Postagem em destaque

Justiça cassa mandato do Conselho Municipal de Cultura de Porto Alegre

A decisão do juiz José Antonio Coitinho, titular da 2ª Vara da Fazenda Pública de Porto Alegre, em Mandado de Segurança impetrado p...

31 de outubro de 2016

Escolas de Samba recebem materiais para o Carnaval nesta terça

Foto: Ricardo Giusti/PMPA

Convênio prevê R$ 2,2 milhões em materiais para as escolas da Capital
Convênio prevê R$ 2,2 milhões em materiais para as escolas da Capital
Nesta terça-feira, 1º, acontece a solenidade de entrega dos materiais as escolas de Samba de Porto Alegre no barracão da Liespa (Liga Independente das Escolas de Samba de Porto Alegre) no Complexo Cultural do Porto Seco (R. Hermes de Souza, s/n - Rubem Berta), às 15h. 
O projeto Cadeia Produtiva do Carnaval é o primeiro convênio entre o Ministério da Cultura (MinC) e a Secretaria Municipal da Cultura para qualificar o carnaval de Porto Alegre. Trata-se de um projeto piloto do MinC que está sendo testado em Porto Alegre para futura implementação no restante do país. O objetivo é disponibilizar materiais utilizados para a confecção de fantasias e carros alegóricos. Foram R$ 2,2 milhões investidos nesta primeira etapa do projeto, que terá sequência em 2017 quando serão realizadas oficinas para que se qualifique a utilização desses materiais. Foram dotados R$ 800 mil para a execução das oficinas e os oficineiros serão escolhidos por edital a ser publicado.
“A Secretaria da Cultura de Porto Alegre sente-se honrada em acolher este projeto piloto do MinC que fortalece o Carnaval de Porto Alegre, servindo de modelo para outras cidades”, explica o secretario da Cultura, Roque Jacoby. “O Carnaval tem desdobramento social durante o ano todo e poderá, através deste projeto, melhorar significativamente a qualidade dos desfiles de suas escolas de samba”, conclui Jacoby.
O grande volume de materiais a serem disponibilizados foram tranportados em carretas até o Complexo Cultural do Porto Seco.

Veja a lista parcial dos materais a serem entregues nesta terça-feira:
Isopor 144 blocos de isopor
Tecidos de coutro sintetico 4880 metros
Aljofer 3384 rolos
Tecido de Chitão 5280 metros
Folha EVA 12000 peças
Tecido de malha 10800 m
Rolo de galão (grega colorida) 10474 rolos
Tecido de algodão: 5424 metros
Tecido de cetim 3120 metros
Tecido de organza crista 17712 metros
Viés 2852 rolos
Penas de rabo de galo 36 kilos
Pena de faisão 4272 peças
Pluma de espigão 36 kilos
Bobina de acetado com 50 kilos cada, 58 rolos
Tudo regular de aço 6mm 1440 barras
Barra 6mm de aço 2160 barras
Barra 6mm 1920 barras
Saco de cimento 40kg 120 sacos
Tecido de vinil 2400 metros
Tecido de viscose 3696 metros
Bastão de cola quente 2,4 toneladas
Tinta de acrilo 1200 latas 18l
Pele para instrumentos aro 12 a 26 700 peças
Chapa de compensa de 6mm 600 peças
Chapa de compensado de 10mm 984 peças
Chapa de compensado de 12mm 1992 peças
Chapa de papelão ondulado duplo 3mil peças
Tecido de tafetá 10272 metros
Tecido filó 16656 metros
Tecido de voal poliester 4560 metros
Tecido de lamé prata e dourado 8520 metros
Galão de paetê 3600 rolos




/carnaval /cultura /escolas_de_samba

Texto de: Luciano Medina Martins
Edição de: Manuel Petrik
Autorizada a reprodução dos textos, desde que a fonte seja citada.

