Postagem em destaque

Justiça cassa mandato do Conselho Municipal de Cultura de Porto Alegre

A decisão do juiz José Antonio Coitinho, titular da 2ª Vara da Fazenda Pública de Porto Alegre, em Mandado de Segurança impetrado p...

18 de maio de 2013

Biblioteca Nova Chocolatão será ampliada

Foto: Venise Borges/Divulgação PMPA
Até o final do mês de maio, espaço passará a ter 55 metros quadrados
Até o final do mês de maio, espaço passará a ter 55 metros quadrados
Destaque no Residencial Nova Chocolatão, a biblioteca comunitária existente no local será ampliada. Evento realizado nesta quinta-feira, 16, marcou o lançamento do projeto. As obras deverão ter início na próxima semana.

Hoje, a biblioteca ocupa área construída de 30 metros quadrados. Com a ampliação, o espaço chegará a 55 metros quadrados. Os trabalhos deverão estar concluídos até o final do mês de maio. Os recursos serão disponiblizados pelo Instituto C&A, que integra a rede de instituições de apoio ao Residencial.

“A Biblioteca Nova Chocolatão é uma referência na região. Além de garantir leitura e entretenimento para crianças, jovens e adultos, o espaço é reconhecido como um centro de integração”, diz a agente da Secretaria de Governança Local, Vânia Gonçalves de Souza. A biblioteca é administrada pela organização não governamental Cirandar. Vânia destaca que os profissionais responsáveis atuam ainda em escolas e instituições de atendimento à criança e ao adolescente da região em ações de estímulo à leitura.

Em março deste ano, a Biblioteca Nova Chocolatão recebeu o Selo Criança Esperança, do projeto homônimo da Rede Globo. Em 2013, o objetivo é ações em 2013 oferecendo novas atividades de leitura, teatro e música a quatro mil pessoas. Com cerca de 2 mil títulos e circulação mensal de 500 livros pela comunidade, distribuídos entre empréstimos e consultas no próprio local, o espaço também promove contação de histórias, que envolve cerca de 800 moradores por mês.

O processo de reassentamento que resultou no surgimento do Residencial Nova Chocolatão constitui uma referência até mesmo para a Organização das Nações Unidas (ONU). A comunidade reúne moradores de ocupação irregular formada na década de 1980, na avenida Loureiro da Silva, junto ao prédio da Receita Federal - popularmente conhecido como Chocolatão. No local, mais de 700 pessoas viviam em extrema pobreza, em meio ao esgoto e ao lixo. De 2003 a 2011, houve 13 incêndios, sendo que em 2004 houve três mortes.

Reassentadas desde 2011, as mais de 700 pessoas hoje habitam casas com água potável, energia elétrica e rede de esgotos, em ruas pavimentadas, iluminação pública, estação de tratamento de esgotos, quatro unidades de comércio e serviços, centro social, creche, e bacia de amortecimento de águas, além da moderna unidade de triagem construída pela Usiminas. Os sobrados e as casas têm dois dormitórios, sala, cozinha e banheiro.


/biblioteca /vilachocolatao
Texto de: Poti Silveira Campos
Edição de: Caren Mello
Autorizada a reprodução dos textos, desde que a fonte seja citada.