Postagem em destaque

Justiça cassa mandato do Conselho Municipal de Cultura de Porto Alegre

A decisão do juiz José Antonio Coitinho, titular da 2ª Vara da Fazenda Pública de Porto Alegre, em Mandado de Segurança impetrado p...

5 de maio de 2013

Projeto leva biblioteca sobre cultura gaúcha para estudantes do Interior

Em malas de garupa, cavalarianos de CTG chegam até alunos de escolas do Vale do Taquari


Projeto leva biblioteca sobre cultura gaúcha para estudantes do Interior Lidiane Mallmann/Especial
Obras relacionadas à cultura gaúcha chegam a escola a cavalo Foto: Lidiane Mallmann / Especial
Vanessa Kannenberg | Arroio do Meio
São 45 pares de olhos atentos, brilhando de expectativa. Quando nove cavalarianos despontam na estrada de chão, a espera se transforma em alegria. Auxiliados por uma charrete, eles carregam malas de garupa recheadas de livros da cultura gaúcha.
Os donos dos olhares ansiosos são alunos da escola municipal Dona Rita. Em pouco tempo, eles transferem para os próprios ombros as bolsas tradicionalistas. O acervo itinerante do Centro de Tradições Gaúchas (CTG) Querência do Arroio do Meio permanecerá com eles por 15 dias. Ficará à disposição dos moradores da localidade rural de Arroio do Meio, no Vale do Taquari.
Crianças acompanham atentas a chegada dos livros
Foto: Lidiane Mallmannm, Especial

Com 75 alunos da Educação Infantil ao 5º ano do Ensino Fundamental, a escola é a 13ª a receber o projeto Biblioteca Itinerante Mala de Garupa, iniciado em 2012. Assim que as bolsas são entregues, obras literárias e material audiovisual de autores gaúchos são alocados em prateleiras.
— Olha só, Negrinho do Pastoreiro. A profe já falou dessa história. Quero ler esse primeiro — diz Erika Hermes Linck, 10 anos.
Com o livro nas mãos, ela se acomoda em um dos pelegos de lã, no chão do salão comunitário da localidade de Dona Rita, a quatro quilômetros do centro do município. No local, um dia antes da chegada dos cavalarianos, foi montada uma barraca feita de saco de estopa, sob a qual ficam duas estantes para os livros, pelegos de lã e banquinhos de madeira.
— A ideia é dar um ar de galpão, uma coisa rústica — esclarece a patroa do CTG Querência, Viviane Führ.
Além do acervo, que pode ser levado para casa por alunos e moradores da comunidade, o projeto oferece oficinas. Na Dona Rita, as atividades ocorreram na quarta-feira. Após a primeira folheada nos livros, as crianças foram distribuídas em diferentes ambientes.
Aprenderam cantigas de roda, dançaram, participaram de uma sessão de cineclube sobre lendas, mitos e contos gaúchos, e confeccionaram brinquedos tradicionais. Histórias sobre jogo das cinco marias, boneca de pano e bola de meia encantaram uma turma. E a proposta de Viviane, para que cada aluno confeccionasse seu próprio cavalo de pau, foi recebida com entusiasmo. Usando cabo de vassoura e folha de ofício, uma antiga brincadeira foi resgatada.
— Quero levar para casa — disparou Yasmin Gabriela de Souza, cinco anos.
Selecionado no Prêmio Empreendedor Cultural, patrocinado pela AES Sul e financiado pelo Estado, o Mala de Garupa tem orçamento de R$ 24,4 mil e deve visitar mais quatro escolas neste semestre. Idealizado pela professora aposentada Regina Izabel Ferreira Rodrigues, o projeto muda de endereço a cada duas semanas.


ZERO HORA