Postagem em destaque

Justiça cassa mandato do Conselho Municipal de Cultura de Porto Alegre

A decisão do juiz José Antonio Coitinho, titular da 2ª Vara da Fazenda Pública de Porto Alegre, em Mandado de Segurança impetrado p...

29 de abril de 2013

Baús aproximarão livros de alunos de instituições infantis

Foto: Guilherme Daroit/Divulgação PMPA
Serão quatro baús de madeira, com possibilidade de ampliação para até oito Serão quatro baús de madeira, com possibilidade de ampliação para até oito
Foto: Guilherme Daroit/Divulgação PMPA
Iniciativa pretende garantir interação com as linguagens oral e escrita
Iniciativa pretende garantir interação com as linguagens oral e escrita
Personagens de histórias infantis e a magia da literatura começarão a chegar a instituições de Educação Infantil conveniadas à prefeitura ainda em maio. Todas as 215 escolas poderão beneficiar-se do “Baú de Histórias. Era uma vez...”, originado a partir de outro, o “Malateca”, de autoria da professora Andréa Rossi, da Secretaria Municipal de Educação (Smed), levando acervo variado à região da Lomba do Pinheiro. (fotos)
O “Baú de Histórias. Era uma vez...” foi apresentado aos coordenadores de setores da Smed na tarde desta segunda-feira, 29, reunidos no auditório, pela bibliotecária Adriana Gomes, coordenadora da biblioteca. O evento foi prestigiado pela titular da Smed, Cleci Maria Jurach, e pela secretária-adjunta, Maria da Graça Gomes Paiva.
As atividades deverão se estender por três meses, começando por uma escola localizada na região Norte. No início, serão quatro baús de madeira, com possibilidade de ampliação para até oito. Dentro de cada um, com medida de 52 centímetros de largura por 56 centímetros de altura e 36 de profundidade, pintados com cores claras e imitando pátina, as crianças encontrarão cerca de 140 títulos de livros, livros-brinquedos, sempre destinados a pré-leitores. Confeccionadas por funcionários do setor de manutenção da Smed, as caixas têm previsão de percorrer duas instituições por mês.
A iniciativa, destaca Adriana, pretende oportunizar o contato com a leitura, além de garantir experiências de interação de crianças com as linguagens oral e escrita. "A ideia do formato em baú foi pensada porque o objeto remete ao imaginário, desperta a noção de tesouro, de preciosidade", justificou a bibliotecária.
“Cada escola deverá criar sua forma de estimular a leitura, inserindo o hábito de ler em nossas crianças”, avaliou a secretária Cleci, informando que o acervo guardado nos baús é fruto de compra com cartões oferecidos aos professores para uso na Feira do Livro e também de doações.
Os baús estão identificados com cores diferentes: azul, lilás, verde e laranja, e irão acompanhados de caderno de registros de avaliação dos usuários.
Saúde – Após, a secretária-adjunta apresentou o projeto “É fácil ser saudável”, que propõe um novo olhar sobre o bem-estar físico, mental e social dos servidores da Smed centralizada. Entre os objetivos, estão o incentivo a hábitos saudáveis e desenvolvimento de cultura preventiva, além de proporcionar momentos de relaxamento e integração dos funcionários.



/educacao /leitura
Texto de: Tiago Nequesaurt
Edição de: Vanessa Oppelt Conte
Autorizada a reprodução dos textos, desde que a fonte seja citada.