Postagem em destaque

Justiça cassa mandato do Conselho Municipal de Cultura de Porto Alegre

A decisão do juiz José Antonio Coitinho, titular da 2ª Vara da Fazenda Pública de Porto Alegre, em Mandado de Segurança impetrado p...

31 de maio de 2012

Artista plástico assina troféu do Democracine

Produções vencedoras da primeira edição do Democracine – Festival Internacional de Cinema de Porto Alegre serão contempladas com o troféu criado pelo artista plástico Túlio Pinto, 37 anos. Dos 20 filmes inscritos na Mostra Competitiva do festival, dois serão vencedores e contemplados com o prêmio do júri oficial e do júri popular. O evento será de 13 a 17 de junho, na Sala P.F. Gastal, na Usina do Gasômetro, e no CineBancários (rua General Câmara, 424, Centro Histórico). A premiação será entregue na noite de encerramento do Democracine.

Nascido em Brasília (DF), mas radicado em Porto Alegre há dez anos, Túlio ganhou destaque nos noticiários locais com o trabalho Transposição, uma mistura de performance e intervenção com técnicas de escultura, vídeo e fotografia. A montagem de Transposição – em exibição na Galeria Augusto Meyer, da Casa de Cultura Mario Quintana – levou 20 dias. Durante o período, Túlio transportou cerca de 6 mil blocos de concreto desde a Praça da Alfândega até a galeria, em 20 carregamentos diários. Os blocos cobriram todo o piso do local da exposição.

Com Transposição, o objetivo de Túlio foi o de testar eventuais interferências no trabalho em razão de mudanças de ambiente, de envolvimento com pessoas. Para realizar a tarefa, Túlio passou a dormir em um casebre na Praça da Alfândega, com colchão, fogareiro e cobertor, junto à pilha de blocos de concreto, cada um deles pesando dois quilos e meio. Instalados junto às escavações e ações de revitalização do Projeto Monumenta na Praça da Alfândega, o casebre, a pilha de blocos e o próprio artista, vestido com macacão e capacete, eram facilmente confundidos com um canteiro de obras e respectivo trabalhador braçal. Encerrado o transporte dos blocos, a pequena construção que serviu de moradia para Túlio durante os 20 dias foi levada para o espaço da exposição, cujo material terminará sendo doado a uma ONG.

Promovido pela prefeitura e pelo Observatório Internacional de Democracia Participativa (OIDP), em parceria com o Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra, o Democracine tem o objetivo de difundir produções audiovisuais relacionadas com a democracia participativa e o aprofundamento da cidadania. A programação, formada por uma mostra competitiva de filmes de curta e média metragem e uma mostra paralela informativa, transformará a capital gaúcha em centro de discussão sobre o papel da imagem nas lutas democráticas no mundo contemporâneo.
Veja aqui a programação completa do Democracine
Visite www.democracine.com.br



/cinema /democracia_participativa
Texto de: Poti Silveira Campos
Edição de: Paulo Tomás Velho Cardone

Abertas inscrições em oficina fotográfica para professores


As inscrições para professores da Rede Municipal de Ensino da 2ª edição da oficina “A Imagem Fotográfica na Sala de Aula”, concebida e ministrada pelo fotógrafo e professor Guilherme Lund, estão abertas até as 12h desta sexta-feira, 1. Agendada para sábado, 2, das 9h às 18h, na Sala P. F. Gastal, na Usina do Gasômetro, os professores vivenciarão a própria história da fotografia, experimentando desde os princípios fundamentais de obtenção da imagem até a tecnologia digital.
Os trabalhos também se propõem a pensar e estimular a inserção da fotografia em sala de aula, por meio da elaboração de atividades e exercícios. Os professores selecionados para participar devem possuir algum tipo de câmera fotográfica digital (celular, compacta, semi-profissional, profissional) com a bateria devidamente carregada. Serão emitidos certificados aos participantes.
As ações prevêem experimentações com câmera escura, pinhole, noções básicas de fotografia (ponto de vista, enquadramento e iluminação), elaboração de fluxograma para organização das fotografias produzidas, instrumentalização para instalação e utilização do GIMP – software livre de tratamento de imagem, proposições de atividades com fotografia em sala de aula, apresentação de bibliografia e referências para pesquisa.
Guilherme Lund – Fotógrafo graduado pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul e Pós-Graduado pela Feevale em Poéticas Visuais: fotografia e imagem digital. Trabalhou em assessoria de imprensa, estúdio, laboratório fotográfico e como fotógrafo still de cinema. Participa de exposições fotográficas coletivas e individuais, tendo sido premiado em concursos e financiamentos culturais desde 1995. Entre 2002 e 2004, coordenou a área de fotografia do projeto de Descentralização da Cultura da Secretaria Municipal da Cultura de Porto Alegre. Atualmente, atua como fotógrafo comercial e, desde 2006, como professor da ESPM-Sul, lecionando nos cursos de Graduação em Design, Publicidade e Propaganda, Jornalismo e no Curso Anual de Formação em Fotografia.
O professor interessado deve solicitar a ficha de inscrição pelo e-mail alfabetizacaoaudiovisual@gmail.com, e retorná-la preenchida dentro do prazo estipulado. Não serão aceitas inscrições após o prazo.
Informações: alfabetizacaoaudiovisual@gmail.com / (51) 3289-8134.