Divulgados os finalistas do Prêmio Açorianos de Literatura


Foto: Ricardo Giusti/PMPA
Vencedores serão conhecidos em 28 de novembro, no Teatro Renascença
Vencedores serão conhecidos em 28 de novembro, no Teatro Renascença
A Coodenação do Livro e Literatura da Secretaria da Cultura de Porto Alegre divulgou os finalistas do Prêmio Açorianos de Literatura Adulta e Infantil. O julgamento ocorre em várias categorias, literárias e não-literárias, e em duas etapas de avaliação: a dos júris específicos (indicam os finalistas e, dentre esses, os vencedores em cada categoria) e a do júri final, o qual indica o Livro do Ano entre os vencedores das várias categorias literárias. 
 
Os vencedores de cada categoria serão conhecidos no dia 28 de novembro, às 20h, no Teatro Renascença (av. Erico Verissimo, 307). O autor ganhador do Livro do Ano receberá, além do troféu, um prêmio no valor de 10 mil reais. Também na ocasião, será revelado o título vencedor do Prêmio Açorianos de Criação Literária (Narrativa Longa), em sua 7ª edição, um texto inédito que, além do troféu e da premiação em dinheiro, será publicado pela Editora da Cidade (SMC/PMPA) no ano de 2017. 
Indicações ao Prêmio 

Capa 
A modernidade impressa, de Paula Ramos, capa de Sandro Fetter e Paula Ramos, Ufrgs Editora
Carne Nua, de Mônica Montanari, capa de Ernani Millan Carraro, Editora Belas Letras
Escombros e outros pedaços de coisas no chão, de Camila Gobbi, capa de Humberto Nunes, Editora Terceiro Selo
 
Projeto Gráfico/Design
A menina e o monstro, de Martina Schreiner, Projeto Gráfico/Design de Martina Schreiner, Edição da Autora 
A modernidade impressa, de Paula Ramos, Projeto Gráfico/Design de Sandro Fetter e Paula Ramos, Ufrgs Editora
Herança Impressade Caoria a Porto Alegre: 1914 a 1937, de Zita Francisca Loss, organizado por Laura Haffner Silva, Projeto Gráfico/Design de Laura Haffner Silva, edição da organizadora
 
Infantil 
Bichológico, de Paula Taitelbaum, Editora Piu
Bichos daqui, de lá e de além, de Caio Riter, Ilustrações de Anuska Allepuz, Editora Edelbra
Então quem é?, de Christina Dias, Ilustrações de Rafael Antón, Editora FTD 
 
Infantojuvenil 
No meio do caminho tem uma porta, de Anna Claudia Ramos, Editora Besouro Box
O Caso Dominó, de Heloisa Prieto, Editora Edelbra 
Precisava de você, de Pedro Guerra, Editora Belas Letras
 
Crônica
Menino da verdade, de Fabrício Carpinejar, Editora Edelbra
Noites Gregas, de Cláudio Moreno, L&PM Editores 
Partes Íntimas, de Claudia Tajes, Arquipélago Editorial 
 
Conto 
Amora, de Natalia Borges Polesso, Não Editora
Escombros e outros pedaços de coisas no chão, de Camila Gobbi, Editora Terceiro Selo
O amor que não sentimos e outros contos, de Guilherme Azambuja Castro, Editora CEPE 
 
Poema
A orientação das serpentes, de Clóvis Da Rolt, Editora Modelo de Nuvem
E se alguém o pano, de Eliane Marques, Editora Escola de Poesia 
Typographo, de Ricardo Silvestrin, Editora Patuá
 
Narrativa Longa 
Mistério no Centro Histórico, de Tailor Diniz, Editora Dublinense
O ano em que vivi de literatura, de Paulo Scott, Editora Foz
Só faltou o título, de Reginaldo Pujol Filho, Editora Record
 
Ensaio de Literatura e Humanidades 
Amizades Contemporâneas: inconclusas modulações de nós, de Danichi Hausen Mizoguchi, Editora Sulina e Ufrgs Editora 
História das crianças no Brasil meridional, organização de José Carlos da Silva Cardozo, Jonathan Fachini da Silva, Tiago da Silva Cesar, Paulo Roberto Staudt e Ana Silvia Volpi Scott, Editora Oikos e Editora Unisinos
- Nós cultuamos todas as doçuras, de Marília Floor Kosby, Editora Escola de Poesia
 
