Postagem em destaque

Justiça cassa mandato do Conselho Municipal de Cultura de Porto Alegre

A decisão do juiz José Antonio Coitinho, titular da 2ª Vara da Fazenda Pública de Porto Alegre, em Mandado de Segurança impetrado p...

31 de maio de 2015

VIDA DE MÚSICO NO RS



Com raras exceções a vida de quem depende somente de sua arte musical no Rio Grande do Sul, embora bonita, andarenga e atrativa, é muito difícil. É meio assim tipo "tosa de porco", ou seja, muito grito e pouca lã.
Tem que matar um leão por dia, correr atrás do bonde, disputar a tapa um espaço minguado.
Claro que nestes entremeios existe o lado bom. Viver da arte musical é um privilégio. Fazer do verso sua existência é um dom para poucos. Tem a vitrine, as amizades, o assédio dos fãs, a admiração de todos os riograndenses que apreciam a cantoria crioula... Isto tudo é muito lindo mas o seu preço é alto, ou melhor, o seu preço deveria ser alto pois o que recebem por alegrar o mundo com seus versejares é irrisório se comparando com a nobreza de seu trabalho.
O que se paga por espetáculos a artistas do sul em qualquer evento é um décimo do que recebe qualquer duplinha sertaneja que desembarca por aqui. Isto quando recebem pois muitas vezes tem que correr atrás de empresários, patrões de centros de tradições, promotores de eventos...
E o ECAD? O que o ECAD repassa aos autores e intérpretes é uma vergonha.
Afora isto, viver na estrada tem aquele "que" de liberdade mas chega um ponto em que cansa. Mas não tem jeito. Tem que seguir adiante. Dormindo em ônibus, correndo riscos nestas madrugadas frias.
O palco é uma coisa, a vida fora dele é outra. A ribalta é iluminada, colorida, como deveria ser a existência de todos os músicos. A realidade, no entanto, muitas vezes é cruel.
Por isto eu louvo, admiro, sou fã de quem vive de cantar, de tocar um instrumento. Por isso tenho inveja daqueles que tem sina de cigarra e que, mesmo na dor, encontram vasa para decantar suas desilusões.
Enquanto existir um músico, um cantor, um poeta regionalista, nativista, galponeiro, campeiro, ou seja lá o terrunho que for, o Rio Grande velho pode até apodrecer, mas te juro que não cai.
Léo Ribeiro

CONVOCAÇÃO REUNIÃO CONSELHO DE CULTURA DIA 11/06/15

PREZADOS CONSELHEIROS ATUAIS E FUTUROS NOVOS CONSELHEIROS
 
CONVOCAMOS A TODOS PARA REUNIÃO IMPORTANTÍSSIMA DO CONSELHO DE CULTURA:
 
QUANDO: DIA 11/06/2015
HORÁRIO: 19 HORAS
LOCAL: ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA - 3º OU 4º ANDAR
 
PAUTA: 
- Continuidade da recepção aos novos futuros conselheiros para se inteirarem das atividade do conselho visando uma continuidade das ações.
- Informes gerais sobre processos jurídicos, que estão todos em fase conclusão.
 A responsabilidade de manter o conselho atuante é de todos os conselheiros, o conselho só existe se existir os conselheiros atuantes, presentes e fortalecendo as ações da diretoria, por isso a importância de todos comparecerem mostrando que o conselho esta vivo.
Os conselheiros atuais são convocados os futuros são convidados.
 
O MOMENTO É DE TODOS AJUDAREM PELA MANUTENÇÃO E SOBREVIVÊNCIA DO CONSELHO, POIS A RESPONSABILIDADE  É COLETIVA.
 
PEDIMOS A TODOS RESPONDEREM AO EMAIL CONFIRMANDO A PRESENÇA, DISPENSANDO ASSIM QUE SEJA NECESSÁRIO TELEFONAR.
 
OBRIGADO DESDE JÁ.
 
GUIMARÃES
PRES. CONSELHO EM MANDATO PRORROGADO. 
 

28 de maio de 2015

Nota da Secretaria de Estado da Cultura sobre o cancelamento da 16ª Jornada Nacional de Literatura de Passo Fundo



Diante da ampla repercussão nos meios de comunicação e nas redes sociais a respeito do cancelamento da 16ª Jornada Nacional de Literatura de Passo Fundo, a Secretaria de Estado da Cultura vem a publico manifestar que, assim como toda a comunidade cultural, lamenta o ocorrido.
A Secretaria esclarece também que o evento possui um valor aprovado para captação junto ao Pró-Cultura RS – Lei de Incentivo à Cultura (LIC) de R$ 1.017.890,50. Antes mesmo do anúncio oficial do cancelamento, o secretário Victor Hugo reuniu-se com o reitor da Universidade de Passo Fundo (UPF) José Carlos Carles de Souza e garantiu o compromisso do Governo do Estado com a jornada.
De nossa parte, portanto, não pode ser atribuída falta de compromisso, e acreditamos que ainda há tempo para que as empresas, diante da comoção da sociedade como um todo, se sensibilizam e viabilizem a realização16ª da Jornada Nacional de Literatura de Passo Fundo.
Secretaria de Estado da Cultura
Governo do Rio Grande do Sul

Missões Jesuítas Guaranis e pajada são declaradas bens culturais do Mercosul


A Comissão de Patrimônio Cultural (CPC) do Mercosul decidiu por unanimidade, nesta quarta-feira, 27 de maio, reconhecer as Missões Jesuítas Guaranis, Moxos e Chiquitos e a pajada como patrimônios culturais da região. A XI Reunião da CPC teve início hoje, 27, em Jaguarão (RS) e segue até o dia 30 de maio. A proposta de candidatura do Sistema Missioneiro na região Guarani, Moxos e Chiquitos foi elaborada pelo Comitê Técnico ad hoc formado por especialistas da Colômbia, do Chile e Equador, ressaltando os valores e a importância das Missões Jesuíticas para o cenário cultural dos países da América Latina.

Para o assessor de Relações Internacionais do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) e delegado representante do Brasil na XI CPC, Marcelo Brito, esta decisão é de grande importância para os países integrantes do Mercosul. Segundo ele, "foi um processo muito rico, de trabalho em conjunto, de troca de ideias e de visões, que culminou com essa aprovação, trazendo avanços para um aprofundamento quanto aos valores materiais e imateriais desse bem, e que servirá de referência para os demais países da região e do mundo".

