Postagem em destaque

Justiça cassa mandato do Conselho Municipal de Cultura de Porto Alegre

A decisão do juiz José Antonio Coitinho, titular da 2ª Vara da Fazenda Pública de Porto Alegre, em Mandado de Segurança impetrado p...

12 de agosto de 2013

Diretor do IGTF compara Acampamento Farroupilha a ‘favelão gaudério’


O diretor técnico do Instituto Gaúcho de Tradição e Folclore (IGTF), Luiz Cláudio Knierim,  comparou o acampamento Farroupilha, que acontece anualmente no Parque Maurício Sirotsky Sobrinho, em Porto Alegre, a uma “favelão gaudério”. A manifestação aconteceu na semana passada, durante reunião da Comissão Municipal dos Festejos Farroupilhas, da qual Knierim faz parte.
Presidente da CBTG , Manoelito Savaris participou do encontro. Segundo ele,   a declaração do diretor do IGTF foi feita no contexto de que, na opinião de Knierim, o acampamento seria mais autêntico se fosse  formado por lonas. Para Savaris, que também é coordenador do acampamento, o diretor  foi “infeliz” no comentário que fez. “Espero que ele não esteja falando em nome do IGTF e nem do governo do estado. A minha reação foi imediata e deixei claro que não aceitava aquela afirmativa e que ele estava ofendendo a mim e a todos os acampados”, disse Savaris ao Repórter Farroupilha.
O blog ouviu, também, o diretor do IFTG. Ele disse que chamou o acampamento de “favelão gaudério” no sentido de ser um local propício a incêndios. “‘É a estrutura de uma favela. Ruas estreitas, casas de madeira, vielas, precariedade, fogões à lenha”, exemplificou  Knierim. “Tivemos mais sorte que juízo em outros anos. Se chega a pegar fogo, à noite, com as pessoas dormindo, incendeia o quarteirão inteiro”,  afirma o dirigente do instituto. Segundo ele, só haveria um hidrante no parque, informação que é negada pelo coordenador do acampamento.
Acesse outras notícias do blog em g1.com.br/reporterfarroupilha