30 de setembro de 2016

Último dia para inscrições para o Açorianos de Artes Plásticas


As inscrições para a 10ª edição do Prêmio Açorianos de Artes Plásticas, promovido pela Secretaria da Cultura de Porto Alegre, terminam nesta sexta-feira, 30. Interessados devem se inscrever pelo endereço eletrônico premioacorianos@gmail.com, enviando para este e-mail a ficha de inscrição, portfólio, material gráfico, clipagens, imagens das obras expostas e vista da mostra, currículo, e demais materiais que contribuam para avaliação das comissões. 
  
Podem participar os profissionais que vivem e trabalham na Região Metropolitana de Porto Alegre há, no mínimo, dois anos. Serão concedidos troféus de Melhor Exposição Individual, Melhor Exposição Coletiva e Artista Revelação pelo Júri da Premiação. Nos prêmios de Artista – Destaque Especial do Ano e de Incentivo à Produção Plástica, além de troféus, os ganhadores receberão uma quantia em dinheiro.   
 
A comissão julgadora avaliará as categorias de pintura, escultura ou projeto tridimensional, instalação, performance, desenho, cerâmica, gravura, fotografia e mídias tecnológicas - estas poderão ser indicadas e inscritas em exposições individuais e coletivas. Há, ainda, as categorias em exposição coletiva, espaço institucional, público ou privado, de divulgação artística, projeto alternativo de produção plástica, curadoria de exposição, textos, catálogos e livros publicados. 
 
O Açorianos de Artes Plásticas, além de destacar e premiar produções locais deste segmento artístico, também objetiva registrar os eventos e exposições realizados no sistema das artes na cidade de Porto Alegre.
 
 
Clique aqui para ver o Edital Completo
 
Mais informações
Coordenação de Artes Plásticas 
Rua Duque de Caxias, 973 - Pinacoteca Ruben Berta 
Telefone: 3224 6740
 


/artes_plasticas /cultura
Texto de: Josiele Rangel de Campos (estagiária) / Supervisão: Maristela Bairros
Edição de: Jandira Davila Feijó
Autorizada a reprodução dos textos, desde que a fonte seja citada.

27 de setembro de 2016

Programação geral e informações fundamentais:50 anos MTG


Dia 28:
1. Chegada das cavalgadas em Porto Alegre. Os pontos de encontro são os seguintes:
Br. 448: Rodovia do Parque Km 15 rodo anel saída praia de Paquetá passando Bianchini fazenda Muradás, proprietário Sr. Milton fone 99710758 distancia de porto Alegre 17 Km do parque da Harmonia;
Br. 116: lado norte quem vem da região da serra Av. Guilherme Shell estação Fatima bairro Rio Branco Rua Bartolomeu Gusmão no final da mesma no Parque Eduardo Gomes Canoas Patrão Sr. Júlio fone 98177338 distancia Porto Alegre 16 Km;
Br. 290: quem vem da fronteira Eldorado do Sul - estrada do Conde bairro Itai Parque de laço Cleber Ferreira fone 95201373 distancia de Porto Alegre 16Km;
Zona extremo sul: quem vem de Pelotas e o mesmo endereço anterior no Clebe Ferreira.
Zona sul quem vem de Viamão: estrada dos Alpes Numero 2475 bairro Gloria Poa Piquete Herança de Tropeiro patrão Oberdan fone 98313358 distancia 12Km.
Qualquer informação para apoio Falar com Solon Silva – vice-presidente da OrCav, pelo telefone 051 99817633.
- Cada coordenador deverá informar à Secretaria do MTG, que repassará à OrCav, a quantidade de cavaleiros que entrarão em Porto Alegre montados e por qual itinerário.
2. Início do acampamento campeiro, no Parque da Harmonia. O responsável pela organização é o Gustavo Bierhals, fone 51 99645191 ou na Fundação cultural Gaúcha – MTG. Convém que cada coordenador informe ao responsável a quantidade de barracas e veículos, bem como as necessidades de espaço.
O acampamento campeiro deverá ser encerrado até às 12h do dia 30 de outubro, domingo, inclusive com a desmontagem das barracas e entrega das áreas ocupadas, limpas.
3. Inicio do acampamento da juventude, no Parque da Harmonia. O Responsável pela organização é o Paulo Matukait, fone 51 99627094, ou nos telefones do MTG. As inscrições devem ser feitas junto ao Departamento Jovem do MTG que tratará com o responsável sobre organização dos espaços. Haverá locais cobertos para montagem de
barracas. Quem necessitar ficar acampado até a manhã de domingo (dia 30) deverá avisar o Departamento jovem, até o dia do encerramento das inscrições.
A programação do acampamento da juventude será de responsabilidade do Departamento Jovem. O acampamento deverá ser encerrado no sábado, até às 20h, inclusive com a desmontagem das barracas.
4. Entrega de comendas da OrCav. Sob responsabilidade do Diretor Airto Timm. Seguir orientações, prazos e condições informadas pela OrCav.
5. Tertúlia. Sob organização da Comissão (Savaris, Gress, Ciro). Os coordenadores que desejarem inscrever artistas para se apresentar, devem informar, por escrito, para o seguinte e-mail: eventos@mtg.org.br até o dia 15 de outubro. As apresentações serão gratuitas. A planilha será organizada conforme as inscrições e deverão ocorrer entre 20h e 24h.
Dia 29:
1. Benção dos cavaleiros (7:30h), antes do inicio da cavalgada;
2. Cavalgada em Porto Alegre (8h). Itinerário: Saída do Parque da Harmonia, segue pela primeira perimetral até a João Pessoa. Pela João Pessoa até o Colégio Estadual Julio de Castilhos (Julinho) onde haverá uma solenidade. Do Julinho segue pela João Pessoa até a Av. Ipiranga. Pela Ipiranga até o 35 CTG onde haverá outra solenidade. Do 35 CTG retorna pela Ipiranga até a Av. Edivaldo Pereira Paiva (Beira Rio). Na Av. Beira Rio retorna ao Parque da Harmonia. Chegada prevista para as 12h.
- Cada RT formará “um Pelotão”, com seus cavaleiros. Cada “Pelotão” poderá portar as seguintes bandeiras: bandeira da RT, bandeiras dos municípios da RT;
- Cada Coordenador Regional, ou Diretor Campeiro, ou ainda, Diretor de Cavalgadas, responde pela disciplina, vestimentas, encilhas e demais cuidados do seu “Pelotão”;
3. Almoço (13h): será servido um churrasco (feito na vala), a todos os participantes do Acampamento Campeiro, Acampamento da Juventude e convidados. Observar:
- cada coordenador deverá informar à secretaria do MTG, até o dia 20 de outubro, o numero de pessoas que irão almoçar. Com base nesse número serão fornecidas as fichas para retirar os espetos de carne.
- será fornecido somente a carne, assada, e um pãozinho por pessoa. Saladas e outros acompanhamentos serão de responsabilidade de cada coordenadoria regional.
- pratos, talheres e copos não serão fornecidos pela organização. Cada um leva o seu material;
- haverá um bar que venderá refrigerantes, água e cerveja para os que necessitarem.
4. Solenidade de aniversário e homenagens (16 h).
a. o local será o Centro de Eventos (Casa do Gaúcho) no Parque da Harmonia;
b. A programação será desenvolvida entre 16 e 20 h;
c. serão entregues as medalhas Barbosa Lessa, Honeide Bertussi e João Carlos de Moura (responsabilidade da Secretaria Geral do MTG);
d. Serão entregues os diplomas (comenda) João de Barro para os indicados das RTs, observar:
- A data limite para envio dos indicados (Dois por RT. Quem necessitar de mais um, contate o Presidente do MTG) até o dia 10 de outubro;
- Encaminhar diretamente à Secretaria do MTG os seguintes dados: Nome completo. Pequeno currículo de até dez linhas. Uma fotografia da pessoa – sozinha - que será projetada no dia da entrega.
e. Serão entregues as placas para os novos conselheiros beneméritos e honorários, sob responsabilidade da Secretaria Geral do MTG;
f. serão lidos os nomes das pessoas que adquiriram a “moeda do cinquentenário”, podendo, para quem desejar, ser entregue no ato pelo Presidente do MTG;
g. para quem desejar, será entregue no dia, a “faca do cinquentenário”, entrega coletiva para fotografia;
h. serão entregues “troféus do cinquentenário” para coordenadores regionais, conselheiros do MTG e da FCG e Diretores do MTG que não sejam conselheiros. Entrega coletiva para fotografia. Somente receberão esta homenagem os presentes na solenidade do dia 29 de outubro. Casos especiais (doenças e outros impedimentos) deverão ser tratados diretamente com a Diretoria do MTG;
e. Coquetel campeiro de encerramento (20h), com bolo de aniversário.
Senhores e senhoras coordenadores, encarecemos que os prazos para cada situação sejam cumpridos. O sucesso do evento depende de rígida e eficiente organização e para isso dependemos de que cada um cumpra a sua parte.