A representante do Comitê Técnico ad hoc Patrícia Huenoqueo Canales ressalta que os esforços conjuntos entre Argentina, Bolívia, Brasil, Paraguai e Uruguai foram essenciais para que a CPC alcançasse esse resultado. "Esse reconhecimento constitui um vínculo entre cinco países e, dentro dessa perspectiva, chegamos a um grande avanço para a valorização do patrimônio cultural em comum dessa região." 
 
Missões Jesuíticas

As Missões Jesuítas Guaranis, Mochos e Chiquitos constituem em alguns aspectos essenciais, um bem patrimonial único, com elementos fortemente vinculados entre si, onde cada parte tem sua singularidade, que ajuda na compreensão e apreciação de um todo. Além disso, o sistema das Missões Jesuíticas faz parte de uma herança comum entre cinco países componentes do Mercosul. A partir dessas características, a comissão técnica ad hoc elencou os valores do bem a serem preservados com o reconhecimento pela CPC: Valores etnográficos, históricos, paisagísticos, urbanísticos, arquitetônicos, artísticos e arqueológicos.

Os remanescentes missioneiros de São Miguel Arcanjo, no Brasil, foram inscritos na Lista do Patrimônio Mundial em 1985, junto com as reduções de San Ignácio Mini, Santa Ana, Nuesta Señora de Loreto e Santa Maria Mayor, na Argentina. Esses são os principais remanescentes das missões jesuíticas em território Guarani, caracterizando uma particular organização social e forma de ocupação do território sul-americano.

A pajada

A pajada é uma espécie de poesia improvisada predominante em alguns países da América do Sul, entre eles Argentina, Chile e Paraguai. O reconhecimento desse patrimônio, considerando seus aspectos culturais singulares, ressalta a necessidade de valorizar e reconhecer a importância dos versos e da musicalidade desse bem cultural.

Texto: Sylvia Braga - Assessoria de Imprensa do Iphan

27 de maio de 2015

Conselho aprova Moção contra SMC no Fórum dos Conselhos

Hoje, em reunião ordinária do FMCC - Fórum Municipal dos Conselhos da Cidade realizada na Casa dos Conselhos por solicitação do Conselho de Cultura-CMCPOA foi aprovada POR AMPLA MAIORIA, nenhum voto contra , somente duas abstenções uma Moção de Apoio e Repudio e Descontentamento contra a Secretaria Municipal de Cultura de Porto Alegre, abaixo transcrita:
MOÇÃO DE REPÚDIO E DESCONTENTAMENTO CONTRA A SMC POA

Por continuar a realizar ações desconsiderando o Conselho Municipal de Cultura de Porto Alegre e:

1 - Encaminhar  o Projeto  PLE 25/2014 para a Câmara de Vereadores diferente  do texto aprovado no Conselho de Cultura por duas ocasiões e construir um projeto sem a participação dessa instância da democracia participativa;

2 -  Encaminhar os Editais para Eleições e renovação do conselho de cultura, que deveriam ser abertos em 2013, somente em 2014 e deixando o CMC totalmente fora do processo.

Porto Alegre, 27 de Maio de 2015

Conselho Municipal de Cultura
Paulo Roberto Rossal Guimarães 





26 de maio de 2015

Breves comentários sobre a dança de salão no brasil


 
Falar sobre um tema que nos dá tanto prazer e que nos faz tão bem é um privilégio, ainda mais quando esta fala termina com um convite! Hoje tenho o prazer de trazer algumas parcelas do texto da Jussara Vieira Gomes, falando sobre a Dança de Salão no Brasil.
dance 1 Breves comentários sobre a dança de salão no brasil
A dança é uma das manifestações artísticas mais antigas da humanidade. Teve origem nos gestos e movimentos naturais do corpo humano para expressar emoções e sentimentos, a partir da necessidade de comunicação entre os homens.
A dança é uma das manifestações artísticas mais antigas da humanidade. Teve origem nos gestos e movimentos naturais do corpo humano para expressar emoções e sentimentos, a partir da necessidade de comunicação entre os homens.
Inicialmente, a dança integrava rituais dedicados aos deuses, objetivando pedir auxílio para a realização de boas caçadas e pescarias, para que as colheitas fossem abundantes, para que fizesse sol ou chovesse. A dança fazia parte, também, de manifestações de júbilo e congraçamento pela vitória sobre inimigos e por outros eventos felizes. Com o passar do tempo, cada povo desenvolveu suas próprias formas e estilos de dançar, caracterizando suas diferentes culturas, da mesma forma que a música, o vestuário, a alimentação, etc, marcam o jeito de ser próprio de cada sociedade.
aula danca Breves comentários sobre a dança de salão no brasil
Dependendo de seus objetivos, surgiram diversos tipos de dança: a guerreira, a teatral, a ritual ou religiosa, a popular ou folclórica (geralmente dançada em festas populares, em grupos e ao ar livre), o balé clássico e a dança moderna (artísticos e mais voltados para espetáculos), a dança social ou de salão, a dança esportiva, o balé no gelo ou patinação artística e outros tipos. A dança esportiva e a patinação artística são modalidades de caráter competitivo e estão em processo de inclusão entre os esportes olímpicos. e A dança social ou dança de salão é praticada por casais, em reuniões sociais e surgiu na Europa, na época do Renascimento.
Pelo menos desde os séculos XV e XVI, tornou-se uma forma de lazer muito apreciada, tanto nos salões dos palácios da nobreza, como entre o povo em geral. É chamada de social por ser praticada por pessoas comuns, em festas de confraternização, propiciando o estreitamento de relações sociais de amizade, de romance, de parentesco e outras.
danca de salao Breves comentários sobre a dança de salão no brasil
De salão, porque requer salas amplas para os dançarinos fazerem livremente suas evoluções e porque foi através da sua prática nos salões das cortes reais européias que este tipo de dança foi valorizado e levado para as colônias da América, Ásia e África, sendo divulgado pelo mundo todo e transformando-se num divertimento muito popular entre diversos povos.
A dança de salão chegou ao Brasil trazida pelos colonizadores portugueses, ainda no século XVI, e mais tarde, pelos imigrantes de outros países da Europa que para cá vieram. Num país como o Brasil, com tão fortes e diferentes influências culturais, não tardaram a se mesclar contribuições dos povos indígenas e africanos, num processo de inovação e modificação de algumas das danças européias importadas, bem como de surgimento de novas danças, bem brasileiras. e O Rio de Janeiro, na medida em que foi capital do Brasil desde o período colonial até 1960, sempre foi o pólo irradiador de cultura, modismos e inovações em geral para o resto do país. Em 1808, a corte portuguesa transferiu-se para cá e trouxe consigo muitos dos gostos e hábitos sociais europeus daquela época, inclusive as danças que estavam na moda e o costume dos bailes freqüentes.
[…]Nos bailes, as pessoas se divertiam, faziam negócios e novos amigos, muitos namoros começavam, enquanto outros casais faziam as pazes, depois de brigas e desentendimentos. Muitas vezes, até problemas de ordem política e econômica, que afetavam o país, eram discutidos em bailes diplomáticos e outros, aos quais compareciam dirigentes da nação.
Gostou do que leu até aqui? Para ler o texto na íntegra, acessa o link – Um pouco sobre a história da dança de salão no Brasil.

