Postagem em destaque

Justiça cassa mandato do Conselho Municipal de Cultura de Porto Alegre

A decisão do juiz José Antonio Coitinho, titular da 2ª Vara da Fazenda Pública de Porto Alegre, em Mandado de Segurança impetrado p...

6 de novembro de 2014

A TRIBO DE CADA GAÚCHO



Hay os gaúchos gaudérios que preferem andejar solitos. Não gostam de ajuntamentos. Na solidão dos galpões ou dos varzedos dos campos é que sentem-se a vontade. Na prosa com Deus, com os cuscos, com os passarinhos, dispensa a vida povoeira.

Contudo, tem aqueles que procuram viver em grupos identificados, ou seja, as chamadas "tribos". Pessoas que gostam de determinados divertimentos, de administrarem o tradicionalismo ou apenas "curtirem" o que os nossos costumes de bom nos oferecem.

A Tribo dos Tradicionalistas: São aquelas pessoas normalmente vinculadas ao Movimento Tradicionalista Gaúcho e preocupadas em zelar pelos regramentos desta entidade. Suas vestes são unificadas e tipificadas pelas "Diretrizes das Pilchas" com lenços grandes, bombachas largas, casacos de palitós e botas discretas.

A Tribo das Cavalgadas: É composta por pessoas que gostam deste envolvimento de natureza e animais. Revivem, em suas andanças, o tempo das tropeadas. A amizade e o companheirismo é um dos principais elementos desta tribo (da qual eu faço parte). Acima, os Cavaleiros da Neve, de São Francisco de Paula.
A Tribo das Invernadas: É composta, em sua maioria, por gente joven (embora tenhamos algumas invernadas "Xirus") e são consideradas a "Alma" de um Centro de Tradições. Nos dias de hoje, em face a importância dos concursos, o profissionalismo e o grupo de danças caminham lado a lado. Se por um lado é bom, por outro torna as disputas um tanto acirradas.

A Tribo dos Laçadores: Em face aos inúmeros rodeios crioulos que proliferam pelo Estado e aos valores das premiações, esta é uma das "tribos" que mais cresceu. O debate sobre o "tiro-de-laço" (é esporte ou é cultura?) parece interminável e levou a criação de uma federação independente do M.T.G. e os "caça-prêmios" andejam por aí...

A Tribo dos Dançadores: São aquelas pessoas que andejam de galpão em galpão na busca, simplesmente, de divertimento através da dança. Conhecem todos conjuntos, as músicas, os outros dançadores, e são felizes desta maneira. Muitos não tiveram a vivência campeira e aprenderam seus passos nos cursos de danças de salão.

A Tribo dos Improvisadores (trovadores e pajadores): Se reúnem em associação, se encontram em festivais do gênero, e tem em comum esta característica, ou seja, o dom de fazer verso de improviso. São os herdeiros de Jayme Caetano Braun e Gildo de Freitas. Em seu benefício, hay diversos eventos próprios para expressar sua arte.

A Tribo dos Poetas, Declamadores e Amadrinhadores: É aquela voltada para o agrupamento de pessoas com inclinação para a arte da poesia. Encontram abrigo para manifestação de seu telurismo em diversos festivais pelo Estado, além de entidades cinquentenárias como a Estância da Poesia Crioula, a Academia Xucra do Rio Grande.

A Tribo dos Grupos de Fandango: É aquela composta de músicos, compositores, profissionais encarregados de levar alegria aos dançantes através da musicalidade galponeira. São dezenas, centenas de conjuntos que através da sonoridade campeira (ou mais urbana) todos os fins de semana entreveram os pares nos salões do Rio Grande e do Brasil.

A Tribo dos Domadores: São aqueles índios que ganham os "cobres" saracoteando no lombo xucro dos aporreados pelos rodeios do Rio Grande, Uruguai e Argentina. Para estes grupos chamados de ginetes, 8 segundos (tempo limite) é uma eternidade e quanto mais corcoveador o animal mais chance de levar seu prêmio que, não raro, pode ser um automóvel.
A Tribo dos Festivaleiros: Tem sua origem nos longínquos pagos de Uruguaiana com a criação da Califórnia da Canção Nativa. De lá para cá esta tribo muito cresceu revelando grandes nomes para a musicalidade do Rio Grande do Sul. Hoje em dia os festivais estão um pouco em baixa e os seus participantes seguem carreiras solos.

A Tribo dos Criadores: São aqueles gaúchos voltados para as lides campeiras, especialmente para a criação de eqüinos e mais especificamente os cavalos crioulos. São facilmente encontrados e identificados em remates, leilões, exposições, principalmente onde tiver uma disputa tipo Freio de Ouro.

Então, meu amigo. Qual é sua tribo?