Postagem em destaque

Justiça cassa mandato do Conselho Municipal de Cultura de Porto Alegre

A decisão do juiz José Antonio Coitinho, titular da 2ª Vara da Fazenda Pública de Porto Alegre, em Mandado de Segurança impetrado p...

7 de dezembro de 2016

Extremo Sul elege Assistência Social como prioridade do OP cultura em segundo



Foto: Luciano Lanes /PMPA
Votantes também indicaram, na ordem, Cultura, Pavimentação e Saneamento Votantes também indicaram, na ordem, Cultura, Pavimentação e Saneamento
Foto: Luciano Lanes /PMPA
Para as demandas da região, estão previstos R$ 2.148.104 Para as demandas da região, estão previstos R$ 2.148.104
A plenária da região Extremo Sul da Rodada Única de Assembleias Regionais e Temáticas do Orçamento Participativo 2016-2017 ocorreu na noite dessa terça-feira, 6. O evento foi realizado no ginásio da Paróquia Nossa Senhora de Belém, na avenida Heitor Vieira, 494, bairro Belém, com a participação do prefeito José Fortunati.
 
Para esta região, existem seis demandas a serem abordadas, totalizando R$ 2.148.104. Os participantes escolheram como prioridade a área de Assistência Social, seguida por Cultura; Pavimentação e Saneamento Básico – Drenagem e Dragagem. 
 
Os moradores elegeram por aclamação a chapa formada pelos conselheiros titulares Carlos Alberto de Oliveira Paixão e Jorge Veloso, e suplentes Gil Marion Borges de Freitas e Davi Jhonatas da Silva. 
 
Fortunati falou da crise econômica que atinge o país e, conseqüentemente, os estados e municípios. “Apesar de todas as dificuldades que a prefeitura tem, estamos trabalhando para que possamos concluir da melhor forma possível o ano de 2016”, ponderou. 
 
Histórico – A região Extremo Sul é a 12ª a realizar a assembleia regional este ano. Centro, Ilhas, Cristal, Cruzeiro, Lomba do Pinheiro, Sul, Norte, Noroeste, Centro/Sul, Nordeste e Restinga também já realizaram suas assembleias regionais. Durante as seis primeiras reuniões, que foram as temáticas, foram discutidas as prioridades para as áreas “Educação, Esporte e Lazer”, “Circulação, Transporte e Mobilidade Urbana”, “Habitação, Organização da Cidade, Desenvolvimento Urbano e Ambiental”.
 
Para o atual ciclo, estão reservados R$ 310 milhões, sendo R$ 50 milhões para novas demandas. Além disso, o OP conta com recursos oriundos do financiamento da Corporação Andina de Fomento (CAF), obtido pela prefeitura para as obras de revitalização da orla do Guaíba e que também serão direcionados para as demandas das comunidades.
 
Ciclo anterior - Os 23 encontros da rodada de Assembleias Regionais e Temáticas do Ciclo 2015/2016 do OP contabilizaram 20.657 credenciamentos, um crescimento de 17,52% de participação em relação ao período anterior, com 17.582 credenciados. Foi o maior número de inscritos desde a implantação do OP, em 1989.
 
Orçamento Participativo - O OP aprofunda a relação da prefeitura com a população desde o ano de 1989. É um processo dinâmico, pelo qual a população decide, de forma direta, a aplicação dos recursos em obras e serviços que serão executados pela administração municipal.
 
O OP é referência em democracia participativa para o mundo. Conforme a ONU, é uma das 40 melhores práticas de gestão pública urbana no mundo. O Banco Mundial reconhece o processo de participação popular de Porto Alegre como exemplo bem-sucedido de ação comum entre Governo e sociedade civil.
 


/orcamento_participativo

Texto de: Bibiana Barros
Edição de: Andrea Brasil
Autorizada a reprodução dos textos, desde que a fonte seja citada.