Especial
A modernidade impressa, de Paula Ramos, Ufrgs Editora
Antônio Chimango (volumes 1 e 2), organizado por Luís Augusto Fischer, Editora Modelo de Nuvem
Elis – uma biografia musical, de Arthur de Faria, Arquipélago Editorial
 
Finalistas do Prêmio Açorianos de Criação Literária (Narrativa Longa) 2016
A mulher faminta, de Tiago Dantas Germano
Lembranças de um grande amor, de George Ricardo Gradin
O tríptico de Elisa, de Arthur Beltrão Telló  
 


/acorianos_literatura

Texto de: Josiele Rangel de Campos (estagiária) / Supervisão: Cleber Saydelles
Edição de: Andrea Brasil
Autorizada a reprodução dos textos, desde que a fonte seja citada.

Público aprova estrutura e qualidade do Turismo de Galpão


Foto: Brayan Martins/ PMPA
Os dados fazem parte da pesquisa realizada com 432 pessoas no acampamento
Os dados fazem parte da pesquisa realizada com 432 pessoas no acampamento
Foto: Brayan Martins/ PMPA
Reunião contou com patrões dos 40 piquetes parceiros do projeto
Reunião contou com patrões dos 40 piquetes parceiros do projeto

As oficinas práticas sobre diferentes manifestações da cultura gaúcha e as caminhadas guiadas que o projeto Turismo de Galpão oferece aos visitantes do Acampamento Farroupilha são aprovadas pelo público. Entre os participantes das atividades na edição do evento deste ano, em média 96% atribuíram conceitos de “ótimo” e “bom” para as atividades de interação com as tradições e para o Espaço de Hospitalidade que recepciona os visitantes do evento.
 
As oficinas atraem especialmente mulheres (63% do público) e é crescente a participação de jovens com até 20 da idade como também o número de pessoas que já conhecia o projeto (52%) e que retornaram ao evento (56%). Do total de participantes das atividades, os porto-alegrenses somam mais da metade (54%), mas é expressiva a presença de visitantes de outras cidades: 38%, sendo 24% de outros estados brasileiros, em especial da região Sudeste, e 14% do interior gaúcho. Em média, 96% dos entrevistados atribuem conceitos de “ótimo” e “bom” às oficinas e ao Espaço de Hospitalidade do projeto no evento das tradições gaúchas.
 
Pesquisa - Os dados fazem parte da pesquisa por amostragem realizada com o público atraído pelo Turismo de Galpão no Acampamento Farroupilha deste ano, em que 432 pessoas aceitaram responder ao questionário. Os resultados foram apresentados em encontro promovido pela Secretaria Municipal de Turismo (SMTUR) que reuniu patrões e patroas dos 40 piquetes parceiros do projeto e dirigentes do Movimento Tradicionalista Gaúcho (MTG), da 1ª Região Tradicionalista, Fundação Cultural Gaúcha e da Secretaria Municipal de Cultura, entidades parceiras da SMTUR na realização do projeto. A pesquisa com o público que participa das atividades do Turismo de Galpão é realizada desde 2013.
 
O levantamento deste ano, apresentado pela coordenadora do projeto, Natália Medeiros, da SMTUR, mostra um aumento de 14% no público com idade até 20 anos que frequentou as oficinas deste ano, em relação ao anterior. Cruzado este dado com o fluxo de famílias que frequentaram o Espaço de Hospitalidade, especialmente de outras cidades do Estado e do País, sinaliza a presença crescente deste perfil de público nas oficinas e no Acampamento.
 