/fotografia /oficina
Texto de: Tiago Nequesaurt
Edição de: Caren Mello
Autorizada a reprodução dos textos

Sobre a Rio+20



Bondinho do Pão de Açúcar
A Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável, a Rio+20, será realizada de 13 a 22 de junho de 2012, na cidade do Rio de Janeiro. A Rio+20 é assim conhecida porque marca os vinte anos de realização da Conferência das Nações Unidas sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento (Rio-92) e deverá contribuir para definir a agenda do desenvolvimento sustentável para as próximas décadas.
A proposta brasileira de sediar a Rio+20 foi aprovada pela Assembléia-Geral das Nações Unidas, em sua 64ª Sessão, em 2009.
O objetivo da Conferência é a renovação do compromisso político com o desenvolvimento sustentável, por meio da avaliação do progresso e das lacunas na implementação das decisões adotadas pelas principais cúpulas sobre o assunto e do tratamento de temas novos e emergentes.

A Conferência terá dois temas principais:

 
  • A economia verde no contexto do desenvolvimento sustentável e da erradicação da pobreza; e
  • A estrutura institucional para o desenvolvimento sustentável.
A Rio+20 será composta por três momentos. Nos primeiros dias, de 13 a 15 de junho, está prevista a III Reunião do Comitê Preparatório, no qual se reunirão representantes governamentais para negociações dos documentos a serem adotados na Conferência. 

Em seguida, entre 16  e 19 de junho, serão programados eventos com a sociedade civil

De 20 a 22 de junho, ocorrerá o Segmento de Alto Nível da Conferência, para o qual é esperada a presença de diversos Chefes de Estado e de Governo dos países-membros das Nações Unidas.

Os preparativos para a Conferência

A Resolução 64/236 da Assembleia-Geral das Nações Unidas determinou a realização da Conferência, seu objetivo e seus temas, além de estabelecer a programação das reuniões do Comitê Preparatório (conhecidas como “PrepComs”). O Comitê vem realizando sessões anuais desde 2010, além de “reuniões intersessionais”, importantes para dar encaminhamento às negociações.
Além das “PrepComs”, diversos países têm realizado “encontros informais” para ampliar as oportunidades de discussão dos temas da Rio+20.

O processo preparatório é conduzido pelo Subsecretário-Geral da ONU para Assuntos Econômicos e Sociais e Secretário-Geral da Conferência, Embaixador Sha Zukang, da China. O Secretariado da Conferência conta ainda com dois Coordenadores-Executivos, a Senhora Elizabeth Thompson, ex-Ministra de Energia e Meio Ambiente de Barbados, e o Senhor Brice Lalonde, ex-Ministro do Meio Ambiente da França. Os preparativos são complementados pela Mesa Diretora da Rio+20, que se reúne com regularidade em Nova York e decide sobre questões relativas à organização do evento. Fazem parte da Mesa Diretora representantes dos cinco grupos regionais da ONU, com a co-presidência do Embaixador Kim Sook, da Coréia do Sul, e do Embaixador John Ashe, de Antígua e Barbuda. O Brasil, na qualidade de país-sede da Conferência, também está representado na Mesa Diretora.
Os Estados-membros, representantes da sociedade civil e organizações internacionais tiveram até o dia 1º de novembro para enviar ao Secretariado da Conferência propostas por escrito. A partir dessas contribuições, o Secretariado preparará um texto-base para a Rio+20, chamado “zero draft” (“minuta zero” em inglês), o qual será negociado em reuniões ao longo do primeiro semestre de 2012.

Baixe aqui a apresentação em slides  com o histórico da Rio+20 - ("Como chegamos até aqui")

Acompanhe as capacitações para o FAC RS 2012


Capão da Canoa, Caxias do Sul e Vacaria recebem capacitações do FAC nesta quarta, 30, e quinta, 31.
Para divulgar a ampliar o acesso a verba inédita do Fundo de Apoio à Cultura – FAC, a Diretoria de Economia da Cultura promove nos meses de maio e junho capacitações para quem ainda possui dúvidas sobre como inscrever e elaborar seu projeto para os seis editais do Fundo de Apoio à Cultura – FAC 2012. Os editais somam R$ 10 milhões em investimento direto na cultura do estado.
As próximas capacitações do FAC acontecem nas cidades de Capão da Canoa, Caxias do Sul e Vacaria, acompanhando a agenda dos Diálogos Culturais que debatem o Plano Estadual de Cultura. Soledade, Camaquã, Palmeira das Missões, Erechim, Rio Grande e São Jerônimo também recebem as oficinas de capacitação do FAC nos próximos dias. Acompanhe a agenda no quadro abaixo.
Capacitações em Porto Alegre mobilizam classe cultural
Duas capacitações para o FAC aconteceram em Porto Alegre nos dias 22 e 24 de maio, no auditório do Centro Administrativo. O primeiro encontro reuniu cerca de 25 prefeituras do interior do estado. Na segunda capacitação, destinada a orientar os editais para sociedade civil, uma centena de produtores culturais e artistas estiveram presentes.

