Postagem em destaque

Justiça cassa mandato do Conselho Municipal de Cultura de Porto Alegre

A decisão do juiz José Antonio Coitinho, titular da 2ª Vara da Fazenda Pública de Porto Alegre, em Mandado de Segurança impetrado p...

12 de setembro de 2014

Construção do Centro Cultural do Samba fica para 2015

VIA ZERO HORA:

Prefeitura de Porto Alegre previa que a obra poderia ficar pronta até o final de novembro deste ano

Construção do Centro Cultural do Samba fica para 2015 Félix Zucco/Agencia RBS
Novo espaço reunirá entidades carnavalescas e do samba localizadas na região do Estádio Beira-Rio Foto: Félix Zucco / Agencia RBS
O prometido Centro Cultural do Samba, que reunirá as quadras das entidades carnavalescas Imperadores do Samba e Praiana e as bandas Saldanha e Itinerante, na zona sul de Porto Alegre, ficou para 2015. Em março, a prefeitura apostava que poderia terminar as obras até o final de novembro, mas não será possível: alguns trâmites burocráticos ainda estão por vir.
Após processo licitatório realizado pelo Departamento Municipal de Habitação (Demhab), uma empresa foi selecionada. Atualmente, a vencedora da licitação confecciona o projeto do centro cultural. O trabalho está em sua fase final, de acordo com a Secretaria Municipal de Gestão (SMGes). Depois, será preciso fazer uma nova licitação, dessa vez para contratar a emrpesa que realizará a obra.
O presidente da Imperadores do Samba, Rodrigo Costa, afirmou que a última promessa da prefeitura era de que a obra do centro cultural começasse em janeiro de 2015. Nesta sexta-feira, a SMGes confirmou que o prazo não poderá ser atendido.
A SMGes garante que não haverá prejuízo às escolas para o Carnaval de 2015 porque os prédios das entidades carnavalescas serão demolidos somente quando o centro cultural estiver pronto. A ideia original era demolir as edificações antes da Copa do Mundo. No entanto, o evento esportivo passou e as quadras permaneceram no entorno do Estádio Beira-Rio porque o centro não saiu do papel.
Bombeiros analisam liberação de quadras
Outra questão pendente é a liberação das quadras atuais pelos bombeiros para os ensaios de Carnaval. A Imperadores do Samba não podia ensaiar nem liberar o espaço para outras atividades, como as da Turucutá, que ministra aulas de percussão, por causa da falta de vistoria anti-incêndio. O impedimento durou dois meses. Na última terça-feira, houve a liberação provisória, segundo o presidente da Imperadores.
— Ainda não tivemos a vistoria realizada. Os bombeiros estão analisando a documentação. Mas pelo menos a Turucutá já pode ensaiar — disse Costa.
A Praiana ainda aguarda a liberação da sua quadra — o prazo previsto pelos bombeiros é de 60 dias, conforme o presidente da escola, Miro Leal. Enquanto isso, a Praiana utiliza o espaço da Banda Itinerante.
— Estamos com horários limitados pelo Ministério Público, das 21h até a meia-noite. É pouco tempo — ponderou Leal.
O presidente da Praiana reforçou que a promessa de início das obras do centro era para janeiro do ano que vem. O espaço seria entregue entre dois e três meses depois, ressaltou. O plano original é construir o centro Cultural do Samba entre as ruas B e C, perto do Estádio Beira-Rio e do local onde atualmente estão as escolas e bandas.