Postagem em destaque

Justiça cassa mandato do Conselho Municipal de Cultura de Porto Alegre

A decisão do juiz José Antonio Coitinho, titular da 2ª Vara da Fazenda Pública de Porto Alegre, em Mandado de Segurança impetrado p...

17 de janeiro de 2017

MTG garante que Acampamento Farroupilha não vai pedir recursos à Prefeitura em 2017

MTG garante que Acampamento Farroupilha não vai pedir recursos à Prefeitura em 2017
Letícia Costa/G1


O presidente do Movimento Tradicionalista Gaúcho (MTG), Nairioli Callegaro, garantiu, neste domingo, em entrevista à Rádio Guaíba, que não vai cobrar auxílio de recursos financeiros da Prefeitura da Capital para o Acampamento Farroupilha, em setembro. Callegaro declarou que a prefeitura ainda deve um repasse do evento de 2016, no montante de R$ 150 mil. O MTG, que organiza o evento, também não conta com esse dinheiro, reconhece o dirigente. Ele adverte, porém, que o tamanho do evento pode sofrer alguma redução, dependendo dos valores obtidos para a festividade.
“Nós não vamos pedir (auxílio da Prefeitura). Nós vamos redimensionar o tamanho do Acampamento, se for essa a questão, dentro daquilo que nós já temos um número estabelecido com aquilo que nós trabalhamos. E como eu disse: se tiver que fazer um pouco menor, vai se fazer. Isso é muito flexível dependendo do que conseguirmos em termos de aporte financeiro de leis de incentivo, de empresas que vão aportar diretamente, dar o seu apoio”, afirmou Callegaro.
Sobre as prestações de contas do evento passado, Callegaro estima que o MTG consiga finalizar o cálculo até março.
“Nós pretendemos fechar as contas de 2016 e não usar esse convênio que foi assinado no ano passado. E começar uma vida nova agora, este ano, com a Prefeitura. O que interessa ao MTG é que nós tenhamos a tranquilidade de poder trabalhar e executar o evento sem essas preocupações, essas pressões de receber ou não receber verba pública, em que momento nós vamos contar com esses valores ou não. É mais tranquilo tu trabalhares com aquilo que tu tens do que com a promessa que futuramente tu virás a ter quando não se sabe se terá. A sociedade vive um flagelo na saúde, na segurança, na educação, em vários setores, então eu não me encorajo em pedir verba pública para realizar uma festa assim”, declarou Callegaro.
Questionado se o MTG cogita cobrar pela entrada no Acampamento a fim de angariar recursos, o presidente do movimento foi enfático ao garantir que não. Callegaro afirmou que o evento é público e assim vai continuar. “Aquilo é uma festa pública. E pública ela vai continuar sendo: aberta para a toda comunidade entrar ali”, declarou. De acordo com Callegaro, o orçamento do Acampamento é de aproximadamente R$ 2 milhões. (Rádio Guaíba)