Postagem em destaque

Justiça cassa mandato do Conselho Municipal de Cultura de Porto Alegre

A decisão do juiz José Antonio Coitinho, titular da 2ª Vara da Fazenda Pública de Porto Alegre, em Mandado de Segurança impetrado p...

25 de março de 2017

Prefeitura não é responsável por cancelamento do Carnaval, diz Alabarse


Secretário de Cultura afirmou que infraestrutura compete à Liga das Escolas de Samba
Secretário de Cultura afirmou que infraestrutura compete à Liga das Escolas de Samba | Foto: Ricardo Giusti / PMPA / CP

Secretário de Cultura afirmou que infraestrutura compete à Liga das Escolas de Samba | Foto: Ricardo Giusti / PMPA / CP 








A Prefeitura de Porto Alegre não tem responsabilidade quanto aos problemas de infraestrutura que provocaram a interdição do Complexo Cultural do Porto Seco e o consequente cancelamento do primeiro dia de desfiles do Carnaval fora de época. A afirmação é do secretário municipal de Cultura, Luciano Alabarse, que concedeu entrevista à Rádio Guaíba neste sábado.
“Desde janeiro ficou público e notório que a Prefeitura não iria aportar recursos públicos à festividade. Foi feita uma força-tarefa para auxiliar na captação de recursos e nós visitamos 39 empresas, sendo que apenas duas manifestaram interesse. Mesmo assim houve um acordo com o Ministério Público de que a responsabilidade do Carnaval deste ano era integralmente da liga dos carnavalescos. Eu não estou falando isso para fugir de nenhuma responsabilidade, mas apenas para esclarecer uma situação”, afirmou.
"Nós não participamos da venda de ingressos nem da organização, apesar de que todas as demandas que nos foram solicitadas em nível de parceria, como a fiação dos barracões, a iluminação pública do entorno, a colocação de câmeras, esses serviços públicos - que não demandam aporte de recursos - foram entregues", explicou. 
Segundo Alabarse, todos os esforços da Liga das Escolas de Samba de Porto Alegre (Liespa) foram "coadjuvados" no que era possível ser parceiro dentro da orientação de não ter serviços públicos. O secretário esclareceu ainda que, quanto aos desfiles no Porto Seco, foi feito um convênio entre a liga e a empresa Impacto Vento Norte, que é uma das patrocinadoras e conhecida pela excelência de seus serviços. " E justamente porque a Prefeitura não tem ingerência este ano na realização do Carnaval, o pedido de PPCI (Plano de Proteção Contra Incêndios) foi encaminhado pela liga", destacou. 
O secretário informou ainda que o pedido foi feito assim como a vistoria. "Os bombeiros, pelas razões elencadas, optaram por não liberar porque faltavam alguns itens. "Hoje vai ser feita nova vistoria. Eu torço pessoalmente para que esta nova inspeção tenha um final feliz", enfatizou. 
Carnaval de Porto Alegre depende de nova vistoria
Os desfiles do Grupo Ouro do Carnaval de Porto Alegre, no Complexo Cultural do Porto Seco, dependem de nova vistoria do Corpo de Bombeiros, agendada para a tarde deste sábado. A apresentação do Grupo Prata foi cancelada após interdição do sambódromo pelos bombeiros nessa sexta.
Os bombeiros cobraram exigências previstas no Plano de Proteção Contra Incêndios (PPCI) e deram um prazo para serem apresentadas as modificações. Até as 21h50min dessa sexta, porém, elas não tinham sido atendidas. Além da Série Prata, as Tribos Guaianazes e Comanches também tiveram desfiles cancelados.