Satisfação - Além do perfil, a amostragem buscou identificar o nível de satisfação das pessoas com as oficinas oferecidas nos piquetes parceiros, que foram avaliadas em relação à estrutura dos piquetes onde as atividades ocorriam, instrutor, técnica de ensino, duração, tema, material de apoio e hospitalidade. Em média, 96% dos entrevistados consideraram os itens entre “ótimo” e “bom”, com destaque para os quesitos hospitalidade e temas das oficinas que foram aprovados por 98% do público. Nos 18 dias do Acampamento Farroupilha de 2016, o Turismo de Galpão ofereceu 158 oficinas práticas e caminhadas guiadas que levaram aos galpões tradicionalistas parceiros um público recorde, de 1.917 pessoas, incluindo visitantes de 18 estados do país, de 48 cidades gaúchas e estrangeiros de 12 países.
 
O mesmo perfil de avaliação foi obtido sobre o Espaço de Hospitalidade, galpão de recepção e referência do projeto por onde circularam, neste ano, 52 mil pessoas – 20% vindas de 23 estados brasileiros e de 21 países, 45% de 65 cidades do interior do Rio Grande do Sul. Na pesquisa, os conceitos de “ótimo” e “bom” foram atribuídos para a ambientação do galpão por 96% dos entrevistados e o sistema de sinalização indicativa do espaço dentro da área do Acampamento recebeu a mesma aprovação por 94% do público. O destaque ficou para o item hospitalidade no atendimento, aprovado por 98% das pessoas ouvidas. O galpão, que é coordenado pela SMTUR no evento, foi apontado por 40% dos entrevistados como o local onde buscaram informações sobre o Acampamento Farroupilha e a oferta de oficinas da cultura gaúcha, reforçando o papel do Espaço de Hospitalidade como fonte de informação e de orientação sobre a grande festa das tradições gaúchas.
 
Continuidade - Na avaliação das entidades tradicionalistas, os dados da pesquisa reforçam o papel que o projeto assumiu dentro do Acampamento. “Essa iniciativa bem sucedida fez crescer a convivência entre acampados e visitantes que hoje vêm de vários estados e países, por isso é uma parceria que veio para ficar”, avaliou o presidente da 1ª Região Tradicionalista, José Arnildo Mello. O presidente do MTG, Nairo Callegaro, afirmou que assim como tradição gaúcha se tornou universal, o Acampamento Farroupilha seguiu o mesmo caminho se tornando um evento turístico e cultural da cidade. “O Turismo de Galpão já pertence ao Acampamento e à população de Porto Alegre, agora é buscar aperfeiçoar cada vez mais esse processo de valorização, universalização e divulgação da identidade e da cultua gaúcha”, reforçou Nairo, adiantando que a  continuidade do projeto é um compromisso do MTG.
 
Representando a Secretaria Municipal de Cultura, o coordenador de Tradição e Folclore, Giovani Tubino, afirmou que o Acampamento é um evento que a prefeitura realiza a quatro mãos “e os números da pesquisa mostram que não deve haver receio em tratar a cultura gaúcha como um produto para atrair cada vez mais visitantes”. Na avaliação do secretário municipal de Turismo, Luiz Fernando Moraes, as oficinas do Turismo de Galpão são a mais expressiva visibilidade do Turismo Criativo não apenas em Porto Alegre como entre os destinos que trabalham este segmento no mundo pelo público que concentram. “O Turismo de Galpão criou um novo produto e uma nova marca para a capital gaúcha na atração de turistas, é um programa consolidado e que está pronto para seguir em frente”, afirmou Moraes, lembrando que os elevados índices de aprovação conferidos pelo público às oficinas demonstram que os galpões parceiros já assumiram o projeto para si.
 
Para conferir a pesquisa na íntegra, clique aqui.
 


/acampamento_farroupilha /turismo

Texto de: Eliana Zarpelon
Edição de: Manuel Petrik
Autorizada a reprodução dos textos, desde que a fonte seja citada.

29 de outubro de 2016

Finalistas dos Prêmios Açorianos de Literatura Adulta e Infantil e Criação Literária 2016


09:01 28/10/2016, noreply@blogger.com (Lucas Reis Gonçalves), açorianos de literatura, finalistas, prêmio açorianos de literatura, Coordenação do Livro e Literatura



O tradicional Prêmio Açorianos de Literatura Adulta e Infantil, promovido pela Prefeitura de Porto Alegre, por meio da Secretaria da Cultura (SMC) e Coordenação do Livro e Literatura, chegou à sua 23ª edição e divulga seus finalistas durante a 62ª Feira do Livro de Porto Alegre.

