Postagem em destaque

Justiça cassa mandato do Conselho Municipal de Cultura de Porto Alegre

A decisão do juiz José Antonio Coitinho, titular da 2ª Vara da Fazenda Pública de Porto Alegre, em Mandado de Segurança impetrado p...

31 de janeiro de 2016

Victor Hugo: o desafio da gestão cultural em meio à crise


Victor Hugo destaca ampliação do Pró-Cultura
Foto: MARCO QUINTANA/JC

Michele Rolim e Ricardo Gruner
Após 12 meses no comando da Secretaria Estadual de Cultura, o músico e jornalista Victor Hugo (PMDB) fala sobre seu primeiro ano de gestão e explica seus planos para a área cultural gaúcha, também afetada pelo corte de gastos gerado pela crise das finanças públicas. 

JC - Viver - Como está hoje o financiamento da cultura?
Victor Hugo- Eu sou defensor do ponto de vista conceitual de que o Pró-Cultura seja um sistema conjugado e paritário, o mesmo tamanho que tiver a renúncia fiscal da LIC tem que ter para o Fundo de Apoio à Cultura (FAC). As condições objetivas do governo não nos permitem isso - é um governo que trabalhou com um déficit de R$ 5 bilhões. Espero que, até o fim do nosso período aqui, eu consiga deixar a comunidade cultural em um ambiente menos distanciado entre a política da renúncia fiscal e a política do FAC. Os números para 2016 são os seguintes: R$ 35 milhões de LIC e R$ 13 milhões de FAC, a relação ainda é muito distante, e sempre foi distante. Eu pretendo editar uma nova instrução para o sistema LIC, a partir de fevereiro. Uma futura LIC que em alguns momentos seja mais parecida com a política do FAC.
Viver- Sobre o Projeto de Lei (PL) nº 506/2015, a classe artística defende que duas proposições deste projeto, efetivamente, retiram recursos na área de cultura. O senhor concorda?

Hugo- Ele dizia que os recursos para 2016 serão de R$ 35 milhões, como foram em 2015. Essa é a minha primeira divergência com as pessoas que criticaram o PL 506. Não há e não houve redução do valor disponível, os números atestam isso. A LIC que o Antônio Britto criou previa 0,5% (cinco décimos por cento) da receita corrente líquida, este valor nunca foi nem no governo Britto, nem nos governos posteriores - quando o governo Yeda alterou a lei primeira e criou o Pró Cultura dizia que os recursos seriam de até 0,5%. Naquela revisão do Pró Cultura de 2010, foi criada uma trava para redução, entrava o trecho: não podendo ser inferior de um ano para outro - isso impedia, via lei, a prática de redução. 

Viver - Como ficou então?
Hugo- A Secretaria da Fazenda, apresentando o quadro de dificuldades das finanças públicas do Estado, argumentou o seguinte: essa trava engessa a possibilidade de um futuro remanejamento para menos, e esta foi a cota de solidariedade, que eu, secretário da Cultura, como homem de governo, dei à Secretaria da Fazenda, no momento que concordei com a saída da trava. Mas o fato de que eu dou minha cota de solidariedade na crise não quer dizer que abdico do meu papel institucional pela manutenção e até mesmo pela ampliação dos R$ 35 milhões. O segundo aspecto do PL é aquele que tirava o acréscimo de R$ 6 milhões para as ações especiais. Em 2013, a gestão anterior criou um acréscimo neste valor. E o governo anterior o que criou, executou? Executou zero. Em 2014, executou R$ 2,8 milhões. O que aconteceu agora? O PL tirou o acréscimo. As ações especiais podem ser colocadas dentro dos R$ 35 milhões, elas não deixaram de existir. Eu parabenizo a gestão que conseguiu criar, com a Secretaria da Fazenda da época, esse acréscimo, agora eu não tenho esse acréscimo. Entendo que não houve retrocesso.

 Viver- Sobre o condomínio cênico do Hospital São Pedro, os grupos que lá estão permanecem, e os pavilhões ficarão mesmo para a cultura?
Hugo- Acho que faltou, no começo dessa história, um edital que legitimasse o ingresso via seleção pública para os grupos e que teria a possibilidade de ser renovados. Se eu fosse começar isso, no passado, começaria diferente. Os grupos e a comunidade cultural consideravam ilegítimo que a relação acabasse. Não pode soar tão estranho que algo um dia se acabe, mas não pode acabar também de forma abrupta, e neste sentido é importante que o governo considere o interesse dos grupos, do acumulado dessa experiência artística, o aspecto social. Eu também vejo do ponto de vista da economia da cultura. Sou artista também, estamos falando da manutenção dos grupos e das suas famílias. Outro aspecto é a questão da legitimidade do governo de criar um plano para a área como um todo - é muito grande, mais que os seis pavilhões. Em 2015, pedi a renovação do convênio, mas entendia que a legitimidade é de quem é dono do prédio. Quando chegou em um ponto dessa discussão, me dei conta de que o prédio, não o trabalho dos grupos, é tombado pelo patrimônio histórico. Solicitei todo o processo de tombamento. Pedi para que o governo reabrisse a questão sobre a ótica do patrimônio histórico cultural, sobre os seis prédios tombados. Mas o fato de que um bem é tombado automaticamente obriga que ele tenha destinação cultural? Não obriga, mas é de praxe. Isso reconfigurou a cena, e acabamos garantindo destinação cultural para esses pavilhões. A preferência é de assegurar a manutenção desses grupos. Precisamos caminhar de mãos dadas. 

Viver- No ano passado, um dos vencedores do edital de incentivo à pesquisa em artes cênicas do Teatro de Arena recebeu o prêmio atrasado, depois que já havia inclusive cumprido temporada. O outro que ganhou em 2015 deve realizar apenas neste ano por conta do pagamento. O edital do prêmio será aberto em 2016?
Hugo- Para este ano, pretendo, de novo, anunciar o prêmio do Arena. Ele vai ter recursos do FAC, é uma diferença de rubrica. Vamos criar um FAC só para contemplar essa necessidade, mas vamos ter a mesma dificuldade de pagamento do caixa único - FAC ocorre via caixa único. 

Viver - Antes, o recurso vinha de onde?
Hugo - Do custeio. Ele concorria com os recursos para água, terceirizados, limpeza. A conta de custeio dessa secretaria é enorme. 

Viver - Há anos, fala-se que o Museu de Arte Contemporânea (MAC-RS) pode ganhar uma sede própria. Como está essa situação?
Hugo- Tenho muito respeito para com as experiências anteriores, mas uma das coisas que vi na gestão pública é o que chamo de boas ideias pela metade. Em tese, todo mundo é a favor de ideias culturais. Mas se tu chegares aqui, "secretário, tive uma ideia maravilhosa, vamos criar uma instituição na Sedac", vou responder imediatamente: não. Só admito falar nisso quando as minhas instituições não estiverem vivendo o grau de precariedade histórica. Entendo que foi meritória a criação do MAC-RS lá no governo Collares. Por que a boa ideia ficou pela metade? Porque criar uma instituição é pensar no seu acervo, e o do MAC é maravilhoso, mas instituição é também sede, pessoal. A gestão tem que ser cuidadosa. Eu havia solicitado o prédio da Rua da Ladeira com Andrade Neves, esse que foi invadido, para que ele fosse destinado à Sedac para abrigar o MAC. Na ocasião, a resposta da Casa Civil foi que havia outro planejamento.

Viver
- Isso foi antes da ocupação Lanceiros Negros?

Hugo- Sim. Infelizmente, não obtive a autorização para instalar ali o MAC. Hoje (terça-feira) ainda tive reunião com a diretora do museu (Ana Aita), e ela identificou outra possibilidade de prédio. Ela segue buscando. Espero que consigamos sanar essa dificuldade histórica.

Viver - Sobre as salas da Casa de Cultura Mario Quintana, haverá editais para ocupação?

Hugo- Não existe definições de editais. Estou refletindo, porque a CCMQ deve entrar em restauro interno. E obra é variável incontrolável. Já está em curso a obra da incubadora cultural RS Criativo, instalada na Casa de Cultura no andar antes ocupado pela Biblioteca Pública - que já retornou para a casa antiga, restaurada. O RS Criativo, até o fim do ano, irá oferecer cursos de qualificação para players que queiram gerar receita, investimento e oportunidade na área da cultura.

Viver - Há perspectivas para institutos como o do Livro (IEL) e do Cinema (Iecine) nos próximos anos?

Hugo- Ainda estou validando os planejamentos deles para 2016. Comecei pela realização da política de fomento, não adianta planejar sem fomento. Minha primeira pauta com os diretores foi essa política. Estou trabalhando com eles novos editais por áreas - privilegiando a ação de todas as instituições da Sedac. Haverá também, pela primeira vez, um edital regional. Vejo a secretaria como um financiador.

Viver
- Qual a situação do impasse em relação à Sala Sinfônica da Ospa?