23 de setembro de 2016

Fumproarte divulga selecionados do Porto Alegre Amanhã



Nesta terça-feira, 27, às 10h, na Sala P. F Gastal, localizada no terceiro andar da Usina do Gasômetro (av. João Goulart, 55), a Comissão de Avaliação e Seleção (CAS) do Fumproarte da Secretaria da Cultura de Porto Alegre anuncia os projetos selecionados no edital Porto Alegre Amanhã. O evento é aberto ao público. O edital se destina à escolha de projetos de produção artística voltados para novos públicos, com foco na infância e adolescência. 
 
A Comissão de Avaliação e Seleção do Fumproarte é formada por servidores municipais (1/3) e pareceristas da sociedade civil. Os projetos integram as áreas de Artes Cênicas (Circo, Teatro e Dança), Música, Audiovisual, Artes Visuais, Livro, Literatura, Editorações e Obras de Referência, e Patrimônio Imaterial/ Memória Cultural. 
 
Ao todo, serão anunciados os sete projetos, sendo um no valor de R$ 70 mil, dois no valor de R$ 60 mil cada, 
dois no valor de R$ 50 mil cada e dois no valor de R$ 35 mil cada. 
 
Informações: 
Fumproarte (Fundo Municipal de Apoio à Produção Artística e Cultural)
Telefones: (51) 3289-8017 ou (51) 3289-8016
 


/cultura /fumproarte

Texto de: Josiele Rangel de Campos (estagiária) / Supervisão: Maristela Bairros
Edição de: Manuel Petrik
Autorizada a reprodução dos textos, desde que a fonte seja citada.

22 de setembro de 2016

CARTA ABERTA DE UM GAÚCHO



Agora que passaram os festejos farroupilhas, algo que instiga, que agita, que revolta algumas pessoas intolerantes e que vem arrebanhando muitos adeptos sem personalidade, inclusive dentro do próprio gauchismo, quero dar uma dicas a ilustres como Moacyr Flores, Juremir Machado, Tau Golin, Moisés Mendes, Claudia Laitano, além de outros que nesta época do ano reaparecem com seus textos bem articulados para atacarem àqueles que têm por culto, ou mesmo por gosto, usar umas bombachas.

Creio que todos os citados são do tempo dos antigos LPs, também chamados de “bolachões” e por isso não estranharão se eu lhes propuser para o próximo ano “virarem o disco” (ou, para que os mais novos entendam), trocarem o tema, não baterem na mesma tecla.

Digo isto por que todos eles, anualmente, são intencionalmente tendenciosos a vincularem os nossos costumes com a Revolução Farroupilha fixando a identidade do gaúcho com um determinado período histórico. Para estes, o Rio Grande do Sul nasceu no dia 20 de setembro de 1835. Com todos os seus tempos de escola estes colunistas, escritores, mestres acadêmicos, e seus puxas, acabam se nivelando ao gaúcho que vai ao “acampamento” para comer, beber, ouvir uma gaita, dar “cantadas” numa “chinoca”, e se achar o maior “cara” do mundo. Ao determinar que o tradicionalista de hoje vive de histórias fantasiosas de uma guerra que para eles, de repente, nem aconteceu, estes “gaúchos por acidente geográfico” (pois gostariam de ter nascido em Paris, Rio, Nova York...) se equiparam ao bombachudo de rompantes, de falar alto, de faca na cintura, mas que nem imagina quem foi um João Simões Lopes Neto, por exemplo. 
     
- Caros amigos (para não dizer caras-pálidas): O chimarrão, nosso mate-amargo, nossa comunhão fraternal, símbolo da hospitalidade que não pode faltar em qualquer rancho sulino por mais humilde que seja, vem lá das missões guaraníticas, portanto, bem antes da revolução farroupilha.

- O Cavalo, extensão das pernas do gaúcho, e que foi arma letal da briosa cavalaria farrapa, enfrentando por quase dez anos todo o império, com menos homens, menos armas, mas muito mais valentia, se faz presente em nossa terra bem antes deste decênio heroico e ajudou a gauchada a sustentar as fronteiras brasileiras nas Guerras Cisplatinas, enquanto a côrte comia, bebia e promovia saraus no Rio de Janeiro. Além disto foi parceiro de trabalho nos tempos das sesmarias sem alambrados, no reponte do gado alçado, na formação cultural do gaúcho. Nos dias de hoje, continua amigo fiel nas lides de campo, nas centenas de cavalgadas de integração familiar, nas festas e rodeios. 
 
- A bombacha, que vocês orgulham-se de nunca ter vestido, mas que a milhares de rio-grandenses serve de segunda pele, nem existia na época da revolução. Surgiu a partir da Guerra do Paraguai. Se vivêssemos a cultuar exclusivamente o tempo que vocês maldosamente apregoam, teríamos que andar por aí, pelas praças, pelos shoppings, pelas “casas”, de CHIRIPÁ.

- As nossas danças, as nossas músicas, as nossas poesias, nossa literatura regional é toda posterior a Revolução Farroupilha e poucas destas manifestações artísticas fazem referência exclusiva e esta epopeia que tanto nos orgulha mas que não é motivo único de nossa existência. 

- Talvez a grande mágoa de vocês seja a escolha do 20 de setembro como o Dia do Gaúcho, mas queriam o que? A data em que Elis Regina nasceu? Também gosto da “formiguinha” mas não é para tanto... Poderíamos, talvez, escolher o 01 de março de 1845, data do Tratado de Paz de Ponche Verde, ou o 11 de setembro de 1836, data da Proclamação da República Rio-grandense, mas aí seria tudo dentro do mesmo tema (Revolução Farroupilha - Guerra dos Farrapos).    

Ficaríamos aqui indo além, enumerando dezenas de fatos que desvinculam os costumes do gaúcho da Revolução Farroupilha e ligando-os, muito mais, a sua labuta de peão, a sua vivência nas estâncias, a busca de trabalho na cidade grande e a consequente saudade do campo, a sua veia artística, a sua adaptação com a rudeza do clima, a sua alma desbravadora e colonizadora, mas nem desejamos tudo isto em face de que também temos orgulho pelos feitos heroicos de nossos antepassados farrapos, mas não só disto. 

Vivenciamos intensamente os dias de hoje pois estes são os nossos momentos mas, no mesmo compasso, cultuamos uma tradição bonita, pura, legada por nossos antepassados. A Revolução Farroupilha teve narrativas épicas que deixaram marcas indeléveis na nossa história e permanecerá como um marco na alma de todos os rio-grandenses mas nossa devoção ao Rio Grande vai bem além de uma Guerra e talvez por tudo isso sejamos um povo diferente de nossos irmãos brasileiros (nem melhores, nem piores – apenas diferentes) o que magoa, inibe, enrubece estes escritores e cria rompantes indesculpáveis em alguns gaúchos que se julgam superiores. 

Ninguém precisa andar de bombachas, de lenço no pescoço, de chapéu tapeado na testa... Só precisamos que respeitem o nosso espaço assim como respeitamos o espaço que não nos pertence. Se não gostam de nosso proceder, por nos considerarem retrógrados, por preservarmos costumes antigos, por apreciarmos músicas que vocês não apreciam, por termos um atavismo que vocês não têm, por termos identidade própria, desvinculem-se de nós

Que busquem outros temas para seus pitorescos escritos. O universo é vasto. O Brasil é rico em diversidades culturais. Preocupem-se com os carnavais, as festas juninas, os festivais de Parentins, as religiosidades nordestinas, os pantaneiros, os sertanejos... Se nossa história é fictícia, que comentem sobre Harry Potter, O Senhor dos Anéis, Guerra nas Estrelas, O Rei Leão, mas nos larguem de mão....

E parem com esta ladainha de que comemoramos e vivemos em função de uma guerra que perdemos pois aí vou ser obrigado a pergunta-lhes (um questionamento que não é meu) e guardando as devidas proporções: - Jesus Cristo não cumpriu sua missão porque morreu crucificado? A sua história é “fictícia”?  A Escócia, recentemente, não obteve nenhuma vantagem embora seu SIM tenha sido rejeitado, como país independente da Inglaterra?