Cerca de cem pessoas acompanharam a capacitação para sociedade civil do FAC em Porto Alegre.
As capacitações apresentam os editais e possibilitam rodadas de perguntas e respostas entre a equipe do Pró-cultura RS e os produtores. A mesma equipe atende cerca de 30 ligações ao dia e responde dúvidas sobre inscrições no Cadastro Estadual de Produtor Cultural e elaboração de projetos. O atendimento especial ao FAC funciona todos os dias das 11h ao meio dia, através do telefone +55 51 3288 7524.
Acompanhe as oficinas de capacitação do FAC em sua cidade e inscreva seu projeto nos seis editais do FAC 2012.

SUBSTITUTIVO À PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO Nº 416-A, DE 2005


 APROVADO EM PRIMEIRO TURNO:361 VOTOS FAVORÁVEIS À 1 CONTRÁRIO.

Acrescenta o art. 216-A à Constituição para instituir o Sistema Nacional de Cultura.

As Mesas da Câmara dos Deputados e do Senado Federal, nos termos do art. 60 da Constituição Federal, promulgam a seguinte Emenda ao Texto Constitucional:

Art. 1º. É acrescentado o art. 216-A a Constituição Federal, com a seguinte redação:

"Art. 216-A. O Sistema Nacional de Cultura, organizado em regime de colaboração, de forma descentralizada e participativa, institui um processo de gestão e promoção conjunta de políticas públicas de cultura, democráticas e permanentes, pactuadas entre os entes da federação e a sociedade, tendo por objetivo promover o desenvolvimento - humano, social e econômico - com pleno exercício dos direitos culturais.
§ 1º - O Sistema Nacional de Cultura fundamenta-se na política nacional de cultura e nas suas diretrizes, estabelecidas no Plano Nacional de Cultura, e rege-se pelos seguintes princípios:
I - diversidade das expressões culturais;
II - universalização do acesso aos bens e serviços culturais;
III - fomento à produção, difusão e circulação de conhecimento e bens culturais;
IV - cooperação entre os entes federados, os agentes públicos e privados atuantes na área cultural;
V - integração e interação na execução das políticas, programas, projetos e ações desenvolvidas;
VI - complementaridade nos papéis dos agentes culturais;
VII - transversalidade das políticas culturais;
VIII - autonomia dos entes federados e das instituições da sociedade civil;
IX - transparência e compartilhamento das informações;
X - democratização dos processos decisórios com participação e controle social;
XI - descentralização articulada e pactuada da gestão, dos recursos e das ações.
XII- ampliação progressiva dos recursos contidos nos orçamentos públicos para a cultura.

§ 2º Constitui a estrutura do Sistema Nacional de Cultura, nas respectivas
esferas da federação:
I- órgãos gestores da cultura;
II- conselhos de política cultural;
III- conferências de cultura;
IV- comissões intergestores;
V- planos de cultura;
VI- sistemas de financiamento à cultura;
VII- sistemas de informações e indicadores culturais;
VIII- programas de formação na área da cultura; e
IX- sistemas setoriais de cultura.
§ 3º - Lei federal disporá sobre a regulamentação do Sistema Nacional de Cultura, bem como de sua articulação com os demais sistemas nacionais ou políticas setoriais de governo.
§ 4º - Os Estados, o Distrito Federal e os Municípios organizarão seus respectivos sistemas de cultura em leis próprias.

Art. 2º Esta Emenda Constitucional entra em vigor na data da sua
publicação.

Deputado PAULO RUBEM SANTIAGO
Relator

Porto Alegre está cada vez mais longe da rota de espetáculos internacionais de dança

Multiplicam-se os grandes espetáculos que vêm ao país mas não passam pela Capital


Porto Alegre está cada vez mais longe da rota de espetáculos internacionais de dança Jason Akira/Divulgação
 