Conselho presente reunião aberta CEC em 26/05/15

Estivemos presente por convite do CEC, Conselho Estadual de Cultura  em reunião aberta CEC pauta: presentes gestores, Biblioteca Estadual, Iphae, MAC, IAVI.
Guimarães Presidente  Conselho Municipal de Cultura
F: 3338.8738 / 9987.5880

25 de maio de 2015

#OCUPE OS CONSELHOS MUNICIPAIS

Via:

http://www.pragmatismopolitico.com.br/2015/02/mas-o-que-e-um-conselho-municipal.html

#OCUPE OS CONSELHOS MUNICIPAIS

Mas, o que é um conselho municipal?

O conselho municipal de políticas públicas é canal efetivo de participação, que permite estabelecer uma sociedade na qual a cidadania deixe de ser apenas um direito, mas uma realidade

conselho municipais direitos humanos idoso deficiência mulher
Marcelo Pires Mendonça e Milena Franceschinelli, Pragmatismo Político
A campanha #ocupeosconselhosmunicipais, lançada nas redes sociais, traz para o centro do debate a instância primeira, a base de sustentação da participação social, que são os conselhos de políticas públicas dos municípios. Ocupar significa aqui participar das decisões em prol do interesse popular e social, como está assegurado em nossa Constituição Federal de 1988. Exercer o parágrafo único do Art° 1, que proclama que “Todo o poder emana do povo, que o exerce por meio de representantes eleitos ou diretamente, nos termos desta Constituição”. O fortalecimento e o aperfeiçoamento destes mecanismos nas cidades, por meio de ações decorrentes da Política Nacional de Participação Social (PNPS) são condições inexoráveis para a sua consolidação. Não há Conselho Nacional que prescinda da sua base, e mesmo com grandes dificuldades, todos os conselhos desenvolvem campanhas e ações para a criação, melhor funcionamento e efetividade das suas instâncias municipais. Com caráter nacional, a campanha #ocupeosconselhosmunicipais deve ocorrer no município envolvendo os conselhos existentes, entidades da sociedade civil, e o poder público (Prefeitura, Câmara de Vereadores, Ministério Público Municipal e seus procuradores no município). Assim a sociedade civil pode se apropriar de seus direitos por meio da participação direta.
Mas, afinal, o que são os conselhos municipais? Esta é uma pergunta cuja resposta se torna essencial diante da atual controvérsia acerca da PNPS. Para responder o questionamento apresentado no título, trazemos a definição de conselhos do Portal da Transparência: “Os conselhos gestores de políticas públicas são canais efetivos de participação, que permitem estabelecer uma sociedade na qual a cidadania deixe de ser apenas um direito, mas uma realidade. A importância dos conselhos está no seu papel de fortalecimento da participação democrática da população na formulação e implementação de políticas públicas”.
Infelizmente, os conselhos municipais ou conselhos gestores de políticas públicas e a participação social encontram-se invisíveis para grande parte da população, em especial da juventude, apesar do seu alcance, capilaridade e, sobretudo, pertinência na formulação e controle da execução das políticas públicas setoriais. Neste cenário (já em 1999 o Brasil contava com 26,9 mil Conselhos Municipais, segundo o IBGE), os desafios postos para a juventude são especialmente substanciais, considerando que menos de 6% dos municípios brasileiros possuem conselhos da juventude. A criação, ocupação e consolidação de tais espaços seria um encaminhamento assaz pertinente às demandas levadas às ruas pelos jovens durante as “jornadas de junho”, dado o seu caráter dialógico entre poder público e sociedade civil. Dados do IBGE (2012) demonstram que conselhos municipais como os de Saúde, Assistência Social e de Direitos da Criança e Adolescente existem e estão em pleno funcionamento em 99% das cidades brasileiras. Os Conselhos de Direitos da Pessoa Idosa, de Cultura e de Meio Ambiente estão presentes em mais de 50% de nossos municípios; outros como de Segurança Alimentar, de Direitos da Pessoa com Deficiência e de Direitos da Mulher são criados num ritmo crescente e já ultrapassa 30% de municípios alcançados, o que evidencia a abrangência e o potencial destas instâncias de participação.
Conhecer este instrumento é fundamental para viabilizar a participação da sociedade. Assim como reconhecer que ser conselheiro é exercer o protagonismo do processo de consolidação da democracia em nosso país. É vivenciar plenamente a cidadania. É cuidar de nossas cidades para ser mais bem cuidado por elas. Um dado positivo é o de que o número de conselhos é crescente. Porém, este fato por si só não necessariamente se traduz em mais participação social. Os conselhos sofrem de uma doença crônica de invisibilidade e falta de recursos (humanos, orçamentários, de infraestrutura). Também são afetados pelos vícios e equívocos da democracia representativa, além de existirem casos de interferência política de administrações municipais que cooptam e instrumentalizam tais espaços, prejudicando a sua efetividade e comprometendo a sua autonomia. Falta publicizar informações sobre o tema, então falta participação. Por isso o desafio de evidenciar os conselhos municipais, esfera mais próxima do/a cidadão/ã, é fundamental para o amadurecimento da participação social e popular.
Os conselhos municipais são espaços poderosos, estão relacionados a todas as esferas de poder e a uma diversidade de temáticas. O legislativo, as Câmaras Municipais, acompanham e influenciam diretamente suas dinâmicas e ações. O poder judiciário, principalmente na figura do Ministério Público e seus agentes municipais é parceiro em diversas ações visando à garantia dos direitos de toda população. Por fim, o executivo é sempre integrante dos conselhos municipais, pois a função essencial desta instância é exercer o controle social das atividades da Prefeitura. “É preciso dar vida aos conselhos, colocar neles os melhores quadros políticos e as mais fortes entidades sociais, estabelecer uma agenda de diálogo permanente com a população, abrir todos os dados e informações governamentais, e, principalmente, permitir-se ao aprendizado, à mudança, ao convencimento democrático”. Ressalta a ex-secretária de Participação Social de Caruaru-PE, Louise Caroline. Quando a sociedade civil ocupa os conselhos, descobre que se a merenda escolar não está boa é possível recorrer ao Conselho de Alimentação Escolar (CAE). Percebe que se existe uma violação do meio ambiente, é possível recorrer ao Conselho Municipal de Meio Ambiente (CMMA). Que se existe interesse em contribuir com as políticas culturais, temos o Conselho Municipal de Política Cultural (CMPC). E ainda existem o Conselho de Saúde, Educação, Segurança Alimentar e Nutricional, Economia Solidária, dentre inúmeros outros. Espaços institucionalizados da construção, debate e monitoramento de políticas públicas setoriais, todos esperando por nossa participação, nossos sonhos, nossas ideias.
O aperfeiçoamento dos conselhos passa pela garantia de sua autonomia administrativa e financeira, pela efetiva participação da sociedade civil em sua gestão, e por sua ocupação sistemática por parte da população a fim de assegurar a sua descentralização, o amplo conhecimento de suas funções e objetivos, além de sua intervenção eficaz. “Disputar não apenas a qualidade dos serviços públicos no dia a dia da população, mas o exercício democrático por direitos e cidadania. Disputar a legitimidade dos sujeitos representados e a diversidade de direitos seja do campo ou da cidade. Desconstruir o senso comum que prevalece nos setores conservadores, que em períodos de crise financeira sugerem cortar políticas sociais, por concebê-las como gastos e não investimento. Políticas sociais geram empregos, dinamizam a economia local, interiorizam o desenvolvimento por meio das ações do Estado“, afirma Maria do Socorro, Presidente do Conselho Nacional de Saúde. Desta forma, o desafio para a sociedade civil é o de fortalecer a sua participação para fortalecer os conselhos.
Por tudo isso, #ocupeosconselhosmunicipais.