Quem lê sabe e não precisa vir um "historiador" clarear nossas ideias de que nem todos os revolucionários eram separatistas, ou mesmo abolicionistas, ou que os alemães não se integraram na luta... Mas qual é a guerra que teve integração total de seus habitantes? Estas pessoas de quem falo se pegam apenas no que lhes importa para defender seus pensares. Não bombeiam o todo. O resultado político do embate.

Aproveitamos a olada e solicitamos aos detentores do poder público e que não sabem utilizá-lo, a não ser em benefício próprio, que não queiram empurrar goela abaixo da tradição, costumes que não fazem parte da mesma. Objetivem seu trabalho naquilo para que são pagos por nós, contribuintes. Respeitamos todos os segmentos da sociedade mas queremos preservar, fidedignamente, aquilo que nos foi repassado, caso contrário, na primeira curva da estrada, não enxergaremos mais o quão bonita e prestimosa foi a nossa história. 

Cordialmente 

Léo Ribeiro
Um Peão do Rio Grande do Sul

20 de setembro de 2016

Acampamento Farroupilha termina com recorde de público



Foto: Ricardo Giusti/PMPA
Extinção da Chama Crioula marcou o fim dos festejos neste ano
Extinção da Chama Crioula marcou o fim dos festejos neste ano
Com o ritual de extinção da Chama Crioula, feito pelo prefeito José Fortunati e o presidente do Movimento Tradicionalista Gaúcho, Nairoli Callegaro, foram encerrados oficialmente os Festejos Farroupilhas e o Acampamento Farroupilha 2016. O ato aconteceu no fim da tarde desta terça-feira, 20, no Palco Central do Parque Maurício Sirotsky Sobrinho, o Harmonia. Durante os 18 dias do evento, 1,3 milhão de visitantes foram até o local conferir as atrações. É o maior público já registrado na história do evento.
Fortunati comemorou o sucesso desta edição. "O Acampamento Farroupilha tem se qualificado cada vez mais. As atrações nos piquetes, as oficinas do Turismo de Galpão, os shows e o convívio de gaúchos e turistas aqui no parque conquistam cada vez mais pessoas que acabam retornando. É a nossa cultura, nossas tradições, nossos valores que se fortalecem e acabam sendo passados de geração em geração, o que é muito importante em momentos de crise, como o que o Brasil vive, porque aproxima as pessoas e faz com que trabalhemos todos juntos na construção de uma cidade, de um Estado, de um país melhores para todos", concluiu o prefeito.
A qualificação do evento também foi referenciada pelo presidente do MTG. Nairoli destacou o esforço conjunto de entidades, empresa e poder público para montar uma verdadeira cidade farroupilha dentro da capital. "Nesses 50 anos do Movimento Tradicionalista, temos um compromisso, assinado em carta de princípios, de, mais do que resgatar nossa história, nossos costumes, nossa cultura, trabalhar junto com todos para o desenvolvimento e auxiliar o estado nos seus desafios", afirmou.
Os shows do Grupo Folclórico Chaleira Preta e de Elton Péricles foram as últimas atrações do Acampamento Farroupilha 2016. Agora, até o dia 30 de setembro, acontece o período de desmonte dos piquetes, para que o parque seja devolvido nas mesmas condições em que foi cedido.
Acampamento Farroupilha 2016 - As atividades culturais começaram no dia 3 de setembro com as oficinas do projeto Turismo de Galpão. São 365 piquetes autorizados e 67 entidades envolvidas. O Acampamento Farroupilha é uma realização da Prefeitura Municipal de Porto Alegre, coordenada pela Secretaria Municipal da Cultura, em parceria com o Movimento Tradicionalista Gaúcho (MTG), através da Fundação Cultural Gaúcha.
Patrona - As atividades do Acampamento Farroupilha deste ano tiveram, pela primeira vez, o comando de uma mulher, a patrona Neusa Secchi. Natural da cidade de Passo Fundo, é graduada em História e pós-graduada em Folclore pela Faculdade de Música Palestrina de Porto Alegre. Neuza foi presidente da Comissão Gaúcha de Folclore e Conselheira da Comissão Nacional de Folclore.


/20_de_setembro /acampamento_farroupilha

Texto de: Melina Fernandes
Edição de: Manuel Petrik
Autorizada a reprodução dos textos, desde que a fonte seja citada.

Turismo de Galpão alcança recorde de público

Foto: Divulgação/PMPA

Espaço de Hospitalidade recepcionou 52 mil pessoas interessadas em informações Espaço de Hospitalidade recepcionou 52 mil pessoas interessadas em informações
Foto: Divulgação/ PMPA
Oficinas do Turismo de Galpão reuniram 1.917 participantes Oficinas do Turismo de Galpão reuniram 1.917 participantes
Em sua quinta edição no Acampamento Farroupilha, o projeto Turismo de Galpão bateu recorde de público este ano, tanto no Espaço de Hospitalidade quanto nas oficinas e atividades de interação e aprendizagem com a cultura regional e as tradições gaúchas oferecidas durante os 18 dias do evento, encerrado oficialmente nesta terça-feira, 20.
Galpão de 200 metros quadrados que é o centro de referência do Turismo de Galpão dentro do Parque Harmonia, o Espaço de Hospitalidade recepcionou 52 mil pessoas interessadas em informações sobre o projeto Turismo de Galpão e o próprio acampamento. Ou seja, um fluxo quase duas vezes maior que o registrado na edição anterior, em 2015, de 27 mil pessoas. Além da presença expressiva de porto-alegrenses (mais de 25 mil pessoas), destaca-se o fluxo de visitantes de 62 cidades do Rio Grande do Sul, de turistas de 23 estados brasileiros e de 21 países. O atendimento foi diário no Espaço de Hospitalidade, entre 9h e 22h.
Oficinas práticas - As oficinas e atividades de interação com a cultura e tradições gaúchas do projeto Turismo de Galpão reuniram 1.917 participantes, outro recorde. Deste público, foram 899 porto-alegrenses, 512 gaúchos de 48 cidades do interior do RS, 421 turistas de 17 estados brasileiros e 85 visitantes de 12 países entre os quais Estados Unidos, Portugal, Alemanha, Japão, Áustria, Uruguai, Argentina, China, México e Costa Rica. A presença de estrangeiros é registrada desde 2013, quando ocorreu a primeira edição do projeto no Parque Harmonia. “Podemos afirmar que 2016 foi o ano de consolidação do Turismo de Galpão como um produto turístico diferenciado, e que pode ser oferecido tanto no mercado nacional como internacional”, avalia o secretário municipal de Turismo, Luiz Fernando Moraes.
Durante o acampamento, foram oferecidas 158 oficinas, todas realizadas no ambiente dos 40 piquetes parceiros e com conteúdos da culinária regional, das danças folclóricas e de salão, dos ritmos musicais regional, das atividades campeiras, de resgate da história, dos usos e costumes do RS. As atividades foram diárias, entre 11h e 19h. O projeto incorporou nesta edição uma novidade: o 1º Festival Comida de Galpão, que promoveu a valorização da culinária regional pelas mãos de reconhecidos chefs e cozinheiros da Capital em um movimento de transformação da cozinha gaúcha em alta gastronomia.


/acampamento_farroupilha /turismo

Texto de: Eliana Zarpelon
Edição de: Manuel Petrik
Autorizada a reprodução dos textos, desde que a fonte seja citada.

Comida campeira criativa atrai público no Acampamento Farroupilha

Foto: Ricardo Giusti/PMPA

O 1º Festival Comida de Galpão foi integrado ao evento deste ano O 1º Festival Comida de Galpão foi integrado ao evento deste ano
Foto: Ricardo Giusti/PMPA
Treze cozinheiros difundem a culinária gaúcha na perspectiva da alta gastronomia Treze cozinheiros difundem a culinária gaúcha na perspectiva da alta gastronomia
O Espaço de Hospitalidade, ponto de referência do projeto Turismo de Galpão dentro do Acampamento Farroupilha, está tomado nesta terça-feira, 20, de diferentes aromas e sabores da comida campeira em pratos originais especialmente preparados e servidos ao público por 13 criativos cozinheiros de Porto Alegre. A novidade no Parque Harmonia, onde a oferta gastronômica predominante durante a festa das tradições costuma ser o tradicional churrasco, é o 1º Festival Comida de Galpão, integrado ao evento deste ano pelo Turismo de Galpão com a proposta de difundir a culinária gaúcha na perspectiva da alta gastronomia.