"Nederlands Dans Theater" não retornará à Capital este ano Foto: Jason Akira / Divulgação
Fábio Prikladnicki
Uma das mais expressivas companhias de dança contemporânea do mundo, a Nederlands Dans Theater I (NDT) apresenta-se no final de junho no Rio e em São Paulo. O grupo holandês esteve em Porto Alegre em 2001, mas não volta desta vez.
É a confirmação de um quadro que começa a ser percebido pelo público e é confirmado por produtoras culturais: Porto Alegre está cada vez mais distante da rota dos grandes espetáculos internacionais de dança.
Uma destas empresas é a Dell'Arte Soluções Culturais, responsável, este ano, pela vinda do grupo holandês e de atrações como a companhia de balé do Teatro alla Scala de Milão, o Nuevo Ballet Español e o Les Ballets de Monte-Carlo. Nenhum desembarcará no Aeroporto Salgado Filho. A Capital dançou em 2012? Steffen Dauelsberg, diretor-executivo da Dell'Arte, afirma:
– Verificamos nos últimos três ou quatro anos uma perda de possibilidades de captação local (no RS) através das leis de incentivo estadual e municipal, o que não é o caso de capitais como Belo Horizonte, São Paulo e Rio de Janeiro. Nós e a iniciativa privada não podemos ser os únicos a assumir os riscos de uma empreitada como essa.
Dauelsberg explica que turnês desse porte são viabilizadas com patrocínio de empresas por meio da lei federal que permite a dedução do valor investido na hora em que a empresa paga seus impostos. Ainda segundo ele, é praxe contar com a parceria de produtoras locais para captar verba por meio de leis de incentivo à cultura de âmbito regional. Entre as produtoras parceiras, está a Opus Promoções.
– Estamos na ponta de um país muito grande. É difícil viabilizar estas turnês somente cobrando ingresso. Chegar ao Estado requer mais horas de voo e de carreta. Embora nossos teatros sejam maravilhosos, têm capacidades limitadas. Com 500 lugares na plateia a menos do que uma casa em Curitiba, o produtor vai optar por esta última – diz Carlos Konrath, diretor da Opus.
A escassez de espetáculos internacionais de dança é um fenômeno que completa pelo menos 10 anos, de acordo com Maria Rita Stumpf, sócia-gerente da Antares, produtora responsável pela passagem do NDT pela Capital há 11 anos:
– Acho que se deve à localização dos teatros em Porto Alegre, que não são centrais, à dificuldade para obter patrocínios locais e à falta de interesse dos produtores locais em espetáculos dessa natureza, que basicamente dependem de empresários de Rio e São Paulo, onde também houve grande redução, com exceção de alguns festivais.
Maria Rita conta que a Antares, antes especializada em dança, começou a trabalhar mais com música e diminuiu o número de eventos por ano a partir de 2008. Com exceções como o sucesso de público de Mikhail Baryshnikov e Ana Laguna, em 2010, a produtora viu um Teatro do Sesi com apenas 60% de sua lotação, em 2004, na apresentação da companhia de Merce Cunningham, uma lenda da dança contemporânea.
– O público de dança em Porto Alegre é sofisticado, curioso e, em geral, bem informado – observa, ressalvando: – Há necessidade de difusão da dança para gerar mais público, não somente através da imprensa, mas também da educação formal e da ação de organismos locais de cultura.
Enquanto isso, os artistas da área lamentam a perda de oportunidades para tomar contato com o que se produz de melhor no cenário internacional. O coreógrafo e coordenador do Centro de Dança da Secretaria de Cultura de Porto Alegre, Airton Tomazzoni, ressalta o crescente papel de festivais como Porto Alegre Em Cena, Palco Giratório e Dança Ponto Com na inclusão de atrações de ponta na agenda local e pondera:
– O cenário da dança se transformou. Se está perdendo uma parcela dessas grandes referências (as companhias internacionais), outras surgiram como cursos universitários de dança, projetos como o Grupo Experimental de Dança da Cidade e o acesso proporcionado pela internet a muita informação de dança que dificilmente chegaria ao artista interessado.
O QUE VOCÊ NÃO VIU
Louise Lecavalier: Estrela canadense com passagem pelo grupo La La La Human Steps, esteve no Brasil em 2006.
Bill T. Jones: O artista americano esteve na Capital em 2002, mas não em 2006, quando retornou ao país.
Cia. Martha Graham: A Capital não recebeu em 2005 o grupo que leva o nome da lendária coreógrafa americana.
O QUE VOCÊ NÃO VAI VER
NDT I: Com técnica impecável, o grupo holandês é referência internacional na dança contemporânea.
Balé do Scala de Milão: Tradicional companhia italiana que contou com lendas da dança como Balanchine e Nureyev.
Nuevo Ballet Español: Criada em 1995, a companhia se destaca pela modernização da tradição do flamenco.

ZERO HORA

30 de maio de 2012

Câmara aprova proposta que cria SNC-Sistema Nacional de Cultura

Em sessão extraordinária plenário aprova proposta com 361 votos favoráveis

Brasília – A Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 416/2005 que institui o Sistema Nacional de Cultura (SNC), foi aprovada por 361 votos a 1 em sessão extraordinária da Câmara dos Deputados desta quarta-feira, 30 de maio.

A aprovação foi comemorada pela ministra da Cultura, Ana de Hollanda, que acompanhou a votação no plenário. Para a Ministra, a proposta torna clara a relação entre União, estados e municípios na área da cultura.

"Vai se efetivar toda a relação entre os entes federativos para se construir uma política de Estado, que represente a diversidade do Brasil como um todo", afirma.