24 de maio de 2015

Em novo protesto, grupo projeta fundação em defesa do Cais Mauá

Via Zero Hora:

Por mais debate

Manifestantes se reuniram na Rua Sepúlveda, em frente ao pórtico central do cais, para contestar a atual proposta de revitalização da área

23/05/2015 - 20h23min | Atualizada em 23/05/2015 - 21h03min
Em novo protesto, grupo projeta fundação em defesa do Cais Mauá Ricardo Duarte/Agencia RBS
Coletivo defende que a área não continue abandonada e degradada, mas é contra o uso comercial do espaço no Centro Foto: Ricardo Duarte / Agencia RBS
O coletivo Cais Mauá de Todos voltou a se manifestar, na noite deste sábado, contra o projeto de revitalização da área portuária de Porto Alegre, que prevê a construção de um shopping e torres no local. O objetivo é impedir a construção, assim como foi evitada a transformação do Parcão em um lote de 40 prédios nos anos 1950 e a derrubada do Mercado Público nos anos 1970, explica o grupo.

Grupo pede mudança no projeto de revitalização do Cais Mauá
 
Obras no Cais Mauá, em Porto Alegre, paralisam à espera de licença


Para atrelar o movimento a outras iniciativas pelo Brasil, houve um contato com os defensores do Cais Estelita, no Recife, onde há uma forte luta para impedir a construção de várias torres comerciais na orla. O passo seguinte é criar a chamada Fundação Cais Mauá para "marcar presença em qualquer movimento de revitalização do Cais, presente ou futuro", informa o grupo.

— Não conseguimos ter vez e voz apenas como coletivo. Falta essa parte institucional, da fundação, para que possamos ser ouvidos — afirma João Volino, sociólogo que é um dos organizadores do evento.


O grupo não se declara contra a revitalização, mas pede que o projeto seja desenvolvido sob três pilares: transparência, legalidade e participação popular — que, apontam os representantes, estão faltando por parte da prefeitura. Conforme a advogada Jacqueline Custódio, uma das porta-vozes do coletivo, a criação de uma fundação permitiria institucionalizar a representação do Cais Mauá de Todos.
— Sempre que tentamos chamar para o diálogo, foi por iniciativa nossa. A prefeitura pode já considerar esta questão encerrada, mas achamos que não está — diz Jacqueline.
O evento anterior ocorreu em 18 de abril. Na ocasião, o grupo pediu a reformulação do projeto, e sugeriu alternativas. A prefeitura, porém, informou na época que não haveria mudanças no atual projeto.

Obras de revitalização do Cais do Porto continuam paradas

Foi em 2010 que o governo do Estado lançou o edital para escolher a empresa que fará a reforma da área. O consórcio Porto Cais Mauá, formado por espanhóis e brasileiros, venceu o edital e ganhou o direito sobre a área por 25 anos. O contrato foi assinado pela então governadora Yeda Crusius e, no ano seguinte, o governador Tarso Genro decidiu dar continuidade ao projeto. O início das obras estava previsto para o primeiro semestre de 2012, mas o anúncio oficial só aconteceu no final de 2013.
Em janeiro de 2014, as estruturas do Cais do Porto que não são tombadas pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional entraram em processo de demolição, mas obras foram paradas até que o relatório de impacto ambiental seja aprovado, segundo relatou a prefeitura, em fevereiro, à reportagem de Zero Hora.
* Zero Hora