Bonito e bom - Foi isso que comprovaram os cozinheiros e atraiu a curiosidade do público, que a partir das 11h pôde experimentar o resultado de diferentes técnicas de cozinha, temperos e combinações em porções servidas no estilo “comida de rua” dentro do Espaço de Hospitalidade. Com ambiente animado por música gaúcha feita ao vivo por gaita e violão do piquete Gaudério de São Pedro.

Frequentador assíduo do Acampamento Farroupilha, o porto-alegrense Roberto Machado programou conferir a novidade quando assistiu uma reportagem pela televisão. “Voltei ontem do Rio de Janeiro e hoje estou aqui para experimentar”, anunciou o visitante assim que entrou no Espaço de Hospitalidade. Sua escolha foi a costela bovina assada em forno por 12 horas, depois defumada na churrasqueira em brasa de galhos de árvores frutíferas e acompanhada de arroz cremoso de queijo colonial. “Além de bonito, um prato muito bom e totalmente diferente da costela que a gente está acostumada a comer, do jeito tradicional”, disse Machado, satisfeito com a escolha por uma nova comida.
 
Não foi diferente com a psicóloga paulistana Gisele Santos de Souza. Assim como outras quatro amigas, ela veio ao Estado para um congresso na área de saúde realizado na Serra Gaúcha e, juntas, decidiram ficar em Porto Alegre quando souberam, ainda no Aeroporto Salgado Filho, do Acampamento Farroupilha. “Decidimos dormir uma noite na Capital para hoje pegar esta festa linda dos gaúchos e encontramos este festival neste espaço totalmente receptivo e agradável”, comentou Gisele antes de escolher o prato que iria degustar. “Excelente, totalmente delicioso e novo pela textura, maciez da carne e as combinações do prao”, aprovou a paulistana que optou por porco assado à baixa temperatura servido com moranga ao modo tradicional, picles de moranga ácida e azeite defumado preparado com brasa e especiarias. Gisele pode experimentar a especiaria ouvindo música gaúcha feita ao vivo por gaita e violão de integrantes do piquete Gaudério de São Pedro, parceiro do projeto Turismo de Galpão na realização de oficinas da cultura gaúcha abertas aos visitantes.
 
Pratos até 21h - Ao todo, entre 11h e 16h, a primeira equipe de cozinheiros – Gabriela Zilio, Allan Santos, Ramiro Saldanha, Raphael Dittrich e Ju Crasoves – preparou cinco pratos diferentes. O cardápio incluiu ainda duo de rabanada com mel campeiro e doce de abóbora em calda; polenta campeira com cubos de bacon, charque desfiado puxado em oliva e crispies de couve; e cordeiro desfiado servido sobre batata dos pampas que leva linguiça, manteiga e queijo colonial, tudo temperado com geleia de hortelã!
 
A partir das 16h, assumem o preparo de outros pratos os cozinheiros Glauber Santos, Charles Mendes, Aky’re Moura, Zuleica Correia, Israel Bertamoni e Tiago Varela. Os visitantes do Acampamento Farroupilha poderão comer, até às 21h, arroz de vazio e aipim crocante; rabada cítrica com purê de batata doce; matambre recheado com moranga caramelada, farofa de milho, salada de trigo e espuma de erva mate; sanduíche de paleta de porco com chicória de alho, queijo colonial e mostarda de bergamota; e pudim de leite. Os tickets para consumo dos pratos são vendidos no local, a R$ 20 a porção.


/acampamento_farroupilha /turismo

Texto de: Eliana Zarpelon
Edição de: Manuel Petrik
Autorizada a reprodução dos textos, desde que a fonte seja citada.

1.500 cavalarianos participam do Desfile de 20 de Setembro

Foto: Ricardo Giusti/PMPA

Integrantes de 67 entidades tradicionalistas desfilaram no evento da Capital Integrantes de 67 entidades tradicionalistas desfilaram no evento da Capital
Foto: Ricardo Giusti/PMPA
Festejos Farroupilhas encerram-se com a extinção da Chama Crioula nesta terça Festejos Farroupilhas encerram-se com a extinção da Chama Crioula nesta terça
Milhares de pessoas foram até a avenida Edvaldo Pereira Paiva para prestigiar o desfile cívico e tradicionalista de 20 de setembro, na manhã desta terça-feira. O prefeito José Fortunati acompanhou o evento, que começou com a revista à tropa e honras militares ao governador José Ivo Sartori. Os dois assistiram ao desfile junto com o presidente do Movimento Tradicionalista Gaúcho (MTG), Nairoli Callegaro.
Pela avenida, desfilaram equipes e viaturas da Brigada Militar, Polícia Civil, Superintedência de Serviços Penitenciários (Susepe), Instituto Geral de Perícias, Colégio Tiradentes e do 4º Regimento de Polícia Montada. Em seguida, integrantes das 67 entidades tradicionalistas da Região Metropolitana de Porto Alegre e cerca de mil e quinhentos cavalarianos percorreram o trajeto do viaduto Abdias do Nascimento até a Rótula das Cuias. O piquete do Orçamento Participativo também marcou presença no desfile.
Fortunati destacou a importância do Desfile Farroupilha para valorizar a cultura gaúcha. "Num momento em que muitos dos valores éticos e morais são postos a prova, com as crises ética, política, moral e econômica que enfrentamos, esse evento nos lembra não só as nossas origens e a nossa história. Comemorar o 20 de setembro também significa lembrar o quanto é fundamental mantermos nossos princípios, tão presentes na cultura e nas tradições gaúchas, de cidadania, de trabalho, de perseverança, de união", afirmou o prefeito.
A estimativa do MTG é de que cerca de 10 mil pessoas tenham acompanhado o desfile. Os Festejos Farroupilhas encerram-se nesta terça-feira, 20, com a extinção da Chama Crioula, no Acampamento Farroupilha. O ato está marcado para as 18h30, no Parque Maurício Sirotsky Sobrinho (Harmonia).
 


/20_de_setembro /acampamento_farroupilha

Texto de: Melina Fernandes
Edição de: Manuel Petrik
Autorizada a reprodução dos textos, desde que a fonte seja citada.

19 de setembro de 2016

Extinção da chama marca o fim dos Festejos Farroupilhas

Foto: Joel Vargas/PMPA

Solenidade acontece às 18h desta terça-feira, 20
Solenidade acontece às 18h desta terça-feira, 20
Nesta terça-feira, 20 de setembro, acontece a extinção da Chama Crioula. A solenidade marca o encerramento oficial das atividades do Acampamento Farroupilha às 18h, com a presença do prefeito José Fortunati e de representantes das instituições organizadoras.
Os shows do Grupo Folclórico Chaleira Preta (20h) e Elton Péricles (20h30) celebram o final das atividades do Acampamento Farroupilha. O fim dos espetáculos está previsto para 21h30.
Até o dia 30 de setembro acontece o período de desmonte dos piquetes, para que o “parque seja devolvido nas mesmas condições em que nos foi cedido, sem nenhuma das instalações que não pertencem ao parque”, explica Nilto Otto, vice-presidente Administrativo do MTG.


/acampamento_farroupilha

Texto de: Luciano Medina Martins
Edição de: Manuel Petrik
Autorizada a reprodução dos textos, desde que a fonte seja citada.

Mais de 1,5 mil cavalarianos estarão no desfile de 20 de setembro

Expectativa é de que mais de 10 mil pessoas acompanhem o evento

Expectativa é de que mais de 10 mil pessoas acompanhem o evento
A manhã desta terça-feira, dia 20 de setembro, será marcada pelos desfiles cívico e tradicionalista, em Porto Alegre. O evento inicia às 9h na av. Edvaldo Pereira Paiva e terá a participação da Brigada Militar, Polícia Civil, Instituto Geral de Perícias, Superintendência de Seviços penitenciários (Susepe) e Movimento Tradicionalista Gaúcho. Segundo o presidente do MTG, Nairo Callegaro, devem desfilar, aproximadamente, 1.500 cavalarianos, representando 67 entidades tradicionalistas da Região Metropolitana de Porto Alegre. É obrigatória a apresentação da Guia de Trânsito de Animais. A previsão de público é de cerca de 10 mil espectadores.
O desfile percorrerá a avenida Edvaldo Pereira Paiva, saindo do viaduto e seguindo em direção à avenida Aureliano de Figueiredo Pinto. A dispersão ocorre a partir do cruzamento da Edvaldo Pereira Paiva com a avenida Ipiranga. Agentes de fiscalização de trânsito e transporte da Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC) irão monitorar a circulação.