A PEC é considerada uma importante pauta legislativa do Ministério da Cultura (MinC) e essencial para o desenvolvimento e implementação do Plano Nacional de Cultura (PNC).

O SNC será composto por representantes do MinC; do Conselho Nacional da Cultura; dos sistemas de Cultura dos estados, do Distrito Federal e dos municípios; das instituições públicas e privadas ligadas à promoção, ao financiamento e à realização de atividades culturais; e dos subsistemas complementares, como os sistemas de museus, de bibliotecas, de arquivos, de informações culturais, de fomento e de incentivo à cultura.

O objetivo do Sistema é integrar as três instâncias governamentais (federal, estadual e municipal) e a sociedade brasileira em um interesse comum: o investimento na cultura nacional. O SNC também assegura a continuidade das políticas publicas na área cultural.

O secretário de Articulação Institucional do MinC, João Roberto Peixe, explica que é um grande desafio construir um sistema nacional de cultura consistente e democrático, capaz de promover uma grande mudança qualitativa na gestão pública da Cultura.

"O SNC é a grande oportunidade de a Cultura deixar de ser um componente periférico para ocupar seu espaço como um dos vetores do processo de desenvolvimento do país", completa.

Com a aprovação, o sistema passa a funcionar regularmente e possibilita a democratização dos processos de tomada de decisões importantes para o meio cultural, tais como a capacitação de pessoal, a formação de uma infraestrutura cultural (construção de bibliotecas, museus, teatros), além do financiamento a projetos em todos os municípios brasileiros.

(Texto: Marcos Agostinho e Rosiene Assunção, Ascom/MinC)
(Foto: Bruno Spada, Ascom/MinC)

Pequenas Violências - Silenciosas e Cotidianas


O texto vencedor da primeira edição do Prêmio Ivo Bender, Pequenas Violências - Silenciosas e Cotidianas, de Fernando Kike Barbosa será encenado na próxima terça feira, dia 05. A leitura dramática será no Instituto Goethe às 20h, com entrada franca. Na ocasião haverá também o coquetel de lançamento da segunda edição do Prêmio Ivo Bender, realizado pela Secretaria Municipal da Cultura e Instituto Goethe de Porto Alegre.


Lançado em 2011, o prêmio consagra a criação dramaturgica e premia o vencedor com o valor de R$10.000,00 (dez mil reais) além de uma bolsa de estudos na Alemanha. O texto vencedor dessa edição terá sua leitura encenada pela Cia Stravaganzza, com a participação de Adriane Motolla, Duda Cardoso, Janaina Pelizzon, o premiado Fernando Kike Barbosa, Lauro Ramalho, Rodrigo Mello e Sofia Salvatori. Depois da leitura, acontece um bate-papo com a comissão julgadora do prêmio: os jornalistas Newton Silva e Renato Medonça e o dramaturgo homenageado pelo prêmio Ivo Bender.


O texto Pequenas Violências - Silenciosas e Cotinianas parte de um fato corriqueiro e aparentemente sem maior gravidade: um atropelamento no qual não há vitimas fatais. A partir do olhar de diferentes testemunhas desse acidente a trama evolui como um quebra cabeça, onde as peças soltas aos poucos se encaixam, e vão revelando que por detrás desse acontecimento ‘banal’ algo mais terrível está para ocorrer.


Os personagens não têm relações diretas entre si, são desconhecidos, passantes, rostos que se cruzam mas que desviam seus olhares uns dos outros. A violência contida, mas latente em cada um, se revela em cada frase. São seres contaminados pelo veneno dos preconceitos sociais, aparentemente isolados em suas individualidades ferozes, e que sem perceber, participam de uma rede subterrânea de conflitos prestes a explodir.

Um Plano Articulado para Cultura e Educação


O Arquivo Histórico de Porto Alegre Moysés Vellinho recebeu convite para participar de um novo projeto do Ministério da Cultura,num esforço para integrar Cultura e Educação. Trata-se de um pré-encontro sobre o Projeto Um plano articulado para Cultura e Educação, coordenado pela Representação do Ministério da Cultura na Região Sul.
Na ocasião, será apresentado o acordo de cooperação técnica firmado entre o Ministério da Cultura e o Ministério da Educação, que normatiza as ações para 2012. O projeto se baseia numa pesquisa-ação, a ser realizada em cinco municípios brasileiros, conforme o critério de diversidade cultural: Recife, Campo Grande, Porto Velho, Porto Alegre e Rio de Janeiro. Neste pré-encontro,sediado pela SMED, no dia 05 de junho, será debatida também a realização do Seminário da Pesquisa-ação em Porto Alegre.

Copa 2014: Escolas discutem futuro das quadras-PORQUE O CMCPOA NÃO FOI CHAMADO PARA DISCUTIR?


