Postagem em destaque

Justiça cassa mandato do Conselho Municipal de Cultura de Porto Alegre

A decisão do juiz José Antonio Coitinho, titular da 2ª Vara da Fazenda Pública de Porto Alegre, em Mandado de Segurança impetrado p...

6 de fevereiro de 2015

Funarte cria Conselho Editorial para avaliar publicações

A Fundação Nacional de Artes (Funarte) anunciou nesta quarta-feira (4/2) a criação de um Conselho Editorial responsável por avaliar e selecionar originais a serem publicados pela Fundação.


O objetivo é que sejam selecionados, por ano, o mínimo de cinco originais, um em cada uma das seguintes áreas: música, artes cênicas, artes visuais, pesquisa em acervos do Centro de Documentação (Cedoc) e tradução ou reedição de publicações esgotadas.
Segundo a gerente de Edições da Funarte, Filomena Chiaradia, a criação do Conselho Editorial da Funarte está vinculada ao Programa Funarte de Edições, que tem o objetivo de formular uma nova linha editorial e uma nova estratégia de avaliação de originais para publicação. “Essa nova estratégia inclui chamada pública de trabalhos e a criação desse Conselho Editorial. São ações em conformidade com o princípio da transparência na esfera do Poder Público e o acesso de forma democrática na apresentação de originais por qualquer cidadão”, explica.
O trabalho do Conselho será feito, inicialmente, por um núcleo de análise permanente, que fará a triagem técnica, de caráter eliminatório, das obras recebidas por meio de chamada pública, independente do segmento. Os originais selecionados serão, então, analisados por área. Esse trabalho será feito por representantes dos quatro centros da Funarte: Música (Cemus), Audiovisual (Ceav), Artes Cênicas (Ceacen) e Projetos Integrados (Cepin).
Em seguida, as obras serão avaliadas por 15 consultores externos, que serão selecionados entre membros da sociedade civil com notório saber nas linguagens artísticas fomentadas pela Funarte e reconhecimento da comunidade artística e acadêmica em suas áreas de atuação. Serão escolhidos, preferencialmente, três representantes de cada região do Brasil, os quais trabalharão individualmente.
*Com informações do site do MinC