Postagem em destaque

Justiça cassa mandato do Conselho Municipal de Cultura de Porto Alegre

A decisão do juiz José Antonio Coitinho, titular da 2ª Vara da Fazenda Pública de Porto Alegre, em Mandado de Segurança impetrado p...

12 de março de 2013

Cece debate verbas para a Cultura

 
Cáurio admitiu redução em algumas áreas

O contingenciamento dos recursos previstos para a Cultura pautou a maior parte da reunião da Comissão de Educação, Cultura, Esportes e Juventude (Cece) da Câmara Municipal de Porto Alegre, na tarde desta terça-feira (12/3). Os conselhos municipal e estadual de Cultura e entidades da área questionaram o Executivo quanto à diminuição das verbas e de políticas estratégicas para o setor. 
 
Paulo Roberto Guimarães, presidente do Conselho Municipal de Cultura, que solicitou a reunião sobre o retardamento da liberação dos recursos públicos municipais destinado à área, lembrou que os setores da Cultura sempre estão pleiteando mais verbas porque o que é investido hoje “beira ao ridículo” e que a proposta dos agentes culturais é para que a porcentagem aumente gradativamente a cada ano, até chegar a 2% do orçamento em 2016 (hoje é de apenas 0,93%). No entanto, adverte, ao invés de aumentar, os valores estão diminuindo. “Não há como estabelecer metas para a Cultura se não houver o aumento das verbas. Na prática, do pouco que temos, ainda vão nos tirar o pouco que resta”, lamentou.

Diante da preocupação das entidades presentes, o secretário municipal adjunto da Cultura (SMC), Vinícius Cáurio, afirmou que o prefeito José Fortunati efetivamente se comprometeu em aumentar os recursos para o setor, mas para 1%. No entanto, ao contrário do que estava sendo afirmado, disse que o contingenciamento não cresceu em relação ao ano anterior. “Em termos absolutos, o valor para a Cultura aumentou e o percentual se manteve. O que houve foi uma redução em algumas áreas”, explicou, propondo um maior diálogo de setores específicos para readequara s verbas.
 
Como encaminhamento, a Cece solicitou que o Executivo detalhe as políticas públicas de descentralização, que não estariam claras para a maioria das entidades e para os conselhos municipal e estadual de Cultura. Além disso, a comissão irá cobrar do Executivo a destinação de 2% das verbas do município para a Cultura, cumprindo o que fora determinado em dezembro de 2012, quando aprovado o orçamento para 2013.

Participaram da reunião os vereadores Tarciso Flecha Negra (PSD), Professor Garcia (PMDB) e a presidente da Cece, Sofia Cavedon (PT), além do secretário municipal da Indústria e Comércio (Smic), Humberto Goulart, e do diretor da Divisão de Desenvolvimento Econômico da Smic, Rinaldo Simões.
 
Texto: Gustavo Ferenci (reg. prof. 14303)
Edição: Marco Aurélio Marocco (reg. prof. 6062)