E O CONSELHO DE CULTURA  NÃO FOI CHAMADO PARA DISCUTIR O ASSUNTO.
GUIMARÃES
Foto: Leonardo Contursi, PMCA




Apesar das garantias de que as escolas de samba localizadas nos entornos do Estádio Beira-Rio não sofram prejuízos em função das obras para a Copa do Mundo de 2014 (leia aqui), a indefinição quanto ao futuro das quadras de Imperadores do Samba, Praiana, Banda Itinerante e Saldanha inquieta dirigentes.


— Queremos acreditar na promessa do prefeito de mantê-las na área próxima ao estádio. Mas temos de acertar no papel. As escolas não conhecem o projeto, as entidades estão cheias de dúvidas e preocupadas — afirmou Victor Hugo Amaro, presidente da Associação das Entidades Carnavalescas de Porto Alegre e do RS (AECPARS).


A declaração foi feita durante reunião realizada na Câmara de Vereadores nesta terça, dia 29, com representantes da Secretaria Extraordinária da Copa (Secopa) e do Internacional. O encontro, que contou ainda com a presença do coordenador das Manifestações Populares, Joaquim Lucena, foi promovido justamente para discutir o projeto de reforma e o que será feito com as agremiações.


Mas por que há apreensão?
Presidente Victor Hugo, da AECPARS, defende os interesses das entidades


Mais do que as incertezas das entidades sobre o que prevê o projeto do Complexo Cultural Gigante para Sempre, a falta de avanço nas negociações é o que preocupa.


A morosidade se deve a um entrave judicial que já se arrasta há dois anos, explica o presidente Comissão de Educação, Cultura, Esporte e Juventude (Cece), professor Garcia:
— O obstáculo é a utilização de um terreno onde a prefeitura tem a intenção de colocar Imperadores do Samba para transferir a Praiana e as duas bandas para o espaço onde atualmente está a Imperadores.


A Justiça ainda avalia a desocupação desse terreno, vizinho ao Beira-Rio e onde funciona uma lavagem. Devido a essa indefinição sobra áreas disponíveis, existem apenas anteprojetos para as sedes dos carnavalescos, conforme explicam Hélio Giaretta Júnior (gerente de Patrimônio do Inter) e o engenheiro Ronaldo Bolognesi.

O que dizem os presidentes
"Se não temos um cronograma das obras, como vamos nos organizar? Quanto tempo ficaremos sem nossas quadras? Tudo está muito vago", disse Luiz Carlos Amorim (foto), dos Imperadores, ao lembrar que as escolas dependem de suas quadras para arrecadar recursos.


Para Diogo Fonseca, da Saldanha, falta informação concreta sobre a transferência:
"Só pode haver remoção depois da conclusão das novas quadras."


Discurso reforçado pelo representante da Itinerante, João Batista Diogo:
"O tempo está passando e não há definição dos projetos para a área dos carnavalescos. Fazemos reuniões há dois anos. Já está chovendo no molhado. A Copa está aí!"


Miro Leal, da Academia de Samba Praiana, cobra respostas:
"Queremos posições concretas. As entidades devem
conhecer os anteprojeto do Inter que estão com o Executivo."


O que dizem autoridades
— O governo municipal não está de braços cruzados e ninguém será transferido enquanto não houver projeto definitivo. O Inter tem quatro anteprojetos. O que falta são as escolas de samba e as bandas avaliarem as propostas — diz José Mocellin, secretário-adjunto da Secopa.


Engenheiro da Secopa, Nilmar Faccin prometeu chamar os carnavalescos para conhecer o projeto:
— As necessidades de cada um serão contempladas. A grande dificuldade para mudança das entidades é mesmo a falta de decisão judicial sobre o terreno da lavagem de carros. Entendemos a apreensão, mas, para um projeto definitivo, é preciso a definição da área.


O vice-presidente da Cece, vereador DJ Cassiá (PTB), propôs que membros das entidades carnavalescas possam participar do Grupo de Trabalho sobre as obras para a Copa do Mundo montado pelo Executivo. — As escolas precisam saber de todo o andamento dos projetos.


Uma nova reunião será realizada no dia 3 de julho, quando o Inter deverá apresentar uma proposta mais elaborada.

PortoAlegre.cc: o céu é o limite

 

                                                                                Por Plínio Zalewski                                                                         

 

     Izabel, Xandeco, Deborah, Aline, Tamara, Ocimar, Marli, Antonio, Pedro, Márcia. Estes e outros mais de sessenta nomes não representam apenas histórias de vida, com seus percursos, atalhos, descansos e sombras tostadas pelo sol do meio-dia. Também não são uma identidade compacta, sem nuances, olhares furtivos, dezenas de dúvidas acumuladas, em perguntas que os diferenciam. Não, não são militontos – e daqui posso escutar o Ufa!! de muitos leitores.

     Assim como Daniel, Jandira, Secco, Lonise, Gus, Tiago, Gisele, Busatto, Maria, que numa manhã chuvosa, há um ano, reuniram-se para co-criar, manuseando a democracia em Porto Alegre, a tribo lá de cima dedicou seus melhores recursos – físicos, emocionais, intelectuais – para Subir o Morro da Polícia, no último sábado e, prazerosamente, grafitar na linha do tempo de Porto Alegre uma nova cultura cidadã.