Hugo- Quando assumi, a posição era a seguinte: licitação em curso, a empresa vencedora que começou a obra identificou um descompasso na primeira parte - que não foi feita com recursos licitados do Estado. A empresa em questão disse que poderia prosseguir na obra, fazer ajustes, mas ampliava o valor em R$ 7 milhões. Então orientei minha assessoria que trabalhasse no distrato. Chamei o segundo lugar, e o primeiro, em seu direito legítimo, foi ao Poder Judiciário e disse que tinha coisas a tirar de lá e um dinheiro a receber pelo que fez. Na visão da empresa, seria R$ 1,1 milhão. Mas a área técnica da Secretaria de Obras diz que é pouco mais de R$ 100 mil. Não há base legal para fazer acordo. Gestor público só tem que cumprir lei e, muitas vezes, o cumprimento da lei não responde ao tempo que a sociedade espera. A justiça nomeou um perito, e ele já entregou sua posição. Agora, a decisão é do juiz. No momento em que a Justiça disser que temos que pagar, poderemos chamar o segundo lugar. Pelo que fui informado pela minha assessoria, a segunda empresa dirá se quer fazer e, então, tem que tirar do valor dela o que já foi pago. É um assunto muito complexo.

Viver
- Há receio de que as obras não sejam retomadas?

Hugo- A obra da Ospa é do Ministério da Cultura e governo do Estado. Vivo no Brasil, vi a luta que meu colega ministro Juca (Ferreira, da Cultura) tem feito inclusive para manter os recursos de sua pasta. É a mesma que faço aqui. Os cortes do Ministério da Fazenda em todas as áreas são imensos. A continuidade depende dos repasses da união. Até o momento, não padecemos de nenhum corte. A política do RS Criativo flui normalmente, o repasse para revitalização dos prédios flui normalmente.

Viver
- O Margs será revitalizado neste ano?

Hugo- Ele está na lista dos quatro prédios do PAC Cidades Históricas: Margs, Memorial, Museu Júlio de Castilhos e Museu Hipólito da Costa. Até 10 de fevereiro, nós vamos receber o projeto arquitetônico. São recursos para recuperação de prédios. Isso é um exemplo de recurso a fundo perdido. Quando cheguei aqui, havia a sinalização. No primeiro ano, fizemos a contratação dos projetos arquitetônicos. Qual a meta para 2016? Contratação da licitação das obras.

Viver
- Como está a relação com os colegiados setoriais?

Hugo- O colegiado é integrado por pessoas que não têm cargo no governo, mas são representantes dos setores da comunidade cultural - a lei prevê que eles são órgãos auxiliares da política pública dos secretários. Estavam regularizados três colegiados: teatro, dança e circo. Outros estamos regularizando. A secretaria provocou a reativação desses colegiados, seis foram retomados - o do livro está nesse processo. E foi criado o do artesanato. Na reunião que fiz com meus diretores, informei que haverá um edital do prêmio Ieacen de Artes Cênicas para a dança e deliberei que o prêmio será de R$ 250 mil. O secretário está determinando quantos prêmios e objetos serão premiados? Não, o secretário está transferindo essa composição de resultado aos institutos vinculados a ele e aos colegiados. Por isso, a necessidade de mantê-los ativos e organizados. O colegiado de dança já deliberou que, dos R$ 250 mil do edital do Ieacen, serão cinco prêmios de R$ 50 mil para circulação dos espetáculos. Isso acho importante: o caminhar do governo com a sociedade.


Fonte: Jornal do Comércio

29 de janeiro de 2016

Última edição da Descida da Borges acontece nesta sexta

Foto: Luciano Lanes / PMPA
Samba Puro, União da Vila do IAPI e Embaixadores do Ritmo estarão na avenida
Samba Puro, União da Vila do IAPI e Embaixadores do Ritmo estarão na avenida
A Descida da Borges acontece nesta sexta-feira, 29, às 21h, com início da concentração uma hora antes. Da última edição do evento antes do Carnaval participam as seis primeiras colocadas de 2015 do Grupo Especial: as escolas Samba Puro, União da Vila do IAPI e Embaixadores do Ritmo.

O evento tem como finalidade reviver os antigos carnavais que aconteciam no Centro da cidade. "O espírito do Carnaval no Centro não pode se apagar e deve ser permanentemente renovado. A Borges de Medeiros é um marco do Carnaval, destaca o coordenador de Manifestações Populares da Prefeitura de Porto Alegre, Joaquim Lucena.”

As escolas passam pela mesma pista onde desfilavam até os anos 1960. Para o público, é a chance de ver em primeira mão o que as entidades estão preparando para levar ao Complexo Cultural do Porto Seco. Para as escolas, será um grande ensaio pré-carnavalesco para as baterias.

Programação

20h50 – Samba Puro
21h40 – União da Vila do IAPI
22h50 – Embaixadores do Ritmo
 


/carnaval /cultura
Texto de: Yanlin Costa (estágiaria)/ Supervisão: Cleber Saydelles
Edição de: Isabel Cristina Kolling Lermen
Autorizada a reprodução dos textos, desde que a fonte seja citada.

28 de janeiro de 2016

Secretaria da Cultura anuncia edital Regional do FAC para 2016



Iniciativa inédita na história do Fundo de Apoio à Cultura, edital garantirá distribuição de recursos para todas as regiões, estabelecendo cotas para cada uma das 9 regiões funcionais do estado.
O anúncio de um edital do Fundo de Apoio à Cultura, foi feito pelo secretário de Estado da Cultura, Victor Hugo, em palestra realizada no Fórum Inter-regional de Cultura, organizado pelo Conselho dos Dirigentes Municipais de Cultura (Codic), vinculado à Federação dos Municípios do Rio Grande do Sul (Famurs), realizado na Ulbra de Torres.
Secretário Victor Hugo falou sobre as ações de 2015
Secretário Victor Hugo falou sobre as ações de 2015
“Ainda estamos definindo as regras do edital, mas a ideia é que contemplemos 18 projetos ao todo, garantindo uma isonomia para as regiões”, afirmou Victor Hugo.
Victor Hugo apresentou o relatório de Gestão da Sedac com o balanço das principais ações realizadas em 2015. Como uma das principais ações o secretário citou a aprovação do Plano Estadual de Cultura (Lei 14.778/15) e o início do trabalho de consolidação do Sistema Estadual de Cultura (Lei 14.310/13). “Os municípios devem estar alinhados e fazer sua lição de casa para que cada um tenha seu Plano, Fundo e Conselho Municipal de Cultura. Assim estaremos juntos consolidando o Sistema Estadual e trabalhando na busca por mais recursos para a cultura”. Acrescentou ainda, que a equipe da Sedac está apta e pronta a ajudar nas orientações aos municípios sobre o procedimento para esses passos.
Ao citar os três princípios norteadores de sua gestão: Normalidade Político –Administrativa, Presença Institucional e Busca por Resultados, o secretário disse que vê no relatório de gestão uma entrega para a comunidade cultural. “Quem como nós está na função pública tem que pensar na entrega e é isso o que estamos fazendo após nosso primeiro ano de trabalho no Governo do Estado”, afirmou.
12647190_1081158688602390_8864454318790736700_n

O diretor de Cidadania e Diversidade Cultural da Sedac, Leoveral Soares, falou sobre o Sistema Estadual de Cultura
O encontro contou também com a presença do diretor de Cidadania e Diversidade Cultural da Sedac, Leoveral Soares, que destacou o trabalho da Comissão Intergestora Bipartite, com integrantes do Codic. “ Em 2016 estaremos definindo os critérios para que os municípios tenham condições de aderir ao Sistema Estadual de Cultura, bem como o assessoramento para que possam ser construídos os Sistemas Municipais”, informou.
Após a palestra o secretário respondeu à perguntas dos dirigentes de 11 municípios que compareceram ao encontro. O evento integra a programação da Assembleia Geral de Verão da Famurs, que teve abertura com participação do governador em exercício, José Paulo Cairolli, e presença do secretário Victor Hugo.
Dirigentes Municipais de Cultura no encontro do Codic
Dirigentes Municipais de Cultura no encontro do Codic

Homologados no Edital de Ocupação dos Teatros Municipais - 1º Semestre de 2016




Relação de inscrições homologadas e não homologadas do concurso nº 20/2015, referentes às categorias de Artes Cênicas, Dança e Música. Prazo para recursos é de 28/1 a 4/2 por e-mail com as devidas coordenações. Dúvidas entrar em contato com as respectivas coordenações, sendo Coordenação de Artes Cênicas: (51) 3289 8062 e 3289 8064 ou cac@smc.prefpoa.com.br; Coordenação de Dança: (51) 3289 8065 tomazzoni@smc.prefpoa.com.br e Coordenação de Música: (51) 3289 8119 ou cm@smc.prefpoa.com.br.