22 de maio de 2015

Projeto Escola da Ospa na Comunidade visita escola na Lomba do Pinheiro



O quinteto de metais formado por alunos do conservatório da orquestra leva sua música para a Escola Estadual Rafaela Remião no dia 27 de maio, quarta-feira, às 15h. Esse é o segundo recital da iniciativa estreada neste mês.
No dia 27 de maio, quarta-feira, às 15h, acontece uma nova edição do projeto Escola da Ospa na Comunidade, que leva a música dos estudantes do Conservatório Pablo Komlós para os mais variados espaços de Porto Alegre. Desta vez, os jovens músicos da escola da orquestra interpretam um repertório variado para os alunos da Escola Estadual Rafaela Remião, na Lomba do Pinheiro.
Quem se apresenta é o quinteto de metais formado por Isac Soares (trompete), Isaías Nowinski (trompete), Alexandre Caldas Filho (trompa), Bruno Gabriel Jardim (trombone) e Bruno dos Santos Cavalcanti (tuba). O jovem Isac, trompetista do grupo, comenta que espera que o público goste do repertório predominantemente popular, preparado especialmente para o projeto.
Os alunos da escola da Lomba do Pinheiro poderão apreciar obras que vão da MPB ao barroco. Entre elas estão: “Carinhoso”, de Pixinguinha; “Fascinação”, de Maurice de Feraudy e Dante Pilade Marchetti (Tradução: Armando Louzada); “Raindrops Keep Falling On My Head ”, de Hal David e Burt Bacharach; e “Trompete Voluntário”, obra atribuída ao inglês Henry Purcell, embora estudos indiquem que foi escrita por Jeremiah Clarke.
Diego Grendene de Souza, diretor da Escola de Música da Ospa, comenta a possibilidade de trocas de experiências entre os alunos do conservatório e da escola Rafaela Remião: “alguns dos nossos estudantes que participarão estão na mesma faixa etária dos alunos da Escola”.
O projeto, que tem como objetivo aproximar a comunidade do trabalho desenvolvido pela Escola de Música da Ospa, estreou neste mês com recitais no Instituto de Cardiologia e na Fundação de Atendimento Sócio-Educativo do Rio Grande do Sul (FASE). Estão previstas duas edições por mês em espaços como escolas, bibliotecas, hospitais e lares de idosos. Além desta apresentação na Escola Estadual Rafaela Remião no dia 27, outro recital já está marcado para o dia 9 de junho, no Lar de Idosos Maurício Seligman.
Sobre a Escola de Música da Ospa
Fundada em 1972, a Escola de Música da OSPA – Conservatório Pablo Komlós cumpre função fundamental para o fomento cultural no Rio Grande do Sul. Promove formação musical gratuita, voltada para músicos de orquestra, oferecendo oportunidade de profissionalização na área. Grande parte dos instrumentistas que hoje integram a Ospa estudaram na instituição, bem como muitos músicos que atuam em outras orquestras ou nas mais diferentes áreas da música, no Brasil e no exterior.
Hoje a escola atende em torno de 140 alunos, sendo que novos estudantes serão admitidos até o final de maio. Além disso, o conservatório conta com grupos orquestrais, regidos pelo maestro e violinista Arthur Barbosa, e com um coral, dirigido pelo regente e violista Cosmas Grieneisen.
Texto: Ana Eidam
Revisão: Mariana Sirena

21 de maio de 2015

Victor Hugo anuncia investimento de R$ 3 milhões para cultura

O secretário de Estado da Cultura reuniu-se nesta quinta-feira (21) com o Conselho Estadual de Cultura e anunciou o lançamento de mais um edital do Fundo de Apoio à Cultura (FAC) para todas as áreas culturais. O investimento total é R$ 3 milhões em 67 projetos.
Para Victor Hugo, "apesar da crise financeira dos cofres públicos, que é de conhecimento da sociedade gaúcha, esta nossa ação representa um esforço para manter ativa a ação cultural para todo o Estado".
11255863_951682548216672_3276062817792284558_o
"Estávamos aguardando a Secretaria de Estado da Cultura apresentar os editais 2015 e, sem dúvida nenhuma, os três que estão sendo lançados hoje demonstram muito claramente a preocupação de revitalizar e de garantir ao Fundo de Apoio à Cultura (FAC) essa visão multifacetada, com a circulação de projetos, a manutenção de projetos permanentes e, fundamentalmente, com a construção e a manutenção desses espaços que já foram abertos. Então todos aqueles que estão esperando o FAC, certamente terão, a partir do lançamento desses três editais, a satisfação e a garantia de continuidade dos projetos", disse o presidente do Conselho Neidmar Charão.
Três categorias de R$ 1 milhão cada – O edital, denominado ‪#‎juntospelacultura‬, foi publicado hoje no Diário Oficial do Estado e será financiado pelo Fundo de Apoio à Cultura (FAC), uma das modalidades do sistema Pró-Cultura RS.
11334043_951682524883341_5301201485585708635_o
Serão contemplados projetos nas seguintes categorias:
- Apoio à Produção e Inovação Cultural: nesta categoria, será disponibilizado R$ 1 milhão para 20 projetos apresentados por pessoas físicas e jurídicas. No total, 20 projetos de pessoa física de R$ 25 mil cada, e, para jurídica, quatro projetos de R$ 50 mil cada e mais três de R$ 100 mil cada;
- Apoio à Circulação: O Fundo de Apoio à Cultura beneficiará 20 projetos de pessoa jurídica no valor de R$ 50 mil cada;
- Apoio à Programação Continuada em Espaço Cultural: o edital prevê a seleção de 20 projetos de R$ 50 mil cada.
As inscrições estarão abertas até o dia 4 de julho nos siteswww.cultura.rs.gov.br e www.procultura.rs.gov.br.
11111164_951682554883338_7850603879792255176_o
Também participaram da reunião com os conselheiros o secretário-adjunto de Estado da Cultura André Kryszczun e os diretores de Economia da Cultura, Erica Lewis, e de Cidadania e Diversidade Cultural, Leoveral Golzer Soares.