O julgamento ocorre em várias categorias, literárias e não-literárias, e em duas etapas de avaliação: a dos Júris Específicos (indicam os finalistas e, dentre esses, os vencedores em cada categoria) e a do Júri Final, o qual indica o Livro do Ano entre os vencedores das várias categorias literárias.

Na Noite do Livro, em 28 de novembro, às 20h, no palco do Teatro Renascença (Av. Érico Veríssimo, 307), conheceremos os vencedores em cada categoria e o Livro do Ano, cujo autor receberá, além do troféu criado por Xico Stockinger, um prêmio no valor de dez mil reais.

Também na ocasião, será revelado o título vencedor do Prêmio Açorianos de Criação Literária 2016 (Narrativa Longa), em sua 7ª edição, um texto inédito que, além do troféu e da premiação em dinheiro, será publicado pela Editora da Cidade (SMC/PMPA) no ano de 2017.

Confira agora os três finalistas por categoria, listados em ordem alfabética pelo título.


Capa

  • A modernidade impressa, de Paula Ramos, capa de Sandro Fetter e Paula Ramos, UFRGS Editora
  • Carne Nua, de Mônica Montanari, capa de Ernani Millan Carraro, Editora Belas Letras
  • Escombros e outros pedaços de coisas no chão, de Camila Gobbi, capa de Humberto Nunes, Editora Terceiro Selo

Projeto Gráfico/Design

  • A menina e o monstro, de Martina Schreiner, Projeto Gráfico/Design de Martina Schreiner, Edição da Autora
  • A modernidade impressa, de Paula Ramos, Projeto Gráfico/Design de Sandro Fetter e Paula Ramos, UFRGS Editora
  • Herança Impressa: De Caoria a Porto Alegre: 1914 a 1937, de Zita Francisca Loss, Organizado por Laura Haffner Silva, Projeto Gráfico/Design de Laura Haffner Silva, Edição da Organizadora

Infantil

  • Bichológico, de Paula Taitelbaum, Editora Piu
  • Bichos daqui, de lá e de além, de Caio Riter, Ilustrações de Anuska Allepuz, Editora Edelbra
  • Então quem é?, de Christina Dias, Ilustrações de Rafael Antón, Editora FTD

Infantojuvenil

  • No meio do caminho tem uma porta, de Anna Claudia Ramos, Editora Besouro Box
  • O Caso Dominó, de Heloisa Prieto, Editora Edelbra
  • Precisava de você, de Pedro Guerra, Editora Belas Letras

Crônica

  • Menino da verdade, de Fabrício Carpinejar, Editora Edelbra
  • Noites Gregas, de Cláudio Moreno, L&PM Editores
  • Partes Íntimas, de Claudia Tajes, Arquipélago Editorial

Conto

  • Amora, de Natalia Borges Polesso, Não Editora
  • Escombros e outros pedaços de coisas no chão, de Camila Gobbi, Editora Terceiro Selo
  • O amor que não sentimos e outros contos, de Guilherme Azambuja Castro, Editora CEPE

Poema

  • A orientação das serpentes, de Clóvis Da Rolt, Editora Modelo de Nuvem
  • E se alguém o pano, de Eliane Marques, Editora Escola de Poesia
  • Typographo, de Ricardo Silvestrin, Editora Patuá

Narrativa Longa

  • Mistério no Centro Histórico, de Tailor Diniz, Editora Dublinense
  • O ano em que vivi de literatura, de Paulo Scott, Editora Foz
  • Só faltou o título, de Reginaldo Pujol Filho, Editora Record

Ensaio de Literatura e Humanidades

  • Amizades Contemporâneas: Inconclusas modulações de nós, de Danichi Hausen Mizoguchi, Editora Sulina e UFRGS Editora
  • História das crianças no Brasil meridional, Organização de José Carlos da Silva Cardozo, Jonathan Fachini da Silva, Tiago da Silva Cesar, Paulo Roberto Staudt e Ana Silvia Volpi Scott, Editora Oikos e Editora Unisinos
  • Nós cultuamos todas as doçuras, de Marília Floor Kosby, Editora Escola de Poesia