Dança

HOMOLOGADOS

773 – Rejane da Rosa Rodrigues

788 – Suzana Maciel D’Avila

793 – Claudia Corrêa da Silva

798 – Luíza Fischer da Cunha

800 – Fernanda Rispoli Quartieri

815 – Luciana Ibarra dos Santos Sperb

817 – Luciana Ibarra dos Santos Sperb

820 – Marco Aurelio Julio Rodrigues

822 – Marco Aurelio Julio Rodrigues

833 – Lauren Hartz Rosa

837 – Emmanuel Idowu Akinruli

844 – Ângela Ferreira da Silva

848 – Paola de Vasconcelos Silveira

851 – Jackson Willian Silva Brum

854 – Aldo Gonçalves Cardoso Junior

868 – IZABELA LUCCHESE GAVIOLI

880 – LEONARDO JORGELEWICZ

895 – Marco Antonio Filliipin Rodrigues

NÃO HOMOLOGADOS


821 – Carlos Martins Capitão Nerto, motivo: Falta de apresentação do número da DRT

Centro Municipal de Dança abre inscrições para o Grupo Experimental - 2016




Estão abertas até dia 26 de fevereiro as inscrições para os interessados em participar do Grupo Experimental de Dança da Cidade de Porto Alegre. O projeto oferece a oportunidade de formação em dança durante um ano com alguns dos mais importantes profissionais da área no Rio Grande do Sul e a prática de criação artística em grupo.

O programa de curso é gratuito e inclui cinco aulas por semana (de segunda a sexta-feira), com diversas abordagens e estilos como dança contemporânea, dança moderna, educação somática, improvisação, história da dança, entre outras. Num total de aproximadamente 400 horas aula ao ano, de abril a dezembro. Mais de 300 alunos já participaram do projeto que teve no seu corpo docente profissionais como Eva Schul, Jussara Miranda, Cibele Sastre, Neca Machado, Douglas Jung, Alexandre Rittman, Bia Diamante, Didi Pedone, Alessandro Rivellino, entre outros.

O projeto pioneiro e inédito é uma realização do Centro Municipal de Dança, da Prefeitura de Porto Alegre, teve início em 2007 e desde 2011 conta com parceria da Casa de Cultura Mario Quintana e Secretaria de Estado da Cultura - SEDAC-RS.

Na sua curta trajetória o projeto do Grupo Experimental de Dança da Cidade já pôde perceber resultados no âmbito da criação e da formação além das fronteiras do país. Os ex-alunos Marcio Canabarro e Douglas Jung passaram na audição e ganharam bolsa para estudar na Salzburg Experimental Academy of Dance (SEAD), na Áustria. Muitos outros integrantes passaram a atuar em outros grupos ou companhias como coreógrafos, bem como prosseguindo sua formação em dança em centros de excelência no Brasil e no exterior.

CRONOGRAMA:

Inscrições: de 27 de janeiro a 26 de fevereiro


Aulas abertas para seleção (audições): de 28 a 11 de março

Resultado: até 16 de março

Início das Aulas: em 4 de abril


As inscrições estão abertas para alunos e alunas a partir dos 15 anos. Os interessados devem enviar carta de interesse, ficha de inscrição e breve currículo para a Coordenação de Dança da Secretaria Municipal da Cultura, (Av. Érico Veríssimo, 307) através do endereço eletrônico: tomazzoni@smc.prefpoa.com.br.
Outras informações pode ser obtidas através do fone 3289.8065 e 3289.8063.



FICHA DE INSCRIÇÃO – Grupo Experimental de Dança de Porto Alegre

Nome:
Endereço:
Telefone:
E-mail:
Data nascimento:
Breve currículo: (informações profissionais/ de formação)

O projeto do Grupo Experimental de Dança da Cidade oferece aulas gratuitas. Para o preenchimento das vagas públicas, solicitamos aos interessados que respondam as questões abaixo, contribuindo para a seleção da turma com melhor aproveitamento.

1. Você tem disponibilidade de freqüentar aulas em um turno de segunda a sexta-feira?
( ) Manhã, das 9h às 12h
( ) Tarde, 14h as 17h
( ) Noite, 18h as 21h
( ) Qualquer um dos turnos

2. Você tem condições de chegar pontualmente às aulas?
( ) sim ( )às vezes ( ) não

3. Você tem condições de assumir o período de aulas de abril a dezembro?
( )sim ( ) parcialmente PQ?

4. No caso de oferta de participação em outro curso ou grupo você teria de:
( ) avaliar a proposta ( ) manter o compromisso com o Grupo Experimental de Dança (GED)

5 . Você tem alguma dificuldade financeira para freqüentar as aulas diariamente?
( ) sim ( ) não ( )talvez

6. Você tem alguma viagem ou compromisso já assumido que possa afastá-lo do GED por mais de uma semana ao longo do ano?
( ) sim Qual?
( ) não

7. Caso surja uma oportunidade de trabalho ou estágio remunerado no mesmo turno das aulas do grupo você:
( ) avaliaria ( ) não aceitaria ( ) teria de aceitar

8. Você está disposto(a) a freqüentar todas as aulas oferecidas no programa do projeto, independente de suas preferências ou identificação:
( ) sim ( ) talvez

9. Durante o ano podem ser planejadas performances e apresentações públicas. Você estaria disponível para participar dessas atividades?
( ) sim ( ) talvez PQ?

10. Qual tipo de aulas você tem maior interesse?
11. Você tem algum problema de saúde ou lesões que exijam cuidado especial durante aulas práticas e que precisem ser informados aos professores?

27 de janeiro de 2016

Seleção de Novos Bailarinos para Companhia Municipal de Dança





A Secretaria Municipal da Cultura e Secretaria Municipal de Educação estão com as inscrições abertas até dia 10 de fevereiro para seleção de Bailarinos/Bailarinas para a Cia Municipal de Dança de Porto Alegre. A Cia Municipal de Dança de Porto Alegre é um projeto de profissionalização que prevê aulas, ensaios e apresentações públicas e o trabalho com o perfil diversificado de intérpretes.

Desde 1940, a classe artística de Porto Alegre projeta caminhos para que a capital gaúcha tenha a sua Companhia Municipal de Dança. O projeto começou a se tornar realidade em 1995, quando a primeira Conferência Municipal de Cultura colocou a criação da Companhia entre as suas pautas. A partir daí, essas assembleias, que traziam as principais reivindicações a partir de demandas da classe artística, já apontavam para a necessidade de profissionalização da dança na Capital. O piloto começou no primeiro semestre de 2014, quando a Companhia abriu edital de seleção. Em junho, já começou a funcionar com os 20 bailarinos selecionados. Essa conquista reflete a intensa produção independente da dança na capital gaúcha.

As inscrições serão recebidas até o dia 10 de fevereiro de 2016, no Centro Municipal de Dança – (Av. Erico Verissimo, 307), de segunda à sexta, no horário das 9h às 11h 30min e das 14h às 17h 30min.



Mais informações acesse o Edital.

25 de janeiro de 2016

Carnaval 2016: novo regulamento define mudanças nos desfiles

Foto: Betina Carcuchinski/PMPA
Os desfiles deste ano serão realizados entre as terças-feiras 2 e 9 de fevereiro
Os desfiles deste ano serão realizados entre as terças-feiras 2 e 9 de fevereiro
Já está em fase adiantada a montagem das estruturas que vão receber os desfiles oficiais do Carnaval 2016 no Complexo Cultural do Porto Seco. O evento deste ano tem mudanças em relação aos anteriores. Os desfiles serão realizados em um intervalo de uma semana, entre as terças-feiras 2 e 9 de fevereiro. A antiga Muamba será substituída por duas noites denominadas Ensaios Técnicos, na terça e na quarta que antecedem o Carnaval. Cada uma delas terá a participação de cinco escolas do Grupo Especial, entre as 20h30 e a 1h20. As escolas que integravam os grupos de Acesso e Intermediário A disputam o chamado Grupão.

Os desfiles oficiais serão realizados em três noites. Na sexta-feira, 5, desfilam seis escolas do Grupão e três do Especial, Unidos do Capão, Imperatriz Dona Leopoldina e Acadêmicos de Gravataí. No sábado, 6, vão para a passarela a convidada Esporte Dá Samba e as outras sete do Grupo Especial: Bambas da Orgia, Estado Maior da Restinga, Embaixadores do Ritmo, Império da Zona Norte, Unidos de Vila Isabel, União da Vila do IAPI e Imperadores do Samba. No domingo, desfilam as duas tribos, Os Guainazes e Os Comanches e as outras nove entidades do Grupão.

O Desfile das Campeãs será realizado na terça-feira, 9, quando desfilam a tribo campeã, a primeira e a segunda colocadas do Grupão e as seis primeiras do Especial.