20 de maio de 2015

Alcy Cheuiche lança edição bilíngue de “Sepé Tiaraju – Romance dos Sete Povos das Missões” com fotos de Leonid Streliaev



O escritor Alcy Cheuiche e o fotógrafo Leonid Streliaev percorreram juntos as Ruínas Missioneiras e o resultado desta viagem é a edição bilíngue (português/alemão) do livro “Sepé Tiaraju – Romance dos Sete Povos das Missões”, 40 anos após a primeira edição do romance no Brasil (1975) e nas comemorações dos 190 anos da imigração Alemã no Brasil. A edição em capa dura, com miolo inteiramente em cores, com 295 páginas, pela AGE Editora terá lançamento no dia 28 de maio (quinta) , a partir das 18h30min, no Teatro Bruno Kiefer da Casa de Cultura Mario Quintana (CCMQ), com bate-papo dos autores. A entrada é franca.
show_img (4)
A edição tem patrocínio do Banrisul por meio do financiamento da Lei Federal de Incentivo à Cultura (Lei Rouanet). A obra recupera um dos maiores exemplos de colonização justa, cooperativa e cristã da história da humanidade, ocorrido há dois séculos e meio – os Sete Povos das Missões – e, acima de tudo, representa um compromisso radicalmente ético com todos os deserdados da terra. “A República Guarani, experiência única de uma verdadeira sociedade cristã, feita pelos jesuítas durante 150 anos na América do Sul, foi qualificada pelo filósofo Voltaire como um verdadeiro triunfo da Humanidade”, comenta Cheuiche.
Traduzido anteriormente para o espanhol e para o alemão, o livro já foi editado em quadrinhos e em braile. O escritor explica a escolha do segundo idioma: “Esta edição bilíngue (…) é dedicada às primeiras famílias da Alemanha que, no longínquo ano de 1824, atravessaram o oceano para construir uma nova pátria. Quase 200 anos depois, no grande caldeamento de etnias que forma o Brasil, é como se os primitivos habitantes guaranis os recebessem no palco dos seus maiores triunfos e de sua grande tragédia. Desta vez revelando os tesouros da cultura e da agricultura que amealharam durante o século anterior à chegada dos alemães, base de todo o progresso material e humano destas plagas brasileiras do Sul.”
“Sepé Tiaraju – Romance dos Sete Povos das Missões” narra a história do lendário índio guarani Sepé Tiaraju (hoje reconhecido pela Unesco como Panteão da Pátria Brasileira), líder da resistência indígena ao Tratado de Madrid (1750) nos Sete Povos das Missões, região oeste do Rio Grande do Sul. A República Guarani revive no romance deste livro, que narra toda a epopeia de um povo indígena convertido para o Cristianismo, pacífico e próspero, condenado à destruição e a morrer como povo livre, porque sua existência, inofensiva e feliz, representava a condenação viva e irrefutável de todo o sistema colonial da época.
Alcy Cheuiche dedica-se principalmente ao romance histórico, tendo retratado personagens e fatos da maior relevância na História do Brasil, como Santos Dumont, João Cândido, o Almirante Negro, Sepé Tiaraju, Bento Gonçalves, Garibaldi e Anita, Getúlio Vargas, Otávio Correa, o herói civil dos Dezoito do Forte de Copacabana, e muitos outros. Conquistou importantes prêmios literários e culturais em sua vida, como Ilha de Laytano, Açorianos, Medalha do Mérito Santos Dumont, Medalha Simões Lopes Neto, Troféu Guri, mas o que mais o empolgou foi ter sido Patrono da Feira do Livro de Porto Alegre em 2006, uma das maiores em espaço aberto do mundo. Autografou seus livros e proferiu conferências em muitas cidades brasileiras e também em outros países dos quais domina a língua-mãe, como Uruguai, Argentina, Paraguai, Peru, Cuba, Estados Unidos, Canadá, Austrália, Espanha, França, Bélgica e Alemanha. É tradutor e orientador de oficinas de criação literária. O Farol da Solidão é seu romance mais recente.
Serviço:
Dia: 28 de maio de 2015 (quinta-feira).
Hora: às 18h30min haverá bate-papo com os autores e às 19h30min, sessão de autógrafos do livro.
Local: Teatro Bruno Kiefer – 6º andar CCMQ (Andradas, 736).
Informações com a imprensa: Simone Lersch ? (51) 3029-6390 e 9803-4420
Entrada franca.

Aprovado o estudo de viabilidade para criação do Centro do Samba

Foto: Aline Brum/Divulgação PMPA
Reunião contou com moradores do Praia de Belas e entidades carnavalescas
Reunião contou com moradores do Praia de Belas e entidades carnavalescas
O Conselho Municipal do Plano Diretor (CMDUA), presidido pelo secretário do Urbanismo, Valter Nagelstein, aprovou na noite dessa terça-feira, 19, o Estudo de Viabilidade Urbanística (EVU) para a criação do Centro Cultural do Samba. O local, ao lado do Estádio Beira-Rio, irá abrigar as quadras das entidades carnavalescas Imperadores do Samba e Praiana e as bandas Saldanha e Itinerante.
 
De acordo com o texto, o projeto atende ao regime urbanístico da região, apresenta vagas de estacionamento suficientes e faz parte de uma negociação entre o município e as entidades carnavalescas para a duplicação da av. Edvaldo Pereira Paiva. Nagelstein destacou que a aprovação do EVU é o primeiro passo para que a cidade reconheça o legado histórico e cultural do samba. "Precisamos valorizar o trabalho das entidades carnavalescas, respeitando sempre o plano diretor que rege as diretrizes de nossa cidade", destacou. A reunião do CMDUA dessa terça-feira contou também com a participação de moradores da região onde estará localizado o Centro Cultural e representantes das entidades carnavalescas.
 
As antigas sedes do Centro Cultural do Samba construídas em área do município, com permissão de uso, precisaram ser demolidas para o alargamento das avenidas Padre Cacique e Edvaldo Pereira Paiva. O novo Centro Cultural do Samba será erguido no mesmo terreno, com aproximadamente 14,3 mil metros quadrados, e terá cerca de 7,2 mil metros quadrados de área construída. São quatro construções independentes, porém com linha arquitetônica harmônica e um estacionamento coletivo com 1,2 mil vagas. As conchas acústicas serão direcionadas para o Lago Guaíba, a fim de minimizar ruídos, e as construções terão telhas antitérmicas e antiacústicas. 
 
 
 


/musica
Texto de: Aline Brum
Edição de: Andrea Brasil
Autorizada a reprodução dos textos, desde que a fonte seja citada.
  

19 de maio de 2015

4 exposições no IAB >> quarta, 19h



O Ponto de Cultura Solar do IAB convida para o coquetel de abertura de 4 exposições selecionadas em edital, que abrem o ciclo de artes visuais da galeria Espaço IAB em 2015. O coquetel será realizado dia 20 de maio, a partir das 19h, permanecendo com visitação até o dia 13 de junho de 2015, das 14 às 20h. 




