Postagem em destaque

Justiça cassa mandato do Conselho Municipal de Cultura de Porto Alegre

A decisão do juiz José Antonio Coitinho, titular da 2ª Vara da Fazenda Pública de Porto Alegre, em Mandado de Segurança impetrado p...

9 de junho de 2016

Ano Oficial do Centenário da Morte de João Simões Lopes Neto



Ano Oficial do Centenário da Morte de João Simões Lopes Neto
No centenário da morte, Simões Lopes Neto é homenageado pela prefeitura
A iniciativa de homenagear o escritor pelotense, reconhecido como um dos grandes autores brasileiros e que trouxe para a literatura a característica linguagem regionalista do pampa, é da Secretaria da Cultura de Porto Alegre.

João Simões Lopes Neto nasceu em Pelotas no dia 9 de março de 1865, município onde passou sua infância, morando na Estância da Graça (propriedade de seu avô paterno). Ficou órfão de mãe quando tinha 11 anos de idade. Na juventude morou por alguns anos no Rio de Janeiro, onde teria frequentado até a terceira série da Faculdade de Medicina. Por volta de 1884, retornou à terra natal. Sua carreira jornalística se iniciou logo a seguir no ano de 1888 escrevendo para o jornal "A pátria". E foi neste veículo que sua prolífica carreira literária teve início, publicando uma sessão chamada “Balas de Estalo”. Paralelamente a carreira jornalística, o Capitão também se aventurou como empresário, investindo sua herança em indústrias do tabaco, café, vidro e destilaria. Porém, não obteve grande êxito em nenhuma destas empreitadas. Aos 27 anos de idade casou-se com Francisca de Paula Meireles Leite, a Dona Velha. O casal não teve filhos legítimos, mas adotou a menina Fermina de Oliveira Lopes, nascida em 1896. Simões Lopes viria a falecer no dia 14 de junho de 1916, em Pelotas, aos 51 anos, devido a uma úlcera perfurada.

Obras lançadas em vida:

1910 - Cancioneiro Guasca
1912 - Contos Gauchescos
1913 - Lendas do Sul

Obras lançadas Postumamente:

1952 - Casos do Romualdo
1955 - Terra Gaúcha - História elementar do Rio Grande do Sul
2013 - Terra Gaúcha - História de Infância
2013 - Artinha de Leitura


O Instituto

O Instituto João Simões Lopes Neto (IJSLN) é uma associação civil pública, sem fins lucrativos que tem por objetivo a preservação, valorização e divulgação da memória e obra do escritor do qual carrega o nome. Sua criação se deu em agosto de 1999 pelo Grupo de estudos Simoneanos em reunião ocorrida na Associação Comercial de Pelotas.

Também no ano de 1999 o então deputado estadual, Bernardo de Souza, apresentou um projeto de lei onde declarava a casa, em Pelotas, que pertenceu ao escritor, como patrimônio cultural do Estado. No dia 5 de outubro de 1999, sob a lei 11.377, o projeto foi sancionado oficialmente pelo, na época, governador do estado, Olívio Dultra. No ano seguinte, com apoio de patrocínios, o IJSLN realiza a compra da antiga Casa de João Simões Lopes Neto, com o intuito de fixar ali sua sede.

A Casa passou então por uma série de reformas seguidas por uma restauração completa. Assim, no ano de 2004, em cerimônia com diversas autoridades, a casa restaurada é apresentada a comunidade pelotense. Desde então ela tem sido a sede oficial do Instituto, abrigando o acervo deste, bem como sendo palco para diversas atividades que o Instituto promove.