Novo Regulamento - Os novos grupos que formam o Carnaval de Porto Alegre foram definidos pela próprias entidades carnavalescas. O regulamento, divulgado pela Liga Independente das Escolas de Samba de Porto Alegre (Liespa) apresenta a reorganização do Carnaval para um período de três anos. Para 2016, fica estabelecido o descenso de duas Escolas do Grupo Especial que ficará com oito entidades em 2017, formando a Série Ouro.  Os Grupos A e Acesso serão disputados por um total de doze entidades, sendo que as seis primeiras colocadas formarão, a partir de 2017, um novo Grupo Especial denominado Série Prata. As seis ultimas colocadas juntam-se com as duas que desfilaram na condição de convidadas para formarem o novo Grupo de Acesso, a Série Bronze. Em 2017, então, os três grupos terão a participação de oito entidades. O grupo formado pela duas Tribos, Os Guainazes e Os Comanches permanecem inalterados.

Na disputa para o carnaval 2017, fica estabelecido que da Série Ouro descem duas agremiações e sobe uma da Série Prata. Na Série Prata, acontecerá o descenso de três e o ascenso de uma, e na Série Bronze, o descenso de quatro e o ascenso de uma entidade carnavalesca.

Dessa forma, o Carnaval 2018 terá o Grupo Especial Série Ouro com sete escolas, o Grupo Especial Série Ouro e Especial Série Prata com sete escolas cada um e o Acesso Série Bronze com seis escolas. A partir de então haverá o ascenso e descenso entre os grupos de uma escola a cada ano. Fica previsto para 2019, de acordo com disponibilidade do poder público, a criação de um novo Grupo de Acesso nos carnavais comunitários, onde  as escolas que não conseguiram classificação para as novas séries criadas farão seus desfiles e a campeã deste terá lugar na Série Bronze.

Formação dos grupos até 2018
No Grupo Especial:
2016 - dez entidades
2017 - oito entidades
2018 - sete entidades

No Grupo A  (Grupão):
2016 - 12 entidades  
2017 - oito entidades
2018 - sete entidades

No Grupo de Acesso:
2016 - duas entidades (convidadas)
2017 - oito entidades 
2018 - seis entidades

No Grupo Tribos duas tribos nos anos de 2016, 2017 e 2018.
Calendário de Desfiles 2016

Dia 2 - Ensaio Técnico (Muamba)
Ordem dos desfiles
20h30 - Imperadores do Samba
21h30 - Unidos de Vila Isabel
22h30 - Unidos do Capão
23h30 - Acadêmicos de Gravataí
00h30 - Imperatriz Dona Leopoldina

Dia 3 - Ensaio Técnico
20h30 - Embaixadores do Ritmo
21h30 - Bambas da Orgia
22h30 - Império da Zona Norte
23h30 - União da Vila do IAPI
00h30 - Estado Maior da Restinga

Dia 5 de Fevereiro - Desfile primeira noite
21h25 - Mocidade da Lomba do Pinheiro
22h15 - Filhos da Candinha
23h05 - Fidalgos e Aristocratas
00h00 - Academia de Samba Puro
00h55 - Copacabana
01h50 - Academia de Samba Praiana
02h45 - Unidos do Capão
03h50 - Imperatriz Dona Leopoldina
04h55 - Acadêmicos de Gravataí

Dia 6 de Fevereiro - Desfile segunda noite
20h45 - Esporte dá Samba
22h45 -  Bambas da Orgia
23h50 - Estado Maior da Restinga
00h55 - Embaixadores do Ritmo
02h00 - Império da Zona Norte
03h05 - Unidos de Vila Isabel
04h10 - União da Vila do IAPI
05h15 - Imperadores do Samba

Dia 7 de fevereiro - Desfile terceira noite
21h05 - Tribo Os Guaianazes
21h55 - Tribo Os Comanches
22h45 - Protegidos da Princesa Isabel
23h40 - Unidos de Guajuviras
00h35 - Império do Sol
01h30 - Realeza
02h25 - Acadêmicos da Orgia
03h20 - União da Tinga
04h15 - Unidos da Vila Mapa
05h10 - Escola de Samba da Glória

8 de fevereiro - Apuração - Complexo Cultural do Porto Seco

9 de fevereiro - Desfile das Campeãs


/carnaval /cultura
Texto de: Cleber Saydelles
Edição de: Isabel Cristina Kolling Lermen
Autorizada a reprodução dos textos, desde que a fonte seja citada.

Baile de Carnaval desta quinta é cancelado

Conforme comunicado recebido pela Secretaria Municipal da Cultura, nesta segunda-feira, 25, a organização do 1º Baile da Cidade de Porto Alegre decidiu pelo cancelamento do evento. O baile, realizado pela Top Produtora, estava programado para esta quinta-feira, 28, na Sociedade de Ginástica Porto Alegre (Sogipa), na rua Barão de Cotegipe, 415.



/carnaval
Texto de: Cleber Saydelles
Edição de: Jandira Davila Feijó
Autorizada a reprodução dos textos, desde que a fonte seja citada.

24 de janeiro de 2016

Usina das Artes abre inscrições neste dia 25


Foto: Martha Reichel Reus/Divulgação PMPA
Iniciativa possibilita a ocupação de salas da Usina da Gasômetro Iniciativa possibilita a ocupação de salas da Usina da Gasômetro
A Secretaria da Cultura recebe, de 25 de janeiro a 7 de fevereiro, as inscrições para grupos interessados em participar do projeto Usina das Artes na Usina do Gasômetro (avenida Presidente João Goulart, 551). A iniciativa, que ocorre desde 2005, consiste na cessão de salas da Usina do Gasômetro para grupos de artes cênicas que tenham realizado atividades em Porto Alegre, de forma ininterrupta, nos últimos três anos. O projeto busca possibilitar o desenvolvimento de linguagem desses grupos, priorizando o trabalho continuado dos artistas. 
Inscrições devem ser feitas das 9h30 às 12h e das 14h às 17h30, na direção da Usina do Gasômetro. Serão classificados até 16 grupos (teatro, circo, dança, música e performance) para ocupação de oito salas da Usina, no período de 1 de junho até 31 de maio de 2017. Ao redor de cada grupo selecionado, orbitam uma série de outros grupos convidados que também utilizam os espaços. 
O edital completo pode ser visualizado através do link: http://lproweb.procempa.com.br/pmpa/prefpoa/smc/usu_doc/2016usinadasartes.pdf


/artes
Texto de: Yanlin Costa (estagiária)/ Supervisão: Luciano Medina
Edição de: Jandira Davila Feijó
Autorizada a reprodução dos textos, desde que a fonte seja citada

22 de janeiro de 2016

Ruas da Cidade Baixa ficarão bloqueadas para Carnaval de Rua

to: Joel Vargas/PMPA
O público estimado é de 20 mil pessoas
O público estimado é de 20 mil pessoas
Em razão da realização do Carnaval de Rua da Cidade Baixa, a Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC) informa que as ruas João Alfredo, República e José do Patrocínio ficarão bloqueadas ao trânsito de veículos neste sábado, 23, das 12h às 22h, para os blocos Panela do Samba e Do Jeito que Tá Vai. O público estimado é de 20 mil pessoas.
 
As linhas de ônibus e veículos particulares serão desviados durante o evento. Agentes da EPTC reforçarão o monitoramento na região. 




Veja os trajetos e horários dos blocos:
 
PANELA DO SAMBA
Concentração na João Alfredo com Joaquim Nabuco 
Desfile: João Alfredo
Dispersão: João Alfredo com República
Horário: das 12h às 19h.
 
BLOCO DO JEITO QUE TÁ VAI
Concentração na João Alfredo com República
Desfile: República, José Patrocínio até Largo Zumbi dos Palmares
Dispersão: Largo Zumbi dos Palmares
Horário: das 19h às 22h.


/carnaval /eptc /transito
Texto de: Lucas Barroso
Edição de: Isabel Cristina Kolling Lermen
Autorizada a reprodução dos textos, desde que a fonte seja citada.

Descentralização promove a Muamba do Carnaval do Areal


Foto: Divulgação/PMPA
Samba em Porto Alegre surgiu em bairros pobres como o Areal da Baronesa
Samba em Porto Alegre surgiu em bairros pobres como o Areal da Baronesa
A coordenação de Descentralização da Secretaria Municipal da Cultura promove neste domingo, 24, a partir das 18h, a Muamba do Carnaval do Areal. O evento, incluído nos festejos do Pré-Carnaval de Rua de Porto Alegre, terá sua segunda edição com o desfile do Bloco da Trinca  e das escolas de samba Unidos da Vila Mapa e Imperadores do Samba. O local é berço do samba e do carnaval da cidade, o bairro Cidade Baixa, na rua Barão do Gravataí. A realização é da Prefeitura de Porto Alegre e Secretaria da Cultura em parceria com a Liga Independente das Escolas de Samba de Porto Alegre (Liespa).