Para saber mais sobre as exposições e o histórico da galeria acesse http://galeriaespacoiab.blogspot.com.br/



NA SALA ANEXA: 
TEAR  CÁSSIO RAABE
ABERTURA  20/5/2015, às 19:00  






Cassio Raabe, em sua exposição Tear, permanece fiel ao projeto de transformar-se constantemente em arte, distanciando-se de virtuais influências e desenvolvendo seu estudo com autonomia. De pequeno a grande porte, com cores vibrantes de forte contraste, as pinturas servem-se de formas geométricas em malhas estruturais – criadas por meio de fitas adesivas -, desacomodando o espectador pela ilusão de óptica e abertura simbólica de suas composições. Construídas apenas por ângulos retos e de 45°, em uma sobreposição de camadas, texturas, borrões e escorridos, o impacto das telas é intensificado pela interação de materiais como grafite, carvão, pastel oleoso e tinta acrílica. Traduzindo com peculiaridade e sem modismos as contingências de sua torrente interior de sentimentos, Raabe estrutura o caos em cosmicidade, tecendo malhas familiares às profundas águas de um inconsciente universal. 


NA SALA NEGRA: 
NAVES POÉTICAS  FÁBIO RHEINHEIMER
ABERTURA  20/5/2015, às 19:00  






















O projeto Naves Poéticas surgiu em decorrência da crescente curiosidade (e necessidade) de Rheinheimer em pesquisar a interação entre artes visuais e design. Ele foi estruturado a partir da apropriação da metodologia de projeto do design de produtoaplicada na concepção e desenvolvimento do processo criativo. O resultado formal desta pesquisa, que relaciona arte e tecnologia, são as NAVES POÉTICAS, as quais se apresentam enquanto objeto tridimensional híbrido que, assim sendo, dialoga hamonicamente com ambas as áreas de atuação deste profissional: artes visuais e design.



NA SALA DO ARCO: 
VAI PRÁ CUBA  LIDIA FABRÍCIO E ROGÉRIO AMARAL RIBEIRO



Texto de Lidia Fabricio e Rogério Amaral Ribeiro

Dois fotógrafos de trajetórias diversas, unidos por suas vivências em Cuba e pela vontade de perfurar as espessas camadas de preconceitos que envolvem a ilha e sua história, promovem nessa mostra o que consideram o maior patrimônio cubano: sua riqueza humana e cultural. Nesse momento de divisão política no Brasil, mandar alguém para Cuba assume um caráter pejorativo, ao qual os fotógrafos respondem de forma bem-humorada e provocativa, buscando uma transmutação da carga de preconceito embutido no grito de guerra dos segmentos mais conservadores da sociedade brasileira. Assumindo o "Vai pra Cuba!" como título da exposição, se apropriam de seu conteúdo de desprezo e intolerância, para transformá-lo em um ato de amor e homenagem ao povo cubano, exaltando sua força, sua aguda inteligência, sua admirável educação, gentileza e alegria, suas renúncias e suas escolhas. Focados em realidades encobertas por estereótipos profundamente enraizados, sugerem um exercício mais apurado para a compreensão de Cuba em toda sua complexidade, desde que partindo de uma atitude mais tolerante e respeitosa. VAI PRÁ CUBA!, acima de qualquer juízo político, é um convite a refletir sobre a quem, e com que filtros culturais, caberia julgar a experiência cubana e sua revolução, cuja força simbólica gravou no livro da História o mais caro ideal do século XX: a luta por uma humanidade mais justa, solidária e igualitária. Se a flor brotou e floresceu, ou se murchou, cabe aos cubanos responder. A quem não vive a realidade cubana, cabe apenas refletir sobre as mazelas da flor capitalista, vestir o manto da humildade e contrapor aqueles ideais às escolhas do ocidente e suas derrotas, refletir sobre o consumismo e a ditadura dos mercados que fazem do homem mercadoria. Ostentar um tênis produzido por mãos escravas para passear no shopping nos faz mais vencedores do que quem usa chinelos rotos e cresce tocando violino, dançando no Ballet Nacional de Cuba ou lendo os clássicos? Morar num casebre de compensado e zinco na periferia, acordar às cinco da manhã, viajar quilômetros para entrar às oito num call-center e voltar para casa exausto e faminto às dez da noite seria uma situação mais feliz que viver num casarão decadente de Havana, trabalhar pelo coletivo e ter tempo para conversas nas calçadas, rir com os vizinhos, brincar com as crianças na rua? Um sistema público de saúde sem luxos, porém avançado, amplo e para todos, seria pior que bater às portas de uma sofisticada medicina mercenária e morrer por não poder pagá-la? Quem perde a vida e a liberdade protegendo seu patrimônio contra a violência gerada na indiferença pela sorte alheia seria mais rico que aquele que não tem patrimônio a defender e vive sem medo na paz social? No que toca a Cuba, são questões que não nos cabe responder. Somente o cubano teria a palavra. Para ouví-lo, só indo para Cuba. Não indo, o convite é para despir-se de todos os pré-juízos (e prejuízos) e apenas olhar, admirar, conhecer, com respeito e com o olhar do acolhimento, essas faces e lugares que tão generosa e gentilmente se ofereceram às lentes dos fotógrafos, inspirando um ambiente de alegre simplicidade, de tempo a ser dividido com o outro, pleno de cores, de flores e da gentileza que transborda em cada sorriso cubano.  (texto de Lidia Fabricio e Rogério Amaral Ribeiro)


NA CIRCULAÇÃO: 
ARTE EM GOTAS  JOSÉ ADILSON ROSA


Exposição fotográfica com imagens captadas por meio de equipamento digital, com a utilização de técnicas de fotografia de alta velocidade e de macrofotografia, em que a captura das imagens é feita a uma velocidade de 1/18.000s, mediante a utilização de flashes eletrônicos e equipamentos digitais de controle de disparo, o que permite congelar o momento da colisão de duas gotas. Neste intervalo de tempo tão pequeno as gotas adquirem formas que o olho humano não consegue captar, mas estas efêmeras esculturas são registradas e sua beleza nos é revelada pela técnica fotográfica. 



