Postagem em destaque

Justiça cassa mandato do Conselho Municipal de Cultura de Porto Alegre

A decisão do juiz José Antonio Coitinho, titular da 2ª Vara da Fazenda Pública de Porto Alegre, em Mandado de Segurança impetrado p...

1 de novembro de 2014

Feira do Livro é aberta oficialmente em Porto Alegre

Foto: Cristine Rochol/PMPA
Fortunati destacou a importância da literatura na construção da cidadania Fortunati destacou a importância da literatura na construção da cidadania
Foto: Cristine Rochol/PMPA
Já o patrono Ortiz fez um discurso lúdico, simulando a narrativa de um livro
Já o patrono Ortiz fez um discurso lúdico, simulando a narrativa de um livro
“Existe um portal que se abre todos os anos, na última sexta-feira de outubro, e que permite viajar de Porto Alegre para outros mundos, outras dimensões”. Foi com essa frase que o patrono da 60ª Feira do Livro de Porto Alegre, Airton Ortiz, convocou leitores de todas as idades, classes sociais e cidades, estados e países, a se encontrarem pelas próximas duas semanas na Praça da Alfândega, no Centro da Capital. A solenidade de abertura do evento, na noite desta sexta-feira, 31, reuniu autoridades, escritores, representantes de entidades literárias e uma multidão de leitores. (FOTOS)
 
O discurso lúdico do patrono, em formato de contação de história, simulando a narrativa de um livro, levou o público a imaginar os tipos de viagens citados. Do foguete que parte do Bom Fim a Pequim em duas horas ao portal onde se viaja na velocidade da luz, Airton mostrou que só existe uma maneira economicamente viável de conhecer o universo inteiro. “Simplesmente caminhando por esses corredores, é possível viajar para qualquer lugar do mundo e de diferentes mundos que o gênio humano já imaginou. Basta folhear alguns livros”, explicou Ortiz.
 
Na mesma linha de Ortiz, o prefeito José Fortunati também comparou o evento a um portal e destacou a importância da literatura na construção da cidadania e na busca por qualidade de vida e melhores oportunidades. “Que a Feira do Livro de Porto Alegre, a maior das Américas e o maior evento literário a céu aberto, seja realmente um portal para o mundo, para o futuro, para o conhecimento e para o saber. É um orgulho e uma alegria para todos nós ter aqui na Capital esse evento que é uma referência no mundo inteiro por sua grandeza, por ser democrático e inclusivo, gratuito e por proporcionar, a todas as pessoas que por aqui passarem, diversas atividades e o prazer de ler e viajar pelo mundo maravilhoso da literatura”, disse Fortunati.
 
O presidente da Câmara Rio-Grandense do Livro, entidade que realiza o evento, falou sobre o crescimento da Feira do Livro a cada ano. Marco Cena destacou que cerca de 1 milhão de pessoas passam todos os anos pela estrutura montada na Praça da Alfândega durante as duas semanas de programação e, numa brincadeira, transformou o local em personagem dessa história. “Toda praça sonha em abrigar uma feira que é o maior evento literário das Américas e um dos mais importantes do mundo”, apostou Cena.
 
A 60ª Feira do Livro de Porto Alegre conta com 127 expositores e vai até 16 de novembro, mobilizando milhares de visitantes. A programação inclui 700 sessões de autógrafos e 30 oficinas, além de debates, grupos de contadores de histórias, palestras e atividades artísticas. Está dividida em três áreas: geral, internacional e infanto-juvenil. A expectativa é de que as vendas, neste ano, aumentem em 20%, chegando a cerca de 500 mil exemplares. Isso porque benefícios, como o vale cultura do governo federal e o bônus distribuído pela Secretaria Municipal de Educação, também podem ser utilizados na aquisição de livros em muitos dos stands.
 
O som do sino - A solenidade de abertura terminou com o tradicional som de um sino, desta vez reproduzido numa gravação. Sem Júlio La Porta, conhecido como o Xerife da Feira do Livro e que faleceu no ano passado, ninguém mais tocou o instrumento para abrir e encerrar os trabalhos no evento. O secretário municipal da Cultura, Roque Jacoby, lembrou que um monumento será inaugurado no próximo dia 5, quarta-feira, em homenagem ao Xerife. É uma escultura de Bez Batti, representando um sino.
 
Homenagem ao Canadá - O país da América do Norte é o homenageado este ano na área internacional. Na abertura da feira, o cônsul-geral do Canadá, Stéphane Larue, aproveitou o discurso de Ortiz e disse que o evento deve “abrir um portal de Porto Alegre até o Canadá”. Larue destacou a presença de escritores canadenses na Capital e falou sobre o desejo de estreitar laços entre os dois países. Finalizou com um convite para que as pessoas conheçam o stand do Canadá na feira e se informem sobre a cultura e programas educacionais oferecidos.
 
