Postagem em destaque

Justiça cassa mandato do Conselho Municipal de Cultura de Porto Alegre

A decisão do juiz José Antonio Coitinho, titular da 2ª Vara da Fazenda Pública de Porto Alegre, em Mandado de Segurança impetrado p...

21 de junho de 2014

Oficina revela segredos do doce de ambrosia



Foto: Divulgação/PMPA
Piquete Herança Pampeana realizou a atividade do Turismo de Galpão Piquete Herança Pampeana realizou a atividade do Turismo de Galpão

Os segredos de um dos doces mais tradicionais do Rio Grande do Sul estão sendo revelados na oficina sobre a ambrosia, que está sendo realizada pelo piquete Herança Pampeana, no Acampamento Farroupilha, dentro do programa Turismo de Galpão. “Essa oficina é uma das mais procuradas porque trata de um doce muito apreciado e tradicional do Rio Grande do Sul”, afirma o Patrão do piquete, Elson Melo.

A receita é simples. Coloque em uma panela média 1/2 xícara de açúcar, a canela e os cravos da índia, deixe ferver até dourar o açúcar (cor de caramelo), acrescente o leite, o suco do limão, o restante do açúcar e os ovos (misture os ovos antes para estourar as gemas). Mexa de vez em quando, com cuidado, deixando ferver até ficar quase seca. A questão é que, depois de pronto, poucos ficam com o sabor “do doce da infância”, como dizem os apreciadores.

Para a doceira Dálida Macedo, que aprendeu o ofício com a sua avó, em São Sepé, no interior do Estado, o segredo do doce é muito simples. “Os ovos tem que ser caipira, cuidado ao mexer o doce, senão vira mingau, e misturar com leite frio”, afirma Dálida.

Entre os participantes da oficina realizada nesta sexta-feira, 20, Vera Maria Castilhos Cabral, de Porto Alegre, estava procurando uma especialização. “Sei fazer o doce, mas não fica tão bom quanto esse”, afirmou, aprovando a qualidade do doce logo após a degustação.

Para o grupo de voluntários que trabalham na Copa do Mundo e que também prestigiaram a oficina, o doce também estava gostoso. “Estamos procurando participar do maior número de oficinas possível, agregando informações, pois nos auxilia na hora de conversar com o turista,” ressalta o voluntário José Antônio da Silveira.
O piquete ainda oferece oficinas sobre o chimarrão, comida campeira e de cuca, que também  são muito procuradas. Para o Patrão Elson, o grande segredo para o sucesso de qualquer destes quitutes está na dedicação de quem faz. “Esse é o grande segredo da culinária, fazer com carinho e com gosto”, conclui o Patrão.

/acampamento_farroupilha /copa_2014 /turismo
Texto de: Eliana Zarpelon
Edição de: Manuel Petrik
Autorizada a reprodução dos textos, desde que a fonte seja citada.