Areal da Baronesa – O Carnaval em Porto Alegre surgiu nos bairros pobres como o Areal da Baronesa e Colônia Africana. O Areal tem esse nome por antigamente pertencer à Baronesa (esposa do Barão de Gravataí). O Areal era um reduto totalmente carnavalesco: a partir dos anos 1930 já existem noticias em jornais de grupos com nomes de Ases do Samba, Nós os Comandos, Seresteiros do Luar, Nós os Democratas, Viemos de Madureira, Tô com a vela, Os Caetés e, mais recentemente, os Imperadores do Samba. Todos tiveram origem no Areal. Foi onde surgiu o Rei Negro (Seu Lelé), primeiro Rei Momo Negro da cidade, e os primeiros coretos populares de bairro. Foi, ainda, um dos locais oficiais dos desfiles.


/carnaval
Texto de: Fernanda Quadros Pereira
Edição de: Gilmar Martins
Autorizada a reprodução dos textos, desde que a fonte seja citada.

Ingressos para o Carnaval 2016 serão vendidos nos dias 30 e 31

Foto: Ricardo Giusti/PMPA
É a primeira vez que as vendas será feita em um final de semana
É a primeira vez que as vendas será feita em um final de semana
Os ingressos antecipados para o Carnaval 2016 serão vendidos nos dias 30 e 31, no Centro Municipal de Cultura (av. Erico Veríssimo, 307), das 9h até as 17h. Os ingressos que restarem da venda antecipada serão disponibilizados nas bilheterias do Complexo Cultural do Porto Seco, nos dias de desfiles.

Segundo a carnavalesca Tânia Freitas, membro da equipe da Coordenação das Manifestações Populares da Secretaria Municipal da Cultura, é a primeira vez que as vendas dos ingressos será feita em um final de semana. Ela ressalta que a mudança ocorreu para facilitar o acesso.

Para o dia 5, os ingressos custam R$ 10, para o dia 6, R$ 15, para o dia 9, R$ 10, e para o Grupão custam R$ 5. Crianças até seis anos não pagam. A venda será feita exclusivamente em dinheiro, no limite de dois ingressos para cada pessoa na fila.



/carnaval
Texto de: Cleber Saydelles
Edição de: Jandira Davila Feijó
Autorizada a reprodução dos textos, desde que a fonte seja citada.

EU SÓ QUERIA ENTENDER SOBRE A TVE





Que o Estado anda numa penúria de dar dó ninguém precisa dizer, agente sente. Por isso mesmo não temos cobrado muito das searas culturais. Como investir em cultua do jeito que anda a segurança, a educação, a saúde? Contudo, um fato nos chamou a atenção esta semana. A TV Educativa, que pertence à Fundação Piratini, da Secretaria de Comunicação e Inclusão Digital do Governo do Estado, está fazendo ampla cobertura do Festival de Chamamé na Argentina. Para tanto, deve ter se deslocado com gente e equipamento para a longínqua província de Corrientes. Imagino, também, que pela crise que passa, todas as despesas foram pagas pelos organizadores do evento... Ou não?
O que fico me perguntando é o seguinte: - Por que nossa gloriosa TV E não faz o mesmo dentro do próprio Estado para cobertura de eventos que tenham identidade com o gaúcho? Por que terminaram com a TVE Nos Festivais, um programa lindo, informativo, que trazia até nossos lares o que acontecia nos eventos musicais pelo Rio Grande afora? Será que ir a Corrientes transmitir Chamamé sai mais em conta, é mai autêntico, do que ir a Vacaria fazer tomadas do maior evento cultural gauchesco do mundo e do próprio festival Cante Uma Canção Em Vacaria?
Enquanto nossos gestores priorizarem culturas alheias, enquanto os turistas vierem ao Rio Grande do Sul e não verem nada além de churrascarias, vamos continuar assim, dependendo das iniciativas privadas do MTG, dos organizadores de minguados festivais nativistas e pagando verdadeiras fortunas a quaisquer duplas sertanejas em detrimentos de nossos artistas regionais.

Textos Selecionados do Escritos da Dança



O Centro Municipal de Dança divulga os textos selecionados para publicação da edição Escritos da Dança.
A comissão de seleção foi composta por Wagner Ferraz, Mônica Dantas e Airton Tomazzoni.
O livro será primeira publicação da área editado pela Secretaria Municipal da Cultura e tem previsão de lançamento no mês de março de 2016.
Os textos para o primeiro volume da coleção abordam temas da dança de Porto Alegre nos seus aspectos históricos, sociais, poéticos, políticos ou pedagógicos entre outros, como processos criativos e de composição, histórico de grupos e cias, procedimentos metodológicos do ensino da dança, apreciação de obras coreográficas.

1. Teoria e Pesquisa na Profissionalização em Dança do Ventre, de Brysa Mahaila
2. Pós-colonialismo aplicado à dança: uma perspectiva contemporânea para a Dança do Ventre, de Andréa M. Soares (Muna Zaki)
3. A Trajetória da Coreografa Anette Lubisco, de Priscila Ramos Gagliardi, Christiane Garcia Macedo e Aline Nogueira Haas
4. Oncodance: Um grupo de dança de Porto Alegre composto por mulheres que tiveram ou têm câncer, de Cristina Melnik
5. Contextos da dança no RS, de Carmen Anita Hoffmann e Josiane Franken Corrêa
6. Remix Boom-boom dancidade, de Alessandro Rivellino
7. Eu me faço simples por você: compartilhando memórias, de Raquel Purper
8. A autonomia com principio criativo: um olhar para o processo de ensino do Grupo Experimental de Dança da cidade de Porto Alegre, de Jeferson Cabral
9. Exercício de Escrita, de Paola Vasconcelos
10. Flamenco , a arte, a Del Puerto, de Daniele Zill
11. Dançar pensar provocar, de Lu Trevisan
12. Um olhar de estrangeira, Era Uma Vez Uma Antropóloga No Grupo Experimental De Dança Da Cidade - Porto Alegre/RS, de Emanuelle Maia
13. Uma dança poema, de Luciana Paludo
14. Como mostrar a arte de um grupo em uma coreografia?, de Silvana Pereira Maciel
15. A construção poética de corpos Ditos e Malditos: Um estudo sobre o processo de criação da companhia Terpsí Teatro de Dança, de João Lima
16. Dança Diversa, de Fabiane Póvoa
17. A dança na EMEF Profª Ana Íris do Amaral, de Angela Tonon
18. A História de um Ensaio, de Raquel Vidal Coelho
19. É Errando que se Aprende, de Graziela Silveira
20. A Dança, de Edilene Deleon
21. O Princípio de Atualidade Artaudiano na Dança Contemporânea: Primeiras Imagens - A Sagração de Douglas Jung, de Gabriela Tarouco Tavares
22. Impressões da Dança de Martha Graham em Porto Alegre – um relato de Experiência, de Marilice Bastos Guimarães
23. Suportando a Dança: o Espaço do Movimento e as Composições Plástico-Coreográficas de Zoé Degani, de Lindsay Gianoukas
24. Medicina da Dança Em Porto Alegre, de Izabela Lucchese Gavioli
25. Projeto Pé Na Dança Pé No Mundo, em Aula-Apresentação: em Busca de uma experiência transdisciplinar em anos iniciais do Ensino Fundamental, de Andrea Portella de Azambuja

21 de janeiro de 2016

Carnaval de Rua de Porto Alegre começa neste sábado

Foto: Leonardo Maricato/Divulgação PMPA
Ruas da Cidade Baixa e orla do Guaíba receberão 16 blocos
Ruas da Cidade Baixa e orla do Guaíba receberão 16 blocos
A programação oficial do Carnaval de Rua 2016 foi anunciada pela Secretaria Municipal da Juventude (SMJ) nessa quarta-feira, 20. Na semana passada, a secretaria já havia divulgado as datas, mas faltava a definição sobre os dias das apresentações dos blocos. A partir deste sábado, 23, até o dia 12 de março, 16 blocos passarão pelas ruas da Cidade Baixa e orla do Guaíba. O itinerário e horário de concentração dos blocos devem ser confirmados pela Brigada Militar e Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC) até amanhã, dia 22.

O secretário da Juventude, Diego Buralde, ressaltou o longo processo de discussão envolvendo prefeitura, Ministério Público, Brigada Militar, representações de moradores e comerciantes, blocos e produtoras. Em todas as datas, a dispersão deve ocorrer até às 22h. “Viabilizamos um cronograma que atende aos anseios tanto dos moradores quanto dos foliões. Temos a convicção que o Carnaval de Rua será um sucesso de público e organização", destacou.
Cronograma
Cidade Baixa

- 23 de janeiro (sábado): Panela do Samba e Do Jeito Que Tá Vai
- 30 de janeiro (sábado): Galo de Porto e Maria do Bairro
- 6 de fevereiro (sábado): Banda DK
- 9 de fevereiro (terça-feira): Baile Infantil da Rua do Perdão
- 21 de fevereiro (domingo): Areal do Futuro e Satélite Prontidão
- 12 de março (sábado): Turucutá e Bloco do Isopor

Orla do Guaíba

- 27 de fevereiro (sábado): Filhos Do Cumpadi Washington, Bloco da Trinca e Ziriguidum
- 28 de fevereiro (domingo): Império da Lã, Bloco do Kiridão e Skafolia



/carnaval /juventude
Edição de: Jandira Davila Feijó
Autorizada a reprodução dos textos, desde que a fonte seja citada.