Prefeitura na Feira do Livro - O evento é organizado pela Câmara Rio-Grandense do Livro e conta com o apoio da Prefeitura de Porto Alegre, que mobilizou diversos serviços públicos para viabilizar a programação. 
A prefeitura estará presente no evento com dois estandes. No espaço institucional do município, será desenvolvida a ação colaborativa "Leu?Curtiu?Compartilhe!", que pretende arrecadar doações de livros para beneficiar bibliotecas comunitárias da Capital. A outra área terá atuação conjunta das secretarias municipais de Educação (Smed) e da Cultura. No estande, serão comercializados lançamentos promovidos pela Coordenação do Livro e da Literatura da secretaria, livros financiados pelo Fundo Municipal de Apoio à Produção Artística e Cultural de Porto Alegre (Fumproarte) e o acervo da livraria Ilhota, atingida pelo incêndio no Mercado Público.  
 
Monitoramento e segurança – O Centro Integrado de Comando (Ceic) irá monitorar a circulação e as ocorrências no espaço da feira e no entorno da Praça da Alfândega a partir das oito câmeras já em operação na praça, com mais quatro novos equipamentos que estão sendo instalados pela Procempa. Das novas câmeras, duas abrangem as extremidades da área do evento, posicionadas na rua Sete de Setembro; as outras duas, na rua dos Andradas, ficam abaixo da estrutura de cobertura da feira, para acompanhar a movimentação do público e nas bancas. 
 
Tecnologia – Pelo nono ano consecutivo, a Procempa fornecerá infraestrutura tecnológica para o evento. Além de disponibilizar internet sem fio através da rede Porto Alegre-Livre, cederá à organização do evento 27 computadores e 22 ramais de telefonia VoIP (voz sobre IP). Neste ano, a rede wi-fi terá a velocidade de 1 mega – o dobro da disponibilizada no ano passado. A Procempa também está colocando mais seis hotspots na praça, para melhorar a cobertura e a qualidade do sinal de internet. Durante o período da feira, técnicos farão plantão no local para monitorar a infraestrutura instalada e prestar suporte técnico, quando necessário. As imagens de todas as câmeras também serão acompanhadas pela Brigada Militar em tempo real, através de dois computadores instalados no posto de policiamento da praça.
 
Infraestrutura e limpeza – No trabalho prévio à instalação da estrutura do evento, o Departamento de Esgotos Pluviais (DEP) executou a limpeza e a desobstrução dos equipamentos de drenagem em toda a área da Praça da Alfândega. O Departamento Municipal de Limpeza Urbana instalará recipientes para os resíduos sólidos e realizará a limpeza na Praça da Alfândega com equipes entre as 8h e as 23h.
 
Orientação para o trânsito – A circulação de pedestres receberá atenção especial da Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC) no entorno da Praça da Alfândega durante a feira. Cerca de 20 agentes de trânsito realizarão monitoramento na área para segurança no deslocamento do público. Agentes confirmam para sexta-feira, das 15h às 16h, abordagens com orientação aos pedestres, e também envolvendo motoristas, nas imediações da Feira do Livro. Nas atividades, concentradas em pontos de intensa circulação de pessoas e veículos, como na Sepúlveda com Siqueira Campos, serão distribuídos folhetos com mensagens para uma travessia com menos conflitos e riscos de acidentes.
 
Agentes de educação para o trânsito da EPTC realizarão abordagens de orientação aos pedestres e motoristas durante a realização da feira, alertando para uma travessia mais segura. Já os fiscais de trânsito irão monitorar a área para evitar estacionamentos irregulares, com prejuízos à circulação e riscos de acidentes.
 
Fiscalização – A fiscalização da Secretaria Municipal da Produção, Indústria e Comércio (Smic) atuará dentro e fora do perímetro da Feira do Livro. No espaço do evento, as vistorias verificarão a atuação de acordo com o alvará, porque haverá ambulantes licenciados especialmente para o evento. No entorno, também haverá inspeção dos ambulantes. Só poderão trabalhar os detentores de licença que trabalham nas imediações.   
  
Recuperação – A Coordenação da Memória da Secretaria da Cultura, por meio do Projeto Monumenta Porto Alegre, realizou a requalificação da Praça da Alfândega e da avenida Sepúlveda. As obras oferecem condições de instalação da Feira do Livro, reduzindo em muito o risco de dano para a praça. Foram instalados suportes metálicos nos pisos da praça e da avenida, para a fixação das coberturas da feira, instaladas caixas de energização para iluminação e acomodação dos equipamentos. 
 
A programação da Feira do Livro prevê funcionamento da área infantil e juvenil das 9h30 às 21h, enquanto as áreas geral e internacional atuarão das 12h30 às 21h. Outras informações sobre o evento estão disponíveis no site www.feiradolivro-poa.com.br. 
 


/feira_do_livro
Texto de: Melina Fernandes
Edição de: Andrea Brasil
Autorizada a reprodução dos textos, desde que a fonte seja citada.