/acampamento_farroupilha

Texto de: Luciano Medina Martins
Edição de: Manuel Petrik
Autorizada a reprodução dos textos, desde que a fonte seja citada.

Convite abertura exposições Vestígios e Lá Fora Primavera - 21 set, 19h

 


 

A Associação Chico Lisboa e artistas

convidam para a abertura e visitação das exposições:

 

Vestígios e Lá Fora Primavera 2016

 

Na Chico Lisboa Espaço Cultural,

dia 21 de setembro (quarta-feira), às 19h.

Travessa Venezianos, 19.

Porto Alegre/RS

 

Apresentação

da soprano Andiara Mumbach e do violonista Marcel Estivalet,

em parceria com a Casa da Música POA, às 20h.

 

Confira os eventos em:

www.chicolisboa.com.br

www.facebook.com/associacaochicolisboa

www.facebook.com/events/365105930545786/

www.casadamusicapoa.com.br

 

 

 

 

 

Associação Chico Lisboa

Travessa Venezianos, 19 - Cidade Baixa
Porto Alegre/RS - Brasil, CEP 90050-370

De segunda a sexta-feira, das 14h às 18h

(51) 3224.6678

chicolisboa@chicolisboa.com.br

www.chicolisboa.com.br

blog: chicolisboa.com.br/2016/

www.facebook.com/associacaochicolisboa

twitter: @chicolisboaarte

instagram: @chicolisboaarte

 

 


 

18 de setembro de 2016

Acampamento Farroupilha recebe 310 mil pessoas no fim de semana


Cerca de 310 mil pessoas estiveram no Acampamento Farroupilha neste fim de semana. Conforme avaliação da Brigada Militar, nessa sexta-feira, 16, foram 70 mil visitantes, nesse sábado, 17, 100 mil pessoas visitaram o local, e neste domingo, 18, outras 140 mil pessoas. A convergência de pessoas para o Parque Maurício Sirotsky Sobrinho - Estância da Harmonia, na avaliação do coordenador da Tradição e Foclore da Secretaria da Cultura de Porto Alegre, Giovani Tubino, é resultado da qualidade dos espetáculos oferecidos no Palco Central e da diversidade de atividades nos piquetes e em outras áreas do Acampamento, além da temperatura agradável.
 
Os shows de Os Fagundes, Yangos e Dante Ramón Ledesma  ocorreram na noite deste domingo, 18, concentrando um público de quase 10 mil pessoas em frente ao Palco Central. Todos os shows no Palco Central têm acesso gratuito. Também não há cobrança de ingresso para entrar no Acampamento Farroupilha. "Não é necessário estar pilchado para visitar o Acampamento", destaca Tubino. Confira a programação cultural do Acampamento Farroupilha e tudo que vai acontecer no Palco Central clicando aqui


/acampamento_farroupilha

Texto de: Luciano Medina Martins
Edição de: Andrea Brasil
Autorizada a reprodução dos textos, desde que a fonte seja citada.

Acampamento: apresentação de danças tradicionais atrai visitantes



O Espaço da Hospitalidade foi palco da demonstração de danças tradicionais na tarde deste domingo, 18. A oficina, realizada pela Invernada Juvenil do CTG Chimangos, atraiu a atenção visitantes do Acampamento Farroupilha que estavam presentes no espaço do projeto Turismo de Galpão. A atividade faz parte da programação do projeto.
 
A apresentação foi iniciada com o Maçanico e na sequência o Xote Carreirinha. O tatu de castanholas, com ascendência espanhola, foi dançado na sequência. O grupo também demonstrou como dançar o Caranguejo e a Dança de Sete Voltas. Após a demonstração, as prendas e os peões convidaram os visitantes para aprender os passos do Maçanico. A paulista Rosana Fagardo arriscou dançar a música típica gaúcha e aprovou a experiência. “É muito bonito e foi muito divertido”, comentou. A paulista de Santo André revelou, ainda, que veio para Porto Alegre especialmente para conhecer o Acampamento Farroupilha. “Mais tarde vou participar da oficina de churrasco”, contou.
 
Oficinas - As oficinas são diárias e ocorrem até o dia 20. A maioria das atividades é gratuita, e algumas terão intérprete para inglês e espanhol. A programação completa do Turismo de Galpão pode ser acompanhada pelo site www.portoalegrecriativa.info. As inscrições para as oficinas e atividades do Turismo de Galpão devem ser feitas no Espaço de Hospitalidade, localizado próximo à entrada principal do Parque Harmonia, ao lado do Centro de Eventos Casa do Gaúcho. 
 
O local é o ponto de referência e de informações sobre toda a programação e de recepção aos visitantes que são atendidos por recepcionistas que dominam outros dois idiomas (inglês e espanhol). Ali também são disponibilizados materiais impressos sobre as atividades, mapa com a localização dos galpões que participam do Acampamento Farroupilha, além de informações turísticas da cidade. O Espaço de Hospitalidade do Turismo de Galpão funciona diariamente, das 9h às 22h. O projeto Turismo de Galpão é uma iniciativa das secretarias de Turismo (SMTUR) e da Cultura (SMC), da 1ª Região Tradicionalista e da Fundação Cultural Gaúcha.
 
Festival - Este ano, o projeto traz como uma das atrações o 1º Festival Comida de Galpão, idealizado por Clarisse Chawrtzmann, nacionalmente conhecida como 'A Churrasqueira', que reunirá no Espaço de Hospitalidade alguns dos mais importantes chefs e cozinheiros do Rio Grande do Sul na criação de cardápios de valorização da culinária regional. No dia 20 de setembro, diferentes pratos da culinária gaúcha, preparados a partir da leitura contemporânea de criativos cozinheiros da cidade, estarão disponíveis ao público. O custo é de R$ 20 por porção.
 
Linha Turismo - O city tour oficial de Porto Alegre se integrará aos festejos farroupilha fazendo uma parada especial no roteiro Centro Histórico, entre 3 e 20 de setembro, junto ao Parque Harmonia. Os passageiros que estiverem no passeio poderão desembarcar para visitar o acampamento, o Espaço de Hospitalidade, interagir com a cultura gaúcha em oficinas do Turismo de Galpão e reembarcar, usando a mesma passagem, em um dos ônibus Linha Turismo que passarão pelo local de hora em hora, entre 10h05 e 16h05, aproximadamente.


/acampamento_farroupilha

Texto de: Cristiane Serra
Edição de: Andrea Brasil
Autorizada a reprodução dos textos, desde que a fonte seja citada.

Festival Comida de Galpão será aberto ao público nesta terça



Foto: Divulgação/PMPA
Pratos serão servidos entre 11h e 21h no Espaço de Hospitalidade Pratos serão servidos entre 11h e 21h no Espaço de Hospitalidade
Novidade levada pelo projeto Turismo de Galpão ao Acampamento Farroupilha deste ano, o 1º Festival Comida de Galpão oferecerá ao público do evento nesta terça-feira, 20 de setembro, opções gastronômicas da culinária campeira preparadas por 13 criativos cozinheiros da Capital. Os pratos serão servidos no Espaço de Hospitalidade/Turismo de Galpão, entre 11h e 21h, a R$ 20 a porção. O Espaço de Hospitalidade fica localizado próximo à entrada principal do Parque Harmonia, ao lado do Centro de Eventos Casa do Gaúcho.
 
No evento gastronômico, o público poderá ver de perto os profissionais aplicando sua leitura contemporânea em produtos genuinamente gaúchos, aliando à sua criatividade a simplicidade e a autenticidade da comida de galpão.  As especialidades serão servidas em bancas, no estilo comida de rua em versão gaudéria.
 
Idealizado pela gaúcha Clarice Chwartzamnn, nacionalmente conhecida como A Churrasqueira, que tem promovido a gastronomia e a tradição gaúcha pelo país em cursos de churrasco para mulheres, o 1º Festival Comida de Galpão tem o apoio da Secretaria Municipal de Turismo (SMTUR) no resgate e valorização da gastronomia como uma das mais expressivas manifestações da cultura gaúcha.
 
O projeto Turismo de Galpão é realizado no Acampamento Farroupilha desde 2013, abrindo as portas de piquetes parceiros na oferta ao público de oficinas e atividades ligadas às tradições gaúchas. O projeto  é uma iniciativa da SMTUR e da Secretaria Municipal de Cultura (SMC), da 1ª Região Tradicionalista e da Fundação Cultural Gaúcha. A maioria das atividades é gratuita, e algumas têm intérprete para inglês e espanhol.
 