      Sim, é isso que a tribo de cima, a tribo de baixo e muitas outras tribos representam, cada vez que saem do Facebook e vão fazer acontecer suas Causas postadas no PortoAlegre.cc. Causas que são pequenas utopias, mas que em rede vão mudando a alma da cidade – cada um de nós – sem manipulação e violência.

     Nove horas da manhã do dia vinte e seis de maio e toda linha do tempo da democracia na cidade ia se encontrando em frente à Capela São Miguel e se enredando com outras pessoas chegadas de carro, a pé, de táxi e ônibus. Conselheiros do OP, dos Fóruns de Planejamento, de Conselhos de Políticas Públicas formavam rodas com portoalegrenses de territórios tão distintos quanto é o Campo da Tuca do Bairro Rio Branco, num entusiasmo renovado de gente que quer fazer por si próprio, mas de forma colaborativa. 

     Subimos duzentos metros de altura e se fosse possível empilhar outros morros o faríamos, desenhando novas trilhas. Até às 12h30 já tínhamos subido, conversado, contemplado a paisagem, descido o Morro da Política, cada um com uma tarefa a cumprir.

     Um ano foi o tempo degustado até chegarmos ao topo do Morro da Polícia, uma representação maravilhosa de um processo que incluiu novos atores no espaço público, vem conectando-os com outras redes e formas de participação, instigando cada vez mais pessoas a fazer a política que nos interessa, que é poder agir coletivamente, tendo cada um e cada uma sua identidade respeitada e visibilizada.

     Não é à toa que chegamos ao topo do morro: é porque o céu é o nosso limite e de certa forma nos protege.       

              

       

                

    

      

    

             

Convite Assinatura do Edital da Casa dos Conselhos

                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                          
                                    

Convite
Cerimônia de assinatura do Edital da Casa dos Conselhos
a realizar-se às 10:00 horas do dia 05 de junho de 2012, no Salão Nobre
do Paço Municipal, Praça Montevidéu, nº10 – Centro – Porto Alegre

Confirmação de presença através do telefone 32896649

29 de maio de 2012

NOTICIAS SATED-RS e Casa do Artista Riograndense

 
 

 

TRABALHADORES DA ARTE TERÃO PISO SALARIAL E CACHÊ-TESTE
A nossa união vai mudar o cenário de reconhecimento profissional dos artistas e técnicos gaúchos.

Venha discutir conosco, no dia 18 de junho, a partir das 17 horas na Cia de Arte (Rua dos Andradas, 1780). Pisos salariais, cachês mais justos, cachê teste garantido, carga horária compatível. Estes são alguns dos itens a serem debatidos na Assembleia Geral Extraordinária que o SATED/RS realiza para elaborar a pauta reivindicatória da Convenção Coletiva sobre as relações de trabalho existentes ou que venham a existir na categoria profissional. No intervalo do encontro, que encerra às 22 horas, será oferecido um coquetel de confraternização aos associados.

A exemplo dos estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Paraná, que já possuem piso salarial aprovado, o SATED/ RS quer ouvir os seus associados para firmar o acordo coletivo da categoria. Outro ponto a ser debatido no encontro é a obrigatoriedade do cachê teste, uma exploração praticada pela indústria cinematográfica e publicitária que está com os dias contados.

Sempre em defesa dos interesses da classe artística e técnica do estado do Rio Grande do Sul, o SATED/RS dispõe de uma série de benefícios aos associados como assessoria jurídica, plano de saúde com preços mais acessíveis, cursos profissionalizantes nas diversas áreas da arte cênica, cursos de especialização nas áreas técnicas, como por exemplo, segurança, iluminação e montagem de aéreos para circo. O sindicato ainda dispõe de apoio financeiro e de divulgação para grupos da capital e interior, além de uma van para transporte de profissionais associados.

EM DIA COM O SATED/RS 
No dia 18 de junho as atividades do SATED/RS estarão ocorrendo na Cia de Arte, a partir das 15 horas. Os sócios que não estiverem em dia com a anuidade de 2012 e desejarem participar da Assembleia poderão efetuar o pagamento no próprio local (falar com Magdala). Já para os sócios que estão com as parcelas de anos anteriores em atraso será concedida uma anistia de 70 %. 