Finalistas do Prêmio Açorianos de Criação Literária (Narrativa Longa) 2016

  • A mulher faminta, de Tiago Dantas Germano
  • Lembranças de um grande amor, de George Ricardo Gradin
  • O tríptico de Elisa, de Arthur Beltrão Telló

Semana da Cultura Riograndense em Açores é anunciada na abertura da Feira do Livro





Os Jacarandás já floriram, as tradicionais bancas estão montadas há dias. Mas é só quando toca a sineta que a Feira do Livro realmente começa. O som tomou conta da Praça da Alfândega na noite desta sexta-feira (28), depois da abertura oficial no Teatro Carlos Urbim.
A cerimônia foi cheia de emoção. O Coral de estudantes da Escola Estadual Carlos Bina, de Gravataí/RS, cantou o Hino dos Açores, o Brasileiro e o do Rio Grande do Sul. Aliás, música e poesia não faltaram. Não houve discurso que não tivesse um tom poético.
Coral da Escola Estadual Carlos Bina, de Gravataí/RS (Foto: Otávio Fortes - Divulgação Feira do Livro)
Coral da Escola Estadual Carlos Bina, de Gravataí/RS (Foto: Otávio Fortes – Divulgação Feira do Livro)
O Presidente da Câmara Rio-Grandense do Livro disse que esse não é um tempo de ficarmos sentados, apenas esperando soluções. Ao contrário: segundo Marco Cena, mais do que nunca, é hora de arregaçar as mangas: “Nao adianta apontar dedo e fazer acusações. Muito melhor é estender o polegar e pedir carona. Essa é uma Feira da superação. Deixemos de lado a crise, o radicalismo, a solidão. Essa é a Feira da esperança”, completou.
O patrono de 2015, Dilan Camargo passou o posto para a escritora Cintia Moscovich. Ela tomou posse da simbólica chave e falou em tom emocionado: “Nao sou mais do que uma guriazinha do Bom Fim, com coração espremido, que ainda não sabe se eh digna de tamanha honraria. Vocês me fizerem voltar a crer no meu ofício”.
Marco Cena, Dilan Camargo e Cíntia Moscovich
Marco Cena, Dilan Camargo e Cíntia Moscovich
Mas além de belas palavras sobre a Feira e a Literatura, um outro tema esteve presente nas falas: a homenagem aos Açores, que dá o tom à Feira do Livro deste ano. O arquipélago é um território autônomo da República Portuguesa e tem forte relação com Porto Alegre,  já que o povoamento da capital gaúcha começou em 1752 com a chegada de 60 casais açorianos, trazidos por meio do Tratado de Madri.
O Diretor Regional das Comunidades da Presidência dos Açores agradeceu a honraria e ressaltou a forte ligação do Rio Grande do Sul com o arquipélago: “Porto Alegre deveria ser “Porto Alegre e Simpática”. Mas o nome ficaria muito grande! Somos muito bem recebidos aqui, somos irmãos”, garantiu  Paulo Teves.
E foi justo depois dessa fala, que o Secretário de Estado da Cultura, Victor Hugo, deu uma boa notícia: “Estou determinando um novo edital do FAC, o Fundo de Apoio à Cultura, no valor de R$250 mil. A partir dele será feita uma seleção para, em setembro do ano que vem, estarmos lá realizando a Semana da Cultura Riograndense em Açores.
Semana da Cultura Riograndense em Açores deve acontecer em Setembro do ano que vem
Festival da Cultura Riograndense em Açores deve acontecer em Setembro do ano que vem
A 62ª Feira do Livro de Porto Alegre conta com extensa programação em homenagem a Açores e aos açorianos, entre seminários, debates, apresentações e oficinas. O público poderá conhecer mais a fundo o trabalho de escritores como Vasco Pereira da Costa, Madalena San-Bento, Eduíno de Jesus, entre outros.
Neste ano, o evento conta com área total de 10 mil m², sendo 6 mil m² de área coberta. São 93 bancas de venda de livros na Área Geral, 12 na Área Infantil e 6 na Área Internacional – movida para o interior do primeiro andar do Memorial do Rio Grande do Sul, a fim de aproveitar as estruturas permanentes existentes na Praça da Alfândega. O prédio histórico acolhe também alguns espaços da Área Infantil, como a Biblioteca Moacyr Scliar e a Bebeteca, além da Estação da Acessibilidade – que oferece, entre outros serviços, passeios guiados para cegos e surdocegos, tradução em libras, programação da Feira em braille e empréstimo de cadeiras de rodas.
A 62ª Feira do Livro de Porto Alegre ocorre de 28 de outubro a 15 de novembro na Praça da Alfândega, Centro Histórico da capital gaúcha.