A programação completa das oficinas e atividades do Turismo de Galpão pode ser acompanhada pelo site www.portoalegrecriativa.info ou diretamente no Espaço de Hospitalidade.

Cozinheiros programados para o dia 20 de setembro e seus respectivos cardápios:
 
Manhã (das 11h às 16h)
Gabriela Zilio – Costela defumada e arroz cremoso de queijo colonial
Allan Santos – Rabanada com Mel Campeiro
Simara Garcia – Purê de aipim com ragout de vitela e farofinha de banana
Ramiro Saldanha – Cordeiro desfiado com batata dos pampas
Raphael Dittrich – Porco assado em baixa temperatura, moranga, picles e azeite defumado.

Tarde (das 16h às 21h)
Glauber Santos e Charles Mendes – Arroz de vazio e aipim crocante
Aky’re Moura – Peixe na taquara e vinagrete
Zuleica Correia – Pudim de Leite
Israel Bertamoni e Tiago Venturella – Matambre recheado com moranga caramelada, farofa de milho, salada de trigo e espuma de erva mate.
Marília Fernandes e Fran Garzella – Sanduíche de paleta de porco com chicória de alho, queijo colonial e mostarda de bergamota.


/acampamento_farroupilha

Texto de: Eliana Zarpelon
Edição de: Andrea Brasil
Autorizada a reprodução dos textos, desde que a fonte seja citada.

Acampamento Farroupilha recebe 100 mil pessoas neste sábado

Foto: Luciano Medina Martins/Divulgação PMPA

Movimento é intenso no Parque Maurício Sirotsky Sobrinho Movimento é intenso no Parque Maurício Sirotsky Sobrinho
A expectativa até o fim deste sábado, 17, é que 100  mil pessoas circulem no Acampamento Farroupilha, confirma Giovani Tubino, coordenador da Tradição e do Folclore da Secretaria da Cultura de Porto Alegre e presidente da Comissão Organizadora dos Festejos Farroupilhas de Porto Alegre. Na avaliação de Tubino além das condições climáticas favoráveis, sol e calor, as programações culturais como o Festival de Chula, que aconteceu pela manhã são atrativos culturais que chamam a atenção do público. Outro fator que Tubino destaca como atrativo de público é a atividade de gravação de programas de televisão com apresentações artísticas com nomes muito conhecidos no cenário da música regional.
À tarde, no Palco Central, seguem as apresentações realizadas pelo DTG Poncho Verde. À noite, no Palco Central, apresentam-se o Grupo Quero Quero e Marcelo Caminha das 19h até as 23h. Todos os shows no Palco Central tem acesso gratuito. Não existe a cobrança de ingresso para entrar no Acampamento Farroupilha


/acampamento_farroupilha

Texto de: Luciano Medina Martins
Edição de: Manuel Petrik
Autorizada a reprodução dos textos, desde que a fonte seja citada.

CTG Tiarayu vence o desafio farroupilha




Musica mais alegre, dançarinos focados e parcerias. Tanto com outros grupos do CTG, como do Gildo véio
Um "reality show" dos pampas. O "Desafio Farroupilha", que começou desafiando o cantor Cristiano Quevedo à laçar, prolongou-se em 2015, com o desafio dos cantadores do Rio Grande, destacando jovens talentos, este ano passou para a grande paixão dos tradicionalistas, a dança tradicional.
CTG Tiarayu afastou a "zica" que persegue o grupo e já tinha virado brincadeira interna. Assina: É campeão
Muito mais que a dança, o desafio mostrou para a sociedade gaúcha, para os leigos em relação a esta paixão, o que move jovens que trabalham de dia, estudam a noite e ensaiam de madrugada e nos finais de semana. Que enfrentam a falta de recursos financeiros, as vezes físicos, o descaso de autoridades, enfrentam o afastamento do "lazer", e acabam transformando aquela lida em seu lazer, enfrentam também a tristeza da derrota no rodeio e a felicidade da vitória. A sociedade conheceu parte desses jovens. São milhares.
CTG Ronda Charrua, manteve o estilo guerreiro, mesmo com uma nova temática
Foram finalistas, o CTG Tiarayu, de Porto Alegre, e o CTG Ronda Charrua, de Farroupilha. Eram duas tribos se enfrentando. De uma lado os Charruas e de outro os Guaranís. Outro grupo finalistas, também de origem indígena, o GAN Ivi Maraé, ou Ivi Maraei (terra sem males, dos Guaranis), que recebeu o titulo de campeão do voto popular, pela internet. Como coincidências não existem, a grande final teve tres grupos representando os indígenas.
Fotos: Deivis Bueno - Estampa da Tradição - as melhores fotos para seu evento
Trabalhos sensacionais foram apresentados. Na comissão nada mais nada menos que João Carlos D'Avila Paixão Cortes, ao lado de Cadica, Gaúcho da Fronteira, Rosana Orlandi, entre outros. As fotos dessa pagina, por conta de Deivis Bueno, da Estampa da Tradição.
Bastante criticado no inicio, o "Desafio" promovido pelo Repórter Giovani Grizotti, principalmente por grupos de outros estilos (como os que dançam o FEGADAN), trouxe a tona a vida do dançarino de CTG, independente do estilo. A grande preocupação era de quem amava mais ou se sacrificava mais. Mas na verdade, partindo para o "macro", o importante mesmo era mostrar para a sociedade o que fazem estes jovens, que do seu modo, ao seu jeito, preservam as tradições do Rio Grande, tanto quanto os laçadores, trovadores, cantores, declamadores, ou simplesmente, tomando um mate ou comendo um bom churrasco. Mas a dedicação deles em busca do sonho, ou do objetivo, é a mesma, independente do estilo.

O programa "BAH" da RBS já é um sucesso. Com uma ótima direção, à frente dele a Rosana Orlandi, o Fernando Alencastro, na apresentação o Neto Fagundes, o Giovani (que teve a ideia e fez acontecer), o Cesar Oliveira e o Rogério Mello, que se originaram dentro dos grupos em São Gabriel. Só podia ser sucesso. Não podemos deixar de falar na prenda da RBS, a Carla Fachin (Já que, a outra prenda, está aguardando o momento de dar a luz a seu primogênito, Shana Muller).

DEZ MOTIVOS PARA COMEMORAR A GUERRA DOS FARRAPOS.

autoria: LEO RIBEIRO DE SOUZA
Sobre o porque de comemorar "uma guerra que perdemos" (segundo alguns historiadores ressentidos), eu respondo:
1° - Comemoro a insubmissão de um povo a uma Monarquia, chamando a atenção da Corte para uma Província esquecida e explorada nos confins da república.
2º - Comemoro a bravura de quem, com menos homens, armas e cavalos, mas sobrando valentia, enfrentou por dez anos o Império deixando marcos históricos como a Batalha do Seival, a Tavessia dos Lanchões de Garibaldi e a Fuga de Bento Gonçalves.
3º - Comemoro o surgimento nesta terra de heróis como o General Antônio de Souza Netto, Coronel Teixeira Nunes e da 1ª Brigada de Cavalaria dos Lanceiros Negros.
4º - Comemoro o fato de, apesar dos esparsos recursos probatórios, não nos acomodarmos com as definições e rebuscarmos a veracidade histórica de passagens como a Batalha dos Porongos.
5 - Comemoro porque a "guerra que perdemos" nos deu uma identidade própria, diferenciada, no Sul do Brasil.
6º - Comemoro poder cantar, como em nenhum outro Estado brasileiro, o Hino da minha terra, e ver fulgurar em milhares de eventos o pavilhão tricolor surgido naquele decênio heroico.
7° - Comemoro porque essa epopeia foi um dos motivos para o surgimento de um movimento cultural que fez avivar nosso folclore através da musicalidade, das danças, dos cinemas, dos rodeios, expandindo-se para o resto do mundo, aonde houver um gaúcho.
8º - Comemoro o orgulho que ainda resta, apesar da violência, da pobreza educacional, enfim, da falência monetária desta outrora pujante Província de São Pedro.
9 º - Comemoro porque, graças a "petulância" dos Farroupilhas, a cada mês de setembro eu posso rever meus amigos de causa e tradição.
10° - Comemoro para saborear o desgosto dos escritores "rio-grandenses" (e seus asseclas) que se indignam com a minha comemoração.
www.blogdoleoribeiro.blogspot.com
"um chasqueiro virtual da cultura gaúcha"

17 de setembro de 2016

Acampamento Farroupilha tem 36 pontos de alimentação


O Acampamento Farroupilha oferece 36 pontos de alimentação que oferecem de sequência de peixe ao medalhão de picanha. Além dos pontos de alimentação dentro do Acampamento encontra-se supermercado, açougue e padaria com café e pão quentinho várias vezes por dia. Carlos Rogério Farias e Raquel de Quevedo, os proprietários da produtora que organiza a comércio de alimento informa que é exigido de todos os estabelecimentos
o Certificado de Boas Práticas da Saúde que é obtido por curso de 16 horas ministrado pela Secretaria Municipal da Saúde. Além do certificado os estabelecimentos que comercializam alimentos são obrigados a ter, conforme o tamanho do estande, de 2 a 8 funcionários que sejam brigadistas anti-incêndio.
 