::
Galeria Espaço IAB 
Galeria de Arte do Instituto de Arquitetos do Brasil 
Curadoria de Adriana Xaplin e Vinicius Vieira 
Ponto de Cultura Solar do IAB. Rua Gal. Canabarro, 363 

Centro Histórico. Porto Alegre, RS. Brasil 
51 3212 2552.  www.iabrs.org.br

























Jornalista Oscar Henrique Cardoso é o novo presidente do CNegro

Foto: Maia Rubim/ PMPA
Conselho conta com representantes da sociedade e do governo municipal
Conselho conta com representantes da sociedade e do governo municipal
Foram eleitos na ultima segunda-feira, 18, os novos membros do Conselho Municipal dos Direitos do Povo Negro de Porto Alegre (CNegro). Com representantes da sociedade civil e do governo do município, a nova diretoria do colegiado ficou composta pelo jornalista Oscar Henrique Cardoso como presidente, Priscila Oliveira Corrêa, da Fundação Moab Caldas, como vice-presidente, Neusa Machado, representante da Secretaria Municipal da Produção, Indústria e Comércio (Smic) como secretária, e Rita de Cássia Gomes Cardoso como tesoureira. A eleição ocorreu no auditório da Secretaria de Administração.

Centenas de pessoas da comunidade negra, dos movimentos sociais e do governo da Capital participaram da eleição que foi conduzida pelo ex-presidente do conselho, Vitor Hugo, e pela secretária-adjunta do Povo Negro, Elisete Moretto. No final do evento, após a chapa ser eleita por aclamação, a secretária elogiou o belo processo democrático desenvolvido durante o pleito.


/direitos_humanos /povo_negro
Texto de: Paulo Ricardo Soares de Moraes
Edição de: Manuel Petrik
Autorizada a reprodução dos textos, desde que a fonte seja citada.

18 de maio de 2015

Fumproarte promove encontros para formatação de projetos-Agenda

Foto: Divulgação/PMPA
Interessados receberão orientações para ajustar projetos às regras
Interessados receberão orientações para ajustar projetos às regras
O Fundo Municipal de Apoio a Produção Artística e Cultural (Fumproarte) de Porto Alegre está promovendo uma série de encontros com o objetivo de auxiliar os produtores culturais e artistas a formatarem seus projetos de forma mais adequada às propostas apresentadas para os editais deste fundo. Além de conhecerem o histórico deste mecanismo, os interessados também poderão refletir sobre seus projetos, buscando ajustá-los às regras estabelecidas pelos concursos.

Os encontros são direcionados para produtores culturais, profissionais de cultura, artistas e público em geral, interessados neste mecanismo de financiamento.


Agenda de encontros
09 de maio - 13h - Evento Rua da Paz  (Em frente ao Colégio Júlio de Castilhos)
11 de maio - 19h - Fato - Faculdade Monteiro Lobato (rua dos Andradas, 1180)
13 de maio - 20h - JHTV Vida - (rua Plácido de Castro, 154 - Azenha)
19 de maio - 13h - Car Glória (av. Cel. Aparício Borges, 981)
19 de maio - 15h30 - Casa Cultural Tony Petzhold (av. Cristóvão Colombo, 400 - Tel: 51-3268-9669)
20 de maio - 19h30 - Centro Esportivo e Cultural da Bom Jesus (rua Marta Costa Franzen, 101 - Bom Jesus - Tel: 51-3289-1762)
26 de maio - 19h30 - CTG Porteira da Restinga (rua Álvaro Difini, 3817 - Restinga Nova) - a confirmar
09 de junho - 14h - Casa de Teatro de Porto Alegre (rua Garibaldi, 853 - Bom Fim - Tel: 51-3029-9292)
09 de junho - 17h - Vila Flores (rua São Carlos, 765 - 4º Distrito - Contato: vilaflorescultural@gmail.com)
11 de junho - 18h30 - Car Leste (rua São Felipe, 144)
Texto de: Cleber Saydelles
Edição de: Isabel Cristina Kolling Lermen
Autorizada a reprodução dos textos, desde que a fonte seja citada.

17 de maio de 2015

Inauguração da Biblioteca Edson Otto e 1ª Feira Literária

Nesta sexta-feira e sábado na sede da 1ª Região Tradicionalista ocorreram dois importantes eventos: A inauguração da Biblioteca José Edson Gobbi Otto e a 1ª Feira Literária.

Com um grande público presente, a inauguração foi um sucesso. Tradicionalistas, autoridades e familiares de Edson Otto puderam homenagear este grande nome de nossa cultura, com poemas, vídeos, depoimentos e a abertura de um belo espaço onde todos terão acesso a grandes obras da nossa tradição. Após as homenagens foi servido um coquetel aos convidados, tendo como encerramento apresentações de músicos e declamadores.

No sábado com a participação da Fundação Cultural Gaúcha, expondo seus livros que estavam para a venda, e grandes palestrantes a 1ª Feira Literária iniciou seus trabalhos pela manhã com a palestra “O Folclore da mulher gaúcha” com Elma Sant’Ana. A tarde foi a vez de Moacir Flores falar sobre A guerra dos Farrapos, e logo a seguir sua esposa Hilda Flores palestrou sobre A mulher na Guerra dos Farrapos.

A 1ª RT agradece a presença de todos, e espera receber novas visitas para que conheçam a biblioteca e realizem suas pesquisas. Este projeto está no início, e necessita da colaboração de todos. Recebemos diversas doações antes e durante a feira e assim que chegarem novas contribuições serão juntamente catalogados e inseridos no acervo. Colabore! Faça sua doação!


Conselho na Inauguração Biblioteca 1ª RT e I Feira Literária

Sábado, 15 de maio de  2015 aconteceu a inauguração da Biblioteca da 1ª RT, que levou o nome de Biblioteca Edson Otto e Abertura da Feira Literária.
O local com um número de livros ainda em crescimento recebeu muitas doações de livros. Após a cerimônia do corte da fita teve um coquetel campeiro e um sarau  poético musical.
No local   Rua Landel de Moura, 430 Bairro Tristeza - Posto Alegre/RS funciona ainda a sede da AEERGS, Associação dos Escultores do Estado do Rio Grande do Sul, o Memorial Guarisse e a sede da AAFAT, Associação dos Artesãos da feira de Artesanato da Tristeza.
Guimarães Presidente  Conselho Municipal de Cultura
F: 3338.8738 / 9987.5880