28 de outubro de 2016

Governo do Estado investe mais de R$ 2 milhões em projetos de Literatura



Governo do Estado investe mais de R$ 2 milhões em Projetos de Literatura
Assunto foi abordado na estreia do programa Sala de Cultura

A partir desta sexta-feira (28), os apaixonados por cultura tem um novo canal de comunicação, todas as sextas-feiras, a partir das 10h da manhã: sob o comando da Jornalista Sabrina Thomazi, o “Sala de Cultura” promete informar, debater e avaliar o que vem sendo feito nessa área no Rio Grande do Sul. “É bom demais ter um espaço exclusivo pra falarmos sobre isso. Tem muita coisa positiva acontecendo, não só em Porto Alegre, mas em todo o Rio Grande do Sul. Nosso estado conta com pessoas gabaritadas em todo cenário cultural. Precisamos ouvir o que elas tem a dizer e mostrar para a população o que vem sendo feito, afinal, mesmo com a crise, seguimos financiando mais de R$30 milhões só através da Lei de Incentivo à Cultura. Sem falar em outras formas de investimento”, comemora o Secretário Estadual de Cultura, Victor Hugo.
Ele foi um dos participantes do primeiro programa. O assunto não poderia ser outro: Feira do Livro. Ao lado do Secretário, convidados de peso: o Presidente da Câmara Riograndense do Livro, Marco Cena, a Patrona, Cíntia Moscovich, e a responsável pela TV Feira do Livro, Sonia Garcez.
Sala de Cultura estreou nesta sexta-feira (28), falando sobre Feira do Livro
Sala de Cultura estreou nesta sexta-feira (28), falando sobre Feira do Livro
Os números são expressivos: dez projetos estão sendo realizados através de financiamento da Lei de Incentivo à Cultura (LIC) em 8 municípios, de 4 diferentes COREDES, totalizando R$ 2.062.334,17 em investimento. Outros quatro projetos também foram beneficiados com recursos do Fundo de apoio à Cultura (FAC). Eles envolvem 11 municípios, de quatro COREDES e representam um investimento de R$200 mil.
O programa “Sala de Cultura” na íntegra você acessa através do site:
https://m.soundcloud.com/governo-rio-grande-do-su/aberta-programacao-da-62-feira-do-livro-de-porto-alegre-sala-de-cultura-2810
Conheça quais os Projetos que receberam investimento do Governo Gaúcho em 2016:
LIC
- Cultura, Sociedade E Igrejas: A comunidade de Arroio do Meio escreve a sua história
- Feira do Livro de Canoas
-Feira do Livro de Dois Irmãos
-Feira do Livro de Ivoti
-Feira do Livro de Nova Hartz
-Feira do Livro de Picada Café
-Feira do Livro de Porto Alegre
-Feira do Livro de Porto Alegre
-Proucura-se Criança Encantada
-Songbook – Luiz Carlos Borges ´A Alma Atada na Gaita´
FAC
- “Histórias Incríveis da Quarta Colônia”
- ACISAP – 50 anos na Relação Comércio Consumidor
- Herança Açoriana no Litoral Norte Gaúcho
- XADALU – Movimento Urbano

Cavalgada MTG 50 anos chega na Harmonia