do fazer. A garantia de acessibilidade será um dos focos dos programas desta Secretaria.
A Secretaria de Articulação Institucional passa a se chamar Secretaria de Articulação e Desenvolvimento Institucional (SADI), tendo à frente o diplomata de carreira Bruno Santos. Com a SADI, o Plano Nacional de Cultura e o Sistema Nacional de Cultura passam a ser geridos pela mesma Secretaria.  À Secretaria estará subordinado o Departamento de Promoção Internacional, com foco nos temas relacionados à divulgação da cultura brasileira no exterior.
Na nova estrutura, a Secretaria do Audiovisual (SAV), sob o comando do produtor Alfredo Bertini, passa a contar com a Coordenação-Geral de Novas Mídias, vinculada diretamente ao Secretário, que tratará dos temas relacionados aos novos formatos de produção, além do Departamento de Políticas Audiovisuais.
A Secretaria da Cidadania e da Diversidade Cultural (SCDC), sob o comando da secretária designada Renata Bittencourt, recebeu novas atribuições. Para além de atuar no aprofundamento das políticas de territorialização da Cultura, por meio do Departamento da Diversidade Cultural, a SCDC incorpora o Departamento de Livro, Leitura, Literatura e Bibliotecas (DLLLB), que estava vinculado à Secretaria-Executiva. A mudança fortalece a área do livro e leitura, que terá maior integração e alcance. Passa a integrar a estrutura do Departamento da Diversidade Cultural a Coordenação-Geral de Cultura e Educação, que se ocupará dos temas relacionados à educação e cultura. Diretamente vinculada à Secretaria também estará a Coordenação-Geral de Acessibilidade e Inclusão, que traduz o compromisso da nova gestão do Ministério: o exercício dos direitos culturais em plenitude, sem limitações, seja na produção ou na fruição, de qualquer ordem.
Responsável pela gestão da Lei de Incentivo à Cultura, a Secretaria de Fomento e Incentivo à Cultura (SEFIC), sob o comando do administrador José Paulo Martins, passará a contar com dois departamentos: o Departamento de Mecanismos de Fomento, que ficará responsável pelo Fundo Nacional de Cultura e pelo Vale-Cultura; e o Departamento de Incentivo à Produção Cultural, que fará a gestão do Mecenato. 
Confira a lista completa das Secretarias, Departamentos e Coordenações-Gerais:
1.  Secretaria-Executiva - SE
1.1 Subsecretaria de Planejamento, Orçamento e Administração - SPOA:
a) Coordenação-Geral de Planejamento, Orçamento, Finanças e Contabilidade
b) Coordenação-Geral de Licitações, Contratos e Recursos Logísticos
c) Coordenação-Geral de Execução Orçamentária e Financeira
1.2 Subsecretaria de Gestão Estratégica - SGE
a) Coordenação-Geral de Gestão de Projetos Estratégicos
b) Coordenação-Geral de Modernização Organizacional
c) Coordenação-Geral de Estatísticas e Indicadores da Cultura
d) Coordenação-Geral de Gestão de Pessoas
e) Coordenação-Geral de Infraestrutura Tecnológica

2. Secretaria de Articulação e Desenvolvimento Institucional - SADI

a) Coordenação-Geral de Acompanhamento e Prestação de Contas
2.1. Departamento de Desenvolvimento Institucional:
a) Coordenação-Geral de Articulação e Mobilização
b) Coordenação-Geral do Sistema Nacional de Cultura
c) Coordenação-Geral do Plano Nacional de Cultura
d) Coordenação-Geral de Institucionalização
2.2. Departamento de Promoção Internacional:
a) Coordenação-Geral de Cooperação e Relações Internacionais
b) Coordenação-Geral de Promoção Internacional da Cultura Brasileira

3. Secretaria do Audiovisual - SAV

a) Coordenação-Geral de Novas Mídias
b) Coordenação-Geral de Acompanhamento e Prestação de Contas
3.1. Departamento de Políticas Audiovisuais:
a) Coordenação-Geral de Formulação e Intercâmbio de Programas e Projetos
b) Cinemateca Brasileira
c) Centro Técnico do Audiovisual

4. Secretaria da Cidadania e da Diversidade Cultural - SCDC

a) Coordenação-Geral de Acompanhamento e Prestação de Contas
a) Coordenação-Geral de Acessibilidade e Inclusão
4.1. Departamento da Diversidade Cultural:
a) Coordenação-Geral de Mobilização
b) Coordenação-Geral de Promoção da Cidadania e da Diversidade Cultural
c) Coordenação-Geral de Cultura e Educação
4.2. Departamento de Livro, Leitura, Literatura e Bibliotecas:
a) Coordenação-Geral de Leitura, Literatura e Economia do Livro
b) Coordenação-Geral do Sistema Nacional de Bibliotecas Públicas

5. Secretaria da Economia da Cultura - SEC

a) Coordenação-Geral de Marcos Legais da Cultura
b) Coordenação-Geral de Acompanhamento e Prestação de Contas
5.1. Departamento de Sustentabilidade e Inovação:
a) Coordenação-Geral de Empreendedorismo e Sustentabilidade
b) Coordenação-Geral de Pesquisa e Novos Modelos
5.2. Departamento de Estratégia Produtiva:
a) Coordenação-Geral de Formação Técnica, Gestão e Produção
b) Coordenação-Geral de Desenvolvimento Setorial
5.3. Departamento de Direitos Intelectuais:
a) Coordenação-Geral de Regulação em Direitos Autorais
b) Coordenação-Geral de Difusão, Negociação e Acesso à Cultura