19 de janeiro de 2016

SEDAC anuncia projetos aprovados no Conselho Estadual de Cultura em janeiro



A Secretaria de Estado da Cultura (SEDAC) recebeu do Conselho Estadual de Cultura o resultado da primeira Avaliação Coletiva do mês de janeiro.
Foram aprovados 10 projetos totalizando R$ 1.085.118,03 que poderão ser financiados pela Lei de Incentivo à Cultura (LIC). São eles:
1. Projeto: Bandinha Típica Kronenthal
Produtor: Associação Cultural e Recreativa Kronenthal
Local de realização: Vale Real
Valor Aprovado: R$ 16.144,00
2. Projeto: Bonecos na Escola – 4ª Edição
Produtor: Grupo Pregando Peça
Locais de realização: Cidades ainda não definidas
Valor aprovado: R$ 287.780,00
3. Projeto: Concertos Didáticos com Orquestra
Produtor: Cuco Produções
Locais de realização: Alvorada, Campo Bom, Canoas, Esteio, Guaíba, Novo Hamburgo, Portão e Sapiranga
Valor aprovado: R$ 299.150,00
4. Projeto: Cultura, Sociedade e Igrejas: A comunidade de Arroio do Meio escreve a sua história
Produtor: Núcleo Municipal De Cultura
Local de realização: Arroio do Meio
Valor aprovado: R$ 65.649,18
5. Projeto: Das Galáxias
Produtor: Felipe Bier De Araujo Correa
Cidade: Porto Alegre
Valor aprovado: R$ 139.994,31
6. Projeto: Espaço Cultural Amstad
Produtor: Associação Theodor Amstad
Cidade: Nova Petrópolis
Valor aprovado: R$ 31.693.40
7. Projeto: Expocanto
Produtor: Sindicato De Arroio Grande
Cidade: Arroio Grande
Valor aprovado: R$ 93.256.00
8. Projeto: Magliani – Obra Gráfica
Produtor: Tabla Produtora
Cidade: Porto Alegre e Pelotas
Valor aprovado: R$ 195.867.08
9. Projeto: Retratos Periféricos
Produtor: Associação Artística E Cultural Da Periferia
Cidade: Porto Alegre e Alvorada
Valor aprovado: R$ 235.080,00
10. Projeto: Ubiretama – Um Lugar Na Terra, Mais De Um Século De História
Produtor: Prefeitura Municipal De Ubiretama
Cidade: Ubiretama
Valor R$ 41.320,54
Está prevista ainda para este mês de janeiro a realização de uma segunda Avaliação Coletiva de projetos no Conselho Estadual de Cultura.

15 de janeiro de 2016

Edição de 15 anos do Fórum Social Mundial movimenta a Capital

Foto: Divulgação/PMPA
Evento começa na terça com expectativa de receber 20 mil participantes
Evento começa na terça com expectativa de receber 20 mil participantes
A edição comemorativa de 15 anos do Fórum Social Mundial começa na próxima terça-feira, 19, em Porto Alegre. Até o dia 23, são esperadas cerca de 20 mil pessoas na Capital para fazer um balanço do evento, realizado pela primeira vez na cidade em 2001, e também apontar novas perspectivas por outro mundo possível.

Nomes como o do sociólogo português Boaventura de Sousa Santos, do filósofo espanhol Manuel Castells e do prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, estão entre os confirmados para esta edição, que contará com cerca de 1 mil atividades espalhadas por diversos pontos da cidade (confira a programação completa). O Parque Farroupilha (Redenção), Auditório Araújo Vianna, Câmara de Vereadores, Assembleia Legislativa, Largo Zumbi dos Palmares e o Parque Harmonia serão os principais espaços de atividades.

O desenvolvimento das cidades, as mudanças climáticas e o Orçamento Participativo, três temas essenciais para o fortalecimento da resiliência de Porto Alegre, estarão contemplados nos debates do Fórum. A crise do capitalismo, participação da juventude, cultura de paz, racismo, integração latino-americana e o combate à xenofobia e à homofobia também estão entre as pautas de destaque do evento.

Aos interessados em participar, as inscrições para o FSM 15 anos podem ser realizadas no site ou também na momento dos debates e custam R$ 20.

Marcas registradas - A tradicional Marcha de Abertura do Fórum está agendada para as 18h do dia 19, com saída do Largo Glênio Peres. A concentração para a caminhada, que segue até o Largo Zumbi dos Palmares, inicia-se às 15h, com discursos de representantes da sociedade civil e movimentos sociais, além de apresentações artísticas. Discursos de autoridades, entre elas o prefeito José Fortunati, também estão previstos a partir das 19h, já no Largo. Shows dos cantores Chico César e Nei Lisboa encerram a programação do primeiro dia. 
 
Outro marca registrada do Fórum, o Acampamento da Juventude também será organizado em 2016. Cerca de 3 mil jovens são esperados no Parque Maurício Sirotsky Sobrinho (Harmonia) ao longo do evento. Por conta da infestação do Aedes aegypti, armadilhas para o monitoramento do mosquito foram instaladas no Parque e serão acompanhadas pela Equipe de Vigilância em Saúde de Porto Alegre. Além disso, serão disponibilizados repelentes aos frequentadores do espaço.
 
Um diferencial deste ano também é a disponibilização de uma linha de ônibus que percorrerá os principais espaços de atividades (Parque Harmonia, Assembleia Legislativa, Hotel Embaixador, Redenção, Largo da Epatur e Câmara dos Vereadores). O ingresso para o transporte é gratuito aos que apresentarem o crachá de inscrição. 
 
Programação da Prefeitura - Além da colaboração para a organização do evento, a Prefeitura de Porto Alegre também marcará presença nos debates do FSM 15 anos. A programação, apresentada ao prefeito em reunião nesta sexta-feira, 15, conta, por exemplo, com um balanço das ações na cidades ao longo dos últimos 15 anos, e também com um encontro do Grupo de Apoio em Mega Eventos (Game), que trabalha a conscientização contra a exploração sexual de crianças e adolescentes, com vistas ao planejamento de ações para os Jogos Olímpícos do Rio de Janeiro (confira a programação da Prefeitura no Fórum).
 
No site da Prefeitura ainda estará disponível o mapa com as informações sobre as principais estruturas e programação.
 


/forumsocial
Texto de: Vagner Benites
Edição de: Gilmar Martins
Autorizada a reprodução dos textos, desde que a fonte seja citada.

Baile de Carnaval à moda antiga é atração no dia 28

Foto: Divulgação/PMPA
Evento no salão da Sogipa terá animação da Super Banda Samba Morena
Evento no salão da Sogipa terá animação da Super Banda Samba Morena
Depois de 20 anos, a cidade volta a ter seu baile de gala e fantasia, que acontecerá nos salões da Sogipa (Barão do Cotegipe, 415) no dia 28. O 1° Baile de Carnaval da Cidade de Porto Alegre promete reviver os melhores tempos do carnaval de salão da capital gaúcha. “O evento é um resgate de uma tradição até então adormecida, pois o Carnaval de salão faz parte da cultura popular mas ao longo dos anos foi sendo descaracterizado”, destaca Luiz Henrique Gasparetto, organizador do baile.

A folia terá o comando de Odir Ferreira - a voz oficial do carnaval de Porto Alegre - e do Rei Momo Mauricio Melo, acompanhado de sua corte. O evento contará com atrações como o show da escola campeã de Porto Alegre Imperadores do Samba e a escolha da rainha do baile de carnaval. Com um repertório recheado de sucessos antigos e atuais da música popular, a Super Banda Samba Morena será responsável por animar a festa.

A realização do 1º Baile de Carnaval da Cidade de Porto Alegre é da Top Produtora, com o apoio da Prefeitura de Porto Alegre e da Secretaria da Cultura.

1º Baile de Carnaval da Cidade de Porto Alegre

Local: Sogipa– Sociedade de Ginástica Porto Alegre – Rua Barão de Cotegipe, 415
Data: 28 de janeiro
Horário: a partir das 21h

Ingressos:
Pista R$ 180  e mesa R$ 250
Pontos de venda - Sogipa ou nas lojas Rabusch do Shopping Praia de Belas, Bourbon Wallig, Bourbon Ipiranga e Andradas 1426. 
Outras informações: Top Produtora (51) 8293.0575 com Andressa Gasparetto
E-mail: topprodutora@hotmail.com
Facebook do evento: www.facebook.com/bailedecarnavalpoa/?fref=ts


/carnaval
Texto de: Fernanda Quadros Pereira
Edição de: Gilmar Martins
Autorizada a reprodução dos textos, desde que a fonte seja citada.