Este ano, além das bancas com doces e cocadas, que já são tradicionais, voltou ao acampamento o Moranguinho com Chocolate de Canela. A novidade de 2016 fica por conta do Burger Taka, de propriedade de Takatoshi Susuki. Inspirado em uma receita de Burger servido no japão Takatoshi  contratou a chef Isabela Ferreira para desenvolver as receitas de hamburger goumet, Takatoshi já atua no ramo de lanches faz 30 anos em Porto Alegre mas pela primeira vez participa do Acampamento Farroupilha com seu food truck. 

Costelão - 
A Churrascaria do Gringo, em frente ao Palco Central do Acampamento, já virou ponto turístico no Acampamento Farroupilha. Com as churrasqueiras todas a mostra protegidas só por paredes de vidro centenas de pessoas fazem selfies em frente aos castelões 12 horas. “É muito legal participar de um evento que mostra a cultura gaúcha. Recebemos pessoas do Brasil todo que querem conhecer o famoso costelão”, explica a proprietária Patrícia da Silva que está pelo terceiro ano participando do acampamento. “Veio gente de Goiás que queria experimentar a paleta de ovelha, e nós preparamos especialmente para eles”, relata Patrícia. Segundo a proprietária ano passado foram servidos 50 toneladas do costelão durante só no restaurante dela. Um grande número de piquetes também prepara o tradicional costelão inclusive sob encomenda para grupos. 


/acampamento_farroupilha /cultura

Texto de: Luciano Medina Martins
Edição de: Manuel Petrik
Autorizada a reprodução dos textos, desde que a fonte seja citada.

Festival de chula atrai artistas de todo o Estado

Neste sábado, dia 17, a partir das 9h da manhã até as 15h, acontece o Festival de Chula do Acampamento Farroupilha. O festival é competitivo e premia os melhores nas categorias mirim, juvenil, adulto e veterano. O acesso ao Palco Central para assistir as apresentações é gratuito. 


Os ganhadores serão escolhidos por três avaliadores: Leandro Gasparotto, que é avaliador do Encontro de Artes e Tradição Gaúcha (Enart); Vínicius Coelho e Lúcio Mauro, ambos foram campeões estaduais de chula. O Festival de Chula está em sua quinta edição. Para o diretor artístico da 1ª Região do MTG, Carlos Rogério Farias “o sapateado é uma arte, e este Festival é uma forma de valorização desta arte”, explica. O festival não para ao meio dia, “uma vez que os artistas se aquecem eles não param até o fim do festival” esclarece Farias, que é o organizador do festival.
 
Os prêmios em dinheiro são um incentivo e ajuda no custeio dos artistas, muitos vindos de longe, explica Farias que ressalta o fato de que os inscritos vem de todas as regiões do Estado do Rio Grande do Sul. A o primeiro colocado da categoria mirim recebe R$250 o segundo colocado recebe R$150. O primeiro colocado da categoria juvenil recebe R$350 e o segundo colocado R$250. Na categoria adulta o primeiro colocado recebe R$450 e o segundo colocado recebe R$350, e na categoria veterano o primeiro colocado recebe R$250 e o segundo colocado recebe 150. Os número de passos também é observado: cinco passos para a categoria mirim, seis passos para a juvenil, sete passos para a adulta e cinco passos para os veteranos. 
 


/acampamento_farroupilha /cultura

Texto de: Luciano Medina Martins
Edição de: Manuel Petrik
Autorizada a reprodução dos textos, desde que a fonte seja citada.

16 de setembro de 2016

Chimarrão e culinária campeira são atração do Turismo de Galpão


Foto: Divulgação/PMPA
A bebida típica será ensinada em três oficinas nesta sexta-feira A bebida típica será ensinada em três oficinas nesta sexta-feira
Símbolo da hospitalidade do povo do Rio Grande do Sul, o chimarrão será tema de oficinas do Turismo de Galpão nesta sexta-feira, 16. Os visitantes do Acampamento Farroupilha também poderão aprender sobre gastronomia gaúcha. O projeto, ainda, oferece atividades que contam a história e lendas do Estado.
A programação começará às 11h, com duas oficinas que ensinam a preparar a bebida típica dos gaúchos, realizadas pelo Piquete Tropeiros do Asfalto e CTG Lanceiros da Zona Sul. No mesmo horário, o Piquete Laços de Sangue abre a porteira e convida os visitantes a fazer um resgate ao passado com a atividade Galpão Rural: Exposição de objetos antigos. Esta oficina será oferecida também nos horários 15h e 19h.
A oficina Carreta e Carreteiro: um pouco da história do nosso pago acontecerá na Fazendinha, às 15h.  No mesmo horário, o Piquete Lendas do Sul mostrará o modo de preparo do bolinho de chuva. Ainda na área da gastronomia, outra iguaria campeira será ensinada, às 15h: pastel de carreira. O quitute será preparado pelo Piquete Panela de Gancho, que também irá fazer café de chaleira.
O Piquete Estância das Águas realizará duas atividades nesta sexta-feira. A primeira ocorrerá às 15h e contará a origem do chimarrão e como fazer a bebida. Já a segunda oficina da entidade tradicionalista será às 19h e abordará as lendas e histórias do Estado. O legítimo churrasco gaúcho será tema da oficina do DTG 12 de Outubro, também às 19h.
As inscrições para as oficinas e atividades do Turismo de Galpão devem ser feitas no Espaço de Hospitalidade, localizado próximo à entrada principal do Parque Harmonia, ao lado do Centro de Eventos Casa do Gaúcho. O local é o ponto de referência e de informações sobre toda a programação e de recepção aos visitantes que são atendidos por recepcionistas que dominam outros dois idiomas (inglês e espanhol). Ali também são disponibilizados materiais impressos sobre as atividades, mapa com a localização dos galpões que participam do Acampamento Farroupilha, além de informações turísticas da cidade. O Espaço de Hospitalidade do Turismo de Galpão funciona diariamente, das 9h às 22h.
O projeto Turismo de Galpão é uma iniciativa das secretarias de Turismo (SMTUR) e da Cultura (SMC), da 1ª Região Tradicionalista e da Fundação Cultural Gaúcha. A maioria das atividades é gratuita, e algumas terão intérprete para inglês e espanhol. A programação completa do Turismo de Galpão pode ser acompanhada pelo site www.portoalegrecriativa.info.
Festival - Este ano, o projeto traz como uma das atrações o 1º Festival Comida de Galpão, idealizado por Clarisse Chawrtzmann, nacionalmente conhecida como 'A Churrasqueira', que reunirá no Espaço de Hospitalidade alguns dos mais importantes chefs e cozinheiros do Rio Grande do Sul na criação de cardápios de valorização da culinária regional. No dia 20 de setembro, diferentes pratos da culinária gaúcha, preparados a partir da leitura contemporânea de criativos cozinheiros da cidade, estarão disponíveis ao público. O custo é de R$ 20, por porção.
Linha Turismo - O city tour oficial de Porto Alegre se integrará aos festejos farroupilha fazendo uma parada especial no roteiro Centro Histórico, entre 3 e 20 de setembro, junto ao Parque Harmonia. Os passageiros que estiverem no passeio poderão desembarcar para visitar o acampamento, o Espaço de Hospitalidade, interagir com a cultura gaúcha em oficinas do Turismo de Galpão e reembarcar, usando a mesma passagem, em um dos ônibus Linha Turismo que passarão pelo local de hora em hora, entre 10h05 e 16h05, aproximadamente.



/acampamento_farroupilha /turismo

Texto de: Cristiane Serra
Edição de: Jandira Davila Feijó
Autorizada a reprodução dos textos, desde que a fonte seja citada.