6. Secretaria de Fomento e Incentivo à Cultura - SEFIC

6.1. Departamento de Incentivo à Produção Cultural:
a) Coordenação-Geral de Admissibilidade e Aprovação
b) Coordenação-Geral de Execução e Fiscalização
c) Coordenação-Geral de Avaliação de Resultados
6.2. Departamento de Mecanismos de Fomento:
a) Coordenação-Geral do Fundo Nacional de Cultura
b) Coordenação-Geral do Programa de Cultura do Trabalhador

7. Secretaria de Infraestrutura Cultural - SEINFRA

a) Coordenação-Geral de Acompanhamento e Prestação de Contas
7.1. Departamento de Projetos de Infraestrutura Cultural:
a) Coordenação-Geral de Desenvolvimento de Projetos
b) Coordenação-Geral de Análise de Projetos
7.2. Departamento de Obras e Gestão de Equipamentos Culturais:
a) Coordenação-Geral de Monitoramento de Obras
b) Coordenação-Geral de Gestão de Equipamentos
Assessoria de Comunicação
Ministério da Cultura

18 de agosto de 2016

12 curiosidades sobre a Chama Crioula, uma tradição farroupilha

VIA  ZERO   HORA:

Conheça 12 curiosidades sobre a Chama Crioula, uma tradição farroupilha

Fogo chegou à sede da Primeira Região Tradicionalista, no bairro Tristeza, em Porto Alegre, nesta terça-feira

Por: Eduardo Rosa

Conheça 12 curiosidades sobre a Chama Crioula, uma tradição farroupilha Mateus Bruxel/Agencia RBS
Foto: Mateus Bruxel / Agencia RBS











Acesa e distribuída durante o fim de semana passado em Triunfo, na Região Carbonífera, a Chama Crioula percorre a casco as estradas do Rio Grande do Sul. Quase mil cavaleiros levam às 30 regiões do Movimento Tradicionalista Gaúcho (MTG) aquele que é um dos símbolos dos festejos farroupilhas.
Os grupos que carregam os candeeiros partiram juntos do município escolhido para gerar a chama, mas com diferentes destinos. Vão acampando pelo caminho até chegar ao local onde será deixada a centelha – deste, ainda podem se espalhar para mais municípios das imediações.
– A Chama Crioula é o marco inicial do movimento tradicionalista organizado. Foi o resgate do sentimento de pertencimento das nossas cultura e tradição, dos nossos valores em termos de dança, música e indumentária – comenta o presidente do MTG, Nairioli Antunes Callegaro.
Publicidade
A tradição teve origem há quase 70 anos e foi lançada com um gesto de improviso. Em 1947, um grupo de estudantes liderado por João Carlos D'Ávila Paixão Côrtes capturou com um cabo de vassoura a chama da Pira da Pátria, no Parque Farroupilha, e a carregou pelas ruas de Porto Alegre.
O gesto acendeu (literalmente) a autoestima e a tradição gaúchas em um período pós-guerra em que os Estados Unidos disseminavam sua cultura e seu modo de vida, enquanto o Brasil convivia com as marcas do Estado Novo de Getúlio Vargas (1937-1945), que propagou a unidade nacional inibindo a valorização do regional.
12 curiosidades sobre a Chama Crioula



Foto: Gilmar Fraga / Arte ZH



















Fogo que se espalha
A Chama Crioula, acesa na sexta-feira em Triunfo, será levada a aproximadamente 300 municípios.

Foto: Gilmar Fraga / Arte ZH





















Trajeto a casco
A distribuição da chama ocorreu no sábado. De Triunfo, cavaleiros das 30 regiões do Movimento Tradicionalista Gaúcho (MTG) partiram para diferentes cantos do Estado.
Da região, redistribuição
Há cidades que, quando recebem a chama, fazem um evento no qual ela é redistribuída para outros municípios da região.






Foto: Gilmar Fraga / Arte ZH







Para além das divisas e fronteiras
Neste ano, a chama está sendo levada para Santa Catarina. No ano passado, foi acesa em Colônia do Sacramento, no Uruguai.

É chão
Os grupos que levam as chamas para as diferentes regiões do Estado partem para diferentes destinos. Há trajetos que superam os 500 quilômetros, como os dos cavaleiros que vão ao Chuí e à Uruguaiana.
Para não abusar do cavalo
Grande parte dos grupos leva os cavalos até o município onde é distribuída a chama. De lá, partem montados no animal. Os que podem, têm mais de um cavalo para fazer um revezamento.





Foto: Gilmar Fraga / Arte ZH





Caso apague, tem backup
A chama é levada pelos cavaleiros. Mas, para caso o fogo apague, normalmente vai um lampião com a chama dentro de um carro ou caminhão.









Foto: Gilmar Fraga / Arte ZH







Equipe de apoio
Uma equipe vai na frente dos cavaleiros, de carro ou caminhão, para montar os acampamentos e preparar as refeições.
Dezenas de quilômetros
Os cavaleiros pegam a estrada cedo da manhã e cavalgam até o início da tarde. A média diária é de aproximadamente 30 quilômetros percorridos.









Foto: Gilmar Fraga / Arte ZH





Nada de modernidade
A chama é mantida em um candeeiro. Não se usa gás: é óleo diesel e pavio de lã.
Chama fica acesa
Do evento de sábado, participaram cerca de mil cavaleiros das 30 regiões do MTG. Mas quem quiser ainda pode buscar a chama, que permanece acesa em Triunfo.
Calendário da sede
Até 2000, cada região do MTG fazia o acendimento em um município de sua área. A partir de 2001, foi estabelecido esse modelo em que a distribuição é feita de uma cidade para todo o restante do Estado. Há um calendário para que as 30 regiões sejam contempladas.