Edital Oficineiros descentralização 2016



Está aberto o Edital para seleção de oficineiros 2016 da Descentralização. As inscrições serão recebidas no período de 18 de Janeiro à 19 de Fevereiro de 2016, na Coordenação de Descentralização da Cultura, situada na Av. Presidente João Goulart, 551 – Usina do Gasômetro sala 607, 6º andar de segunda à sexta, no horário das 9h30min às 11h30min e das 14h às 17h30min. Os projetos deverão ser entregues em envelope fechado com toda documentação exigida conforme itens 1.4.1 e 1.4.2 do edital 003/2016. Dúvidas entre em contato através do telefone 32898118 ou email oficinasdescentralizacao@gmail.com. Abaixo segue o link do edital.

http://www2.portoalegre.rs.gov.br/smc/default.php?p_secao=184

SEDAC garante destinação cultural para todos os pavilhões do Hospital Psiquiátrico São Pedro



Secretário Victor Hugo reabre o debate com os grupos que já atuam no local e autoriza sua equipe a prosseguir o processo de renovação do conveniamento para uso dos pavilhões 5 e 6.
12466149_1073988532652739_6667083144085544162_o
O secretário de Estado da Cultura, Victor Hugo, recebeu na manhã dessa sexta-feira (15) os representantes dos grupos teatrais que usam os pavilhões 5 e 6 do Hospital Psiquiátrico São Pedro para ensaios e desenvolvimento dos trabalho cênicos. O objetivo foi informar que a Sedac obteve o aval do governo para assumir todo o complexo dos seis pavilhões com futura destinação de uso exclusivamente cultural.
O novo posicionamento oficial surgiu de reunião realizada na quinta-feira (14) entre o governador em exercício, José Paulo Cairoli, o secretário da Saúde, João Gabardo dos Reis, o secretário da Administração e Recursos Humanos, Eduardo Oliveira, o procurador Geral do Estado, Euzébio Ruschel, além do secretário Victor Hugo.
“A minha posição, até ontem, entendia o protagonismo da Secretaria da Saúde, legitimamente administradora do complexo. Levei para o governo, unicamente, o enfoque do local como Patrimônio Histórico e Cultural do Estado e fiz um apelo para que a Saúde abrisse mão de sua intenção de uso administrativo dos prédios, para que seja garantida a destinação cultural futura de todos os pavilhões. O secretário Gabardo aceitou nossa solicitação, abriu mão dos prédios históricos e um novo acordo foi selado com aval do governador em exercício José Paulo Cairolli”, disse Victor Hugo.
O secretário da Cultura destacou ainda sobre o desdobramento que agora a questão terá e de seu desejo de que seja feito de mãos dadas com os artistas. Lembrou que desde o Governo Rigotto, quando teve sua primeira gestão na pasta da Cultura, já contribuía na busca de uma solução para o uso dos pavilhões.
Os grupos foram representados por Marcelo Restori, Alessandra Carvalho, Desirée Pessoa e Giancarlo Carlomagno. Também estiveram presentes no encontro o presidente do Conselho Estadual de Cultura, Dael Prestes Rodrigues, o secretário de Estado Adjunto da Cultura, André Kryszczun, a diretora do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico do Estado (IPHAE), Mirian Rodrigues, o diretor do Instituto Estadual de Artes Cênicas, Clóvis Rocha, o diretor artístico do Theatro São Pedro, Dilmar Messias, a coordenadora jurídica da Sedac, Izabel Motta e a chefe de gabinete Simone Adriano.

INSCRIÇÕES ESTÚDIO GERALDO FLACH



De 15 de janeiro a 24 de fevereiro


Inscrições para uso do Estúdio Geraldo Flach válidas para o primeiro semestre de 2016. O estúdio, instalado junto ao Teatro de Câmara Túlio Piva, oferece a músicos e artistas da cidade a oportunidade de gravar seus trabalhos, a uma taxa simbólica de R$ 110 por temporada.

Horário: De segunda a sexta-feira, das 9h às 12h e das 14h às 17h
Locais: Coordenação de Música da Secretaria Municipal da Cultura (SMC) ou Usina do Gasômetro – Sala 606

Edital completo no link abaixo:


Descidas da Borges começam nesta sexta-feira

Foto: Ivo Gonçalves/PMPA
Escolas irão mostrar o que estão preparando para os desfiles oficiais de 2016
Escolas irão mostrar o que estão preparando para os desfiles oficiais de 2016
A tradicional festa carnavalesca Descidas da Borges terá início na Esquina Democrática nesta sexta-feira, 15, repetindo-se nas sextas-feiras 22 e 29, sempre a partir das 20h50. A concentração começa uma hora antes, com a presença das entidades convidadas. O evento serve de ensaio para as escolas, que desfilam até o Largo Glênio Peres, no Centro da Capital. 
 
O início dos desfiles fica a cargo da escola de samba Império do Sol. A Estado Maior da Restinga apresenta-se às 21h40 e a Bambas da Orgia às 23h. O evento é uma oportunidade para os apaixonados pelo Carnaval conferirem de perto o que as escolas estão preparando para os desfiles oficiais de 2016. A iniciativa é da Coordenação de Manifestações Populares da Secretaria Municipal da Cultura, no sentido de reavivar as tradições do Carnaval da Capital, cujos primeiros desfiles se realizavam na avenida Borges de Medeiros.
O presidente da Liga Independente da Escolas de Samba de Porto Alegre (Liespa), Juarez Gutierres de Souza, divulgou a programação:
 
Dia 15
 
20h50 –  Império do Sol 
21h40 –  Estado Maior da Restinga 
23h – Bambas da Orgia
 
Dia 22
 
20h50- Praiana 
21h40 – Império da Zona Norte 
22h50 – Imperadores do Samba
 
Dia 29
 
20h50 – Samba Puro 
21h40 – União da Vila do IAPI 
22h50 – Embaixadores do Ritmo
 
 


/carnaval
Texto de: Yanlin Costa (estagiária)/ Supervisão: Luciano Medina
Edição de: Andrea Brasil
Autorizada a reprodução dos textos, desde que a fonte seja citada.

13 de janeiro de 2016

Definidas as datas do Carnaval de Rua 2016

Foto: Joel Vargas/PMPA
Edição do ano anterior contou com a participação de mais de 300 mil foliões Edição do ano anterior contou com a participação de mais de 300 mil foliões
O Carnaval de Rua de Porto Alegre em 2016 contará com oito dias de desfiles - cinco na Cidade Baixa (mais um dia para Carnaval Infantil) e outros dois na orla do Guaíba. A festividade inicia-se no dia 23 de janeiro e encerra-se em 12 de março (veja datas abaixo). A definição do cronograma ocorreu em reunião realizada na tarde dessa terça-feira, 12, entre o secretário municipal da Juventude, Diego Buralde, com representantes dos moradores, dos blocos, Brigada Militar, Empresa Pública de Transporte Circulação (EPTC) e Grupo Austral, produtora do evento.

A decisão pela diminuição do calendário foi consensual, tomada após diversas conversas entre poder público, moradores e blocos. Ao longo de 2015, todos os envolvidos na organização do evento, além do Ministério Público, trabalharam pela redução do número de datas dos desfiles na Cidade Baixa em função da sobrecarga do bairro, ocorrida em anos anteriores.

Conforme Diego Buralde, o Carnaval de Rua de Porto Alegre vem passando por um intenso processo de resgate histórico. Cresceu muito, e com ele a necessidade de organização e definição de um regramento mínimo para a devida convivência, principalmente entre moradores e foliões. "Tenho a convicção de que estamos fazendo história. Ministério Público e Brigada Militar foram fundamentais no processo de organização e definição de parâmetros mínimos. Entretanto, saúdo o espírito construtivo das representações dos moradores e do blocos, que buscaram desde o primeiro momento encontrar a razoabilidade para realização de uma grande festa, organizada, qualificada e que contemple o direito de todos", declarou o secretário.

Carnaval de Rua 2016

Cidade Baixa

- 23/1
- 30/1
- 6/2
- 9/2 - Carnaval Infantil
- 21/2
- 12/3

Orla do Guaíba


- 27/2
- 28/2


/carnaval /cidade_baixa /orla
Texto de: Felipe Ferraz (estagiário) / Supervisão: João Machado Filho
Edição de: Jandira Davila Feijó
Autorizada a reprodução dos textos, desde que a fonte seja citada.
      