ANOTE NA ADENDA
O QUE: Assembleia Geral Extraordinária do SATED/RS e coquetel de confraternização
ASSUNTO: Convenção Coletiva sobre as reivindicações da categoria
QUANDO: 18 de junho
HORÁRIO: 1ª chamada - 17 horas. 2ª chamada - 17h45 
ONDE: Centro Cultural Cia de Arte (Rua dos Andradas, 1780, Centro, Porto Alegre-RS)
CONFIRMAÇÃO: a produção do encontro pede confirmação de presença até o dia 12 de junho para a organização do coquetel. Falar com Luciano ou Douglas pelo fone: (51) 3226-1921/ 8465-1038 ou pelo e-mail: satedrs@satedrs.org.br

 

Atenciosamente,

SATED/RS - Na luta pelos trabalhadores da arte

Sindicato dos Artistas e Técnicos de Espetáculos de Diversões do Rio grande do Sul

Praça Osvaldo Cruz, nº 15/912 - Edifício Coliseu

Tel. (51) 3226-1921

www.satedrs.org.br

 

-------------

 

CASA DO ARTISTA RIOGRANDENSE

Tem orgulho de dar inicio a projeto:

JUSTIFICATIVA

O projeto contempla uma geração que não conviveu com as atuais linguagens de comunicação e como artistas que ainda podem e desejam trabalhar, merecem essa oportunidade, que poderá facilitar sua reinserção no mercado de trabalho das artes.

O Projeto pretende promover a cultura e a troca geracional entre os distintos atores sociais, desenvolvendo a identificação dos artistas abrigados e do seu espaço, articulando estes com sua comunidade. A imbricada relação entre a sociedade e as novas tecnologias em informação e comunicação (TIC's) atravessa a arte, a oralidade, enfim, culturas regionais as quais merecem atenção especial junto ao público idoso, em sua grande maioria não familiarizado com tais tecnologias em informação e comunicação, tão usadas atualmente.

O Projeto torna-se ainda mais relevante em possibilitar a melhoria da qualidade de vida e o das condições financeiras dos moradores da casa que estão fora dos padrões (idade) para o mercado de trabalho.
A metodologia será participativa, os moradores e alunos da comunidade participarão da construção dos conteúdos e da forma de trabalho.

OBJETIVO GERAL

Como objetivo geral se tem capacitar os moradores da Casa do Artista Rio-grandense para uso das novas tecnologias digitais, buscando integrá-los a este meio de comunicação, visando assim sua possível reinserção no mercado de trabalho das artes. Além de levar este tipo de atividade também para a comunidade local, buscando integração desta com a casa.

Com o aprendizado destas linguagens, os moradores estarão mais aptos a divulgar e assim preservar a memória histórica e cultural da casa, no que tange ao trabalho realizado por estes artistas no passado. A comunicação através de redes sociais, blogs informativos e de divulgação e alternativa para ocupar o tempo ocioso dos moradores podendo trazer-lhes novas perspectivas quanto a seu trabalho são os pontos mais visados, tendo em vista a vontade de muitos de continuar atuando de alguma forma no campo das artes.

 

Patrocínio:

 

Ao Diretor-Presidente da Corag Sr. Homero Paim
RENOVO EXPRESSÕES DE ELEVADA ESTIMA E CONSIDERAÇÃO


Atenciosamente,
Luciano Fernandes – Fone: 91237519

e-mail: contato@lucianofernandes.com.br

Presidente da Casa do Artista Riograndense

www.casadoartistariograndense.blogspot.com 

28 de maio de 2012

Ói Nóis Aqui Traveiz Lança DVD na Sala P. F. Gastal


LANÇAMENTO DO DVD
"Viúvas – Performance Sobre a Ausência"

A Tribo de Atuadores Ói Nóis Aqui Traveiz realiza o lançamento do DVD Viúvas Performance Sobre a Ausência, no dia 29 de maio, às 19h, na Sala P. F. Gastal da Usina do Gasômetro (3º andar). A exibição será seguida de um bate-papo com Ileana Diéguez (pesquisadora e professora do México), Pedro Isaías Lucas (cineasta), Fabio Prikladnicki (jornalista) e Jair Krischke (Movimento de Justiça e Direitos Humanos). O DVD é uma realização do projeto Ói Nóis Na Memória e da Artéria Filmes com fotografia, edição e finalização audiovisual de Pedro Isaías Lucas. O registro tem patrocínio do Ministério da Cultura e da Petrobras.  A entrada é franca.

Viúvas, Performance Sobre a Ausência faz parte da pesquisa teatral que a Tribo de Atuadores Ói Nóis Aqui Traveiz vem realizando sobre o imaginário latino-americano e sua história recente. Partindo do texto Viúvas de Ariel Dorfman e Tony Kushner, a Tribo dá continuidade à sua investigação da cena ritual, dentro da vertente do Teatro de Vivência. Viúvas mostra mulheres que lutam pelo direito de saber onde estão os homens que desapareceram ou foram mortos  pela ditadura civil militar que se instalou em seu país. É uma alegoria sobre o que aconteceu nas últimas décadas na América Latina, e a necessidade de manter viva a memória deste tempo de horror, para que não volte mais a acontecer. O Teatro de Vivência do Ói Nóis Aqui Traveiz procura uma forma de relação aberta e sincera com o público, em que atores e espectadores partilhem de uma experiência comum, que tenha intensidade de um acontecimento, capaz de produzir novas formas de percepção.



Contatos:
Paula Carvalho
Tribo de Atuadores Ói Nóis Aqui Traveiz
(51) 3286 57 20 / 9999 45 70


-