Postagem em destaque

Justiça cassa mandato do Conselho Municipal de Cultura de Porto Alegre

A decisão do juiz José Antonio Coitinho, titular da 2ª Vara da Fazenda Pública de Porto Alegre, em Mandado de Segurança impetrado p...

31 de janeiro de 2015

Dilmar Messias: "Quero aumentar a abrangência da programação do Theatro São Pedro"

Fundador do Circo Girassol assumirá direção de um dos principais palcos do Estado

31/01/2015 | 04h01
Dilmar Messias: "Quero aumentar a abrangência da programação do Theatro São Pedro" Andréa Graiz/Agencia RBS

O ator, dramaturgo e diretor Dilmar Messias Foto: Andréa Graiz / Agencia RBS
Ator, diretor e dramaturgo com mais de 60 espetáculos montados, Dilmar Messias, 66 anos, será o novo diretor artístico do Theatro São Pedro. Convidado pelo secretário estadual da Cultura, Victor Hugo, o fundador do Circo Girassol deve assumir o cargo na próxima semana. Em entrevista, Dilmar conta quais mudanças pretende imprimir no perfil de um dos principais palcos do Estado:
Músico Victor Hugo volta ao cargo de secretário estadual da Cultura
Haverá mudança no perfil da programação do Theatro São Pedro?O São Pedro tem a vocação de receber espetáculos do centro do país. Acredito que essa é uma forma de integrar o que tem sido feito pelo Brasil à nossa cultura. Minha intenção é aumentar a abrangência dessa programação, trazendo grupos de mais regiões e com diferentes estilos de representação.
A diversidade local também será contemplada?Há uma carência enorme de espaços para a produção local em Porto Alegre e no Estado. Embora tenham surgido locais novos, de certo modo sofremos muito nos últimos anos com a falta de condições daqueles ambientes que tradicionalmente contemplavam essa produção — que tem aumentado em quantidade e qualidade. É necessário que o teatro gaúcho, bem como a música e a dança locais, integrem a programação de modo planejado, e não apenas em horários alternativos. Por outro lado, o Multipalco está vindo aí, trazendo novos espaços. Esse é um projeto que quero acompanhar de perto.
O senhor sabe como poderá utilizar a concha acústica e outras estruturas do Multipalco?Não tive uma reunião a respeito disso com o secretário nem com o pessoal do Theatro. Ainda há um tempo para que todos os elementos sejam conhecidos. Quero voltar a falar sobre isso com a imprensa quando tiver dados mais sólidos. De todo modo, a proposta do Multipalco é muito interessante e pode ajudar a resolver o problema da falta de espaços.
É sua intenção manter na programação peças com atores conhecidos do Rio e de São Paulo?Temos que agradar a todos os públicos, e o teatro também precisa se preocupar com sua sustentabilidade. No entanto, esse tipo de espetáculo não será prioridade. Vamos trazê-los para contemplar o público que tradicionalmente gosta de assisti-los, mas, paulatinamente, qualificaremos a programação.

Como pretende alcançar esta qualificação?É preciso ficar atento à produção cultural. É aí que está a suscetibilidade de um diretor artístico. Além disso, quero valorizar encontros como Palco Giratório, Porto Alegre Em Cena, Porto Verão Alegre e mostras musicais. Tenho um trabalho muito ligado à produção artística brasileira, e certamente vou imprimir minha bagagem e personalidade neste trabalho como administrador da programação.
Outros nomes anunciados pela Secretaria Estadual da Cultura:
Quem fica – Permanecem em seus cargos Eva Sopher, presidente da Fundação Theatro São Pedro; Ivo Nesralla, presidente da Fundação Orquestra Sinfônica de Porto Alegre (Ospa); e Morgana Marcon, diretora da Biblioteca Pública do Estado, que também assumirá a direção do Instituto Estadual do Livro (IEL).
Quem entra – Além de Dilmar Messias, novos nomes já foram anunciados: Evandro Matté, como diretor artístico da Ospa; Paulo Amaral, como diretor-geral do Margs; e Vinícius Brum, como presidente do Instituto Gaúcho de Tradição e Folclore (IGTF).
Na expectativa – A Secretaria Estadual da Cultura (Sedac) deve anunciar até meados de fevereiro nomes que irão dirigir Teatro de Arena, Casa de Cultura Mario Quintana, Museu Hipólito José da Costa, Museu Júlio de Castilhos, Museu Antropológico do Estado, Arquivo Histórico, Memorial do RS, Centro de Desenvolvimento da Expressão, Cinemateca Paulo Amorim e institutos de Artes Cênicas, Artes Visuais, Cinema, Música e do Patrimônio Histórico e Artístico.