12 de janeiro de 2016

Secretaria da Cultura financiou 309 projetos em 2015



A Secretaria de Estado da Cultura (SEDAC), por meio do Sistema Estadual Unificado de Apoio e Fomento às Atividades Culturais – PRÓ-Cultura RS, financiou 309 projetos em 2015. As informações constam no Relatório de Gestão da SEDAC, divulgado recentemente pelo secretário Victor Hugo, e estão disponíveis no site do Pró-Cultura RS.
A Lei de Incentivo à Cultura (LIC) liberou R$ 35 milhões em benefícios fiscais para 198 projetos, patrocinados por 280 empresas diferentes. As atividades culturais alcançaram 169 municípios nos 28 Conselhos Regionais de Desenvolvimento do Rio Grande do Sul (Coredes).
O Fundo de Apoio à Cultura (FAC), por sua vez, financiou 111 projetos, alcançando 108 municípios em 26 diferentes Coredes. O investimento total foi de R$ R$ 9.795.000,00.
Para ler a lista completa acesse o site do Pró-Cultura RS:     http://bit.ly/1Oe1QpH

Entrega da chave da cidade abre o Carnaval 2016

Foto: Cristine Rochol/PMPA
Desfile das Campeãs este ano será na terça-feira, 9 de fevereiro
Desfile das Campeãs este ano será na terça-feira, 9 de fevereiro
A programação oficial do Carnaval 2016 começa nesta sexta-feira, 15. A primeira atividade será a partir das 20h, no Paço Municipal, quando o Rei Momo Mauricio Melo recebe do prefeito Jose Fortunati as chaves da cidade. O evento será realizado nas escadarias do Paço dos Açorianos. Logo em seguida, às 21h, terá início a primeira edição da Descida da Borges.

Os desfiles oficiais do Carnaval de 2016 no Complexo Cultural do Porto Seco serão realizados num intervalo de uma semana, entre as terças-feiras 2 e 9 de fevereiro. A Muamba será na terça-feira e quarta-feira que antecedem o Carnaval. Os desfiles serão realizados em três noites. Cada uma delas terá a participação de cinco escolas do Grupo Especial, entre as 20h30 e 1h20. Outra novidade é o chamado Grupão, que reunirá escolas que integravam os grupos de Acesso e Intermediário A.
Calendário Carnaval 2016
Os desfiles oficiais começam na sexta-feira, 5 de fevereiro. Desfilam seis escolas do Grupão e três do Especial (Unidos do Capão, Imperatriz Dona Leopoldina e Acadêmicos de Gravataí).
No sábado, 6, vão para a passarela a convidada Esporte Dá Samba, as duas tribos e as outras sete escolas do Grupo Especial, pela ordem: Bambas da Orgia, Estado Maior da Restinga, Embaixadores do Ritmo, Império da Zona Norte, Vila Isabel, Vila do IAPI e Imperadores do Samba. No domingo, serão outras nove entidades do Grupão.
O Desfile das Campeãs será na terça-feira, quando voltarão a tribo campeã, a primeira e a segunda colocadas do Grupão e as seis primeiras do Grupo Especial.
Programação Oficial do Carnaval 2016
Janeiro
Dia 15: abertura oficial do Carnaval com a entrega das chaves da Cidade ao Rei Momo.
Local: Paço Municipal
Horário: 20h

Dias: 15, 22 e 29: Descida da Borges, 21h
Fevereiro
Dias 2 e 3: ensaio técnico (muamba)
Dias 5, 6 e 7: desfiles oficiais
Dia  8: apuração
Dia  9: desfile das campeãs

Março

Dia 12: Troféu Estandarte de Ouro 




/carnaval
Texto de: Cleber Saydelles
Edição de: Andrea Brasil
Autorizada a reprodução dos textos, desde que a fonte seja citada.

7 de janeiro de 2016

Grupos de teatro e governo divergem sobre ocupação no Hospital São Pedro

via ZH:

Rescisão de acordo pode colocar fim a um trabalho de residência que completa 16 anos

Por: Fábio Prikladnicki
07/01/2016 - 19h25min | Atualizada em 07/01/2016 - 19h26min
Grupos de teatro e governo divergem sobre ocupação no Hospital São Pedro Félix Zucco/Agencia RBS
Povo da Rua é um dos grupos que ensaiam nos pavilhões 5 e 6 do Hospital Psiquiátrico Foto: Félix Zucco / Agencia RBS
Em reunião realizada na tarde desta quinta-feira (7/1) com representantes dos grupos teatrais que atuam no Condomínio Cênico do Hospital Psiquiátrico São Pedro, em Porto Alegre, os secretários adjuntos da Cultura e da Saúde do governo estadual – André Kryszczun e Francisco Paz, respectivamente – reafirmaram a decisão de rescindir o acordo de cooperação que viabilizava a ocupação cultural dos pavilhões 5 e 6, espaços em que os grupos atuam há 16 anos.

Por meio de nota emitida após a reunião, a Secretaria da Saúde informou que o local será retomado "para a realização de obras", sem especificar a destinação dos espaços. Ainda não há uma data para a descocupação. Conforme o documento, "os dois pavilhões foram interditados no início do ano passado por riscos estruturais e de segurança após inspeção técnica" e obras de restauro "já foram iniciadas em um dos pavilhões, que devem ser estendidas aos demais, seguindo os mesmos padrões".

Secretaria da Cultura sugere alternativa à ocupação
Grupos defendem ocupação no Hospital São Pedro

Os grupos de teatro contestam o laudo que embasou a decisão e acrescentam que têm um projeto de restauro para o local, elaborado em 2012 pelo Escritório Modelo Albano Volkmer, vinculado à Faculdade de Arquitetura da UFRGS. O objetivo é aumentar o número de grupos que atuam no Condomínio Cênico e expandir as atividades. Para Marcelo Restori, diretor do Falos & Stercus, a rescisão do acordo foi uma decisão tomada "de cima para baixo, sem respeitar o diálogo com os grupos".

– Estivemos na Secretaria de Administração, e o espaço ainda está alocado para a Secretaria da Cultura (Sedac). Cobramos que ele (o secretário da Cultura, Victor Hugo) tome uma posição de defesa do valor que diz reconhecer no trabalho desenvolvido pelos grupos – afirma Restori, em referência a uma nota emitida pela Sedac antes da reunião.

Naquele documento, Victor Hugo também cogitou a possibilidade de obter a cedência de outros imóveis do governo para fins culturais. Restori diz que desconfia da possibilidade:

– Conhecemos essa história e sabemos que não é tão simples. Se eles (a Sedac) não conseguiram segurar um espaço do qual tinham dotação, como vão conseguir espaços dos quais nem têm dotação?

Leia todas as notícias de Espetáculos
Está marcada para a quinta-feira da semana que vem (14/12) uma nova reunião dos artistas com a Secretaria da Saúde, na qual apresentarão seu projeto de restauro para os pavilhões 5 e 6. Eles também cobram uma reunião com a Sedac. Procurado pela reportagem, o secretário adjunto, André Kryszczun, informa que a pasta os receberá em uma data a ser definida. Kryszczun discorda da alegação de que a Sedac não estaria apoiando os grupos e afirma que a palavra final sobre a destinação dos pavilhões cabe à Secretaria da Saúde:

– Originalmente, os prédios são deles. Quando pedem a rescisão do termo de cooperação, os espaços retornam para a Secretaria da Saúde. É o que foi decidido. A Secretaria da Saúde pretende desenvolver outras atividades lá. Não existe um convênio do Estado com esses grupos vigente hoje.

Um grupo no Facebook criado pelos artistas em defesa da permanência do Condomínio Cênio já reúne quase 7 mil apoiadores. Uma petição pública pela continuidade dos trabalhos contava com 787 assinaturas até o final da tarde desta quinta-feira (7/1).

Monumento aos Açorianos começa a ser restaurado no dia 18

Foto: Sérgio Louruz/Divulgação PMPA
Obra tem 17m de altura por 24m de comprimento
Obra tem 17m de altura por 24m de comprimento
As obras de restauro do Monumento aos Açorianos, localizado na avenida Loureiro da Silva, serão iniciadas na segunda-feira, 18. O anúncio foi feito na manhã desta quinta-feira, 7, pela Secretaria Municipal do Meio Ambiente (Smam). Além da recuperação das estruturas, a valorização do monumento também terá restauro das peças em aço, limpeza geral, pavimentação com paralelepípedo de granito e reposição da grama no entorno.
 
O monumento está cercado desde junho de 2013,  por medida de segurança, devido à corrosão.

Em  28 de setembro, foi publicado no Diário Oficial do município o edital de abertura de pregão eletrônico para contratação de empresa que fará a recuperação estrutural do monumento. O  pregão, ocorrido em 9 de outubro, no site www.cidadecompras.com.br, teve como vencedora a empresa Interativa Construções Ltda, com valor de contratação de R$ 356.mil.
 
Monumento aos Açorianos -  Trata-se de homenagem à chegada dos primeiros sessenta casais açorianos que povoaram Porto Alegre. Foi inaugurado em 26 de março de 1974, aniversário da cidade. A obra possui 17m de altura por 24m de comprimento.

Construído em aço, é uma obra do escultor Carlos Tenius, lembrando uma caravela composta de corpos humanos entrelaçados, e tendo à frente uma figura alada que lembra o mitológico Ícaro e representa a vitória.

No monumento existe o seguinte escrito: "Jamais sonhariam aqueles casais açorianos, que da semente que lançavam ao solo nasceria o esplendor desta cidade".
 


/meio_ambiente /monumentos
Texto de: Aline Czarnobay
Edição de: Jandira Davila Feijó
Autorizada a reprodução dos textos, desde que a fonte seja citada.