Acampamento: projetos culturais encerram atividades no domingo


Foto: Divulgação/ PMPA
Visitantes descobrem técnicas do churrasco gaúcho em piquete
Visitantes descobrem técnicas do churrasco gaúcho em piquete
Em 2016 todos os 365 piquetes desenvolveram projetos culturais, condição para a presença das entidades no Acampamento Farroupilha. Os projetos culturais tiveram início em 2004 e desde lá são avaliados pelo Movimento Tradicionalista Gaúcho (MTG) que envia avaliadores a cada um dos piquetes e atribui uma nota que expressa a qualidade dos projetos. A nota varia de 5 a 10 e os critérios de avaliação são a criatividade dentro do tema escolhido, a coerência com o tema dos Festejos Farroupilhas, o comprometimento com a tradição, cultura e folclore gaúcho, o ambiente adequado no espaço onde será executado o projeto cultural, a caracterização do ambiente de acordo com o tema abordado e a pontualidade na execução do projeto cultural.

Cada projeto tem um dia e hora para ser apresentado aos visitantes, e a avaliação acontece durante esta apresentação. A partir da avalição é feito um ranking dos projetos culturais, o que para Leandro Riva, coordenador dos Projetos Culturais do Acampamento Farroupilha, propicia a possibilidade de melhora. Durante o período da Copa do Mundo de 2014, o ranking foi utilizado para selecionar os piquetes que participaram do Acampamento Farroupilha Extraordinário.  Este ano, em vez da premiação dada em outros anos aos projetos culturais, as entidades receberão a Comenda Simões Lopes Neto, que marca a atividade cultural. A comenda marca também a passagem dos 100 anos de falecimento de Simões Lopes Neto.
Domingo, 18, encerra-se a avaliação dos projetos culturais que Leandro Riva considera o “ponto alto da presença das entidades no Acampamento”.  Os projetos culturais também propiciaram o surgimento do Turismo de Galpão, que em seu primeiro ano, 2013, se valeu do ranking de notas para escolher os piquetes participantes, explica Natália Medeiros, da Secretaria Municipal de Turismo. “Neste ano, no acampamento foram oferecidas 150 oficinas pelos 40 piquetes integrantes do projeto”, conta Natália. Leandro Rivas ressalta que os projetos culturais e o Turismo de Galpão fizeram com que o Acampamento deixasse de ser um evento feito por “tradicionalistas para tradicionalistas” e passasse a ser um evento feito por “tradicionalistas para a população em geral”. Clique aqui e veja lista completa de projetos culturais e as datas e horários de suas apresentações.  


/acampamento_farroupilha

Texto de: Luciano Medina Martins
Edição de: Jandira Davila Feijó
Autorizada a reprodução dos textos, desde que a fonte seja citada.

15 de setembro de 2016

Secretário e equipe participam de reunião no Conselho Estadual de Cultura




Na tarde desta quarta-feira (14), o secretário de Estado da Cultura, Victor Hugo, participou de reunião no Conselho Estadual de Cultura (CEC).
4307cc4b-73e1-47a5-a26a-f55fc1ac6ac0
Este foi o primeiro contato pessoal do secretário com os novos conselheiros, representantes da sociedade civil, eleitos em agosto. Victor Hugo fez um relato das ações desenvolvidas por sua gestão desde janeiro de 2015.
0f103bf1-e9f5-4c32-9ab6-3a7e610a0b22
No encontro, o secretário atendeu o pedido dos conselheiros para uma rotina de reuniões com o CEC e deflagrou o processo de elaboração da nova Instrução Normativa (IN) do Sistema Pró-Cultura RS, para 2017. Com este objetivo, será designada uma comissão paritária da Secretaria de Estado da Cultura (Sedac) e CEC para este fim.
Também participaram da reunião o secretário Adjunto, André Kryszczun, a diretora de Economia da Cultura, Érica Lewis, o coordenador do Sistema Pró-Cultura RS, Rafael Bale  e a chefe de Gabinete, Simone Adriano.

14 de setembro de 2016

Pão caseiro é ensinado em oficina no Acampamento Farroupilha

14/09/2016 17:38:37

Foto: Divulgação/PMPA
Passo a passo da receita foi mostrado em forno campeiro
Passo a passo da receita foi mostrado em forno campeiro
Foto: Divulgação/PMPA
As oficinas são diárias e ocorrem até o dia 20 de setembro
As oficinas são diárias e ocorrem até o dia 20 de setembro
O CTG Laço da Querência, do Clube do Professor Gaúcho, abriu as porteiras do seu galpão no Acampamento Farroupilha para ensinar turistas e porto-alegrenses como preparar pão caseiro. A atividade ocorreu na tarde desta quarta-feira, 14, e faz parte da programação do Turismo de Galpão.

No comando dos ingredientes e do forno campeiro, Zeli de Castro Moreira mostrou o passo a passo da receita que aprendeu com a mãe.  Entre as dicas valiosas que repassou aos participantes, Zeli contou que retira a brasa do forno campeiro e assa o pão apenas com o calor. “O forno está pronto quando as paredes internas estão vermelhinhas”, disse. Para fazer no forno a gás ou elétrico, segundo a instrutora, a temperatura deve ser 180 graus. Independente do tipo de forno, o pão leva em média de 35 a 40 minutos para assar. 

Outro segredo de Zeli é o deixar o fermento crescer. “Misturo um pouquinho de água morna, açúcar e um colher de fermento biológico e deixo crescer”, revelou.  Atentas as dicas da cozinheira, Maria Neusa Plinio Pineiro e Shirlei Regina Vilar da Costa Pineiro, sogra e nora, receptivamente, gostaram da atividade. “O pão fica com um sabor diferente, vou tentar fazer em casa”, comentou Maria.
 
A mineira Ana Paula da Silva Lara, que chegou em Porto Alegre no dia 12 para conhecer o Acampamento Farroupilha, aprovou a experiência. “Ano passado estive aqui em março e falaram para eu visitar a cidade durante o Acampamento Farroupilha”, comentou. Sobre a iguaria campeira, a mineira não titubeou: Adorei e vou fazer em Minas.
 
Receita- Zeli começou a receita com o preparo do fermento e na sequência misturou um quilo de farinha de trigo com quatro colheres de açúcar e uma colher de sal. Depois acrescentou um ovo e quatro colheres de óleo e mexeu bem. O próximo ingrediente adicionado foi o fermento. O passo seguinte foi amassar a mistura e deixar descansar por uma hora, após este tempo sovou novamente e o colocou na forma e deixou crescer. Depois levou ao forno aquecido. A receita rende dois pães.
 
Oficinas – As oficinas são diárias e ocorrem até o dia 20. A maioria das atividades é gratuita, e algumas têm intérprete para inglês e espanhol. A programação do Turismo de Galpão pode ser acompanhada pelo site www.portoalegrecriativa.info. As inscrições para as oficinas e atividades do Turismo de Galpão devem ser feitas no Espaço de Hospitalidade, localizado próximo à entrada principal do Parque Harmonia, ao lado do Centro de Eventos Casa do Gaúcho. 
 
O local é o ponto de referência e de informações sobre toda a programação para os visitantes que são atendidos por recepcionistas que dominam outros dois idiomas (inglês e espanhol). Ali também são disponibilizados materiais impressos sobre as atividades, mapa com a localização dos galpões que participam do Acampamento Farroupilha, além de informações turísticas da cidade. O Espaço de Hospitalidade do Turismo de Galpão funciona diariamente, das 9h às 22h. O projeto Turismo de Galpão é uma iniciativa das secretarias de Turismo (SMTUR) e da Cultura (SMC), da 1ª Região Tradicionalista e da Fundação Cultural Gaúcha.
 
Festival -Uma das atrações deste ano é o 1º Festival Comida de Galpão, idealizado por Clarisse Chawrtzmann, nacionalmente conhecida como A Churrasqueira, que reunirá no Espaço de Hospitalidade alguns dos mais importantes chefs e cozinheiros do Rio Grande do Sul na criação de cardápios de valorização da culinária regional. No dia 20 de setembro, diferentes pratos da culinária gaúcha, preparados a partir da leitura contemporânea de criativos cozinheiros da cidade, estarão disponíveis ao público. O custo será de R$ 20, por porção. 


/acampamento_farroupilha /turismo

Texto de: Cristiane Serra
Edição de: Manuel Petrik
Autorizada a reprodução dos textos, desde que a fonte seja citada.