Postagem em destaque

Justiça cassa mandato do Conselho Municipal de Cultura de Porto Alegre

A decisão do juiz José Antonio Coitinho, titular da 2ª Vara da Fazenda Pública de Porto Alegre, em Mandado de Segurança impetrado p...

14 de março de 2014

Exposição de Sebastião Salgado: um presente para Porto Alegre


Foto: Anselmo Cunha/PMPA
O fotógrafo veio à Capital apresentar o novo projeto, inaugurado em Londres O fotógrafo veio à Capital apresentar o novo projeto, inaugurado em Londres
Foto: Anselmo Cunha/PMPA
A mostra Genesis reúne 250 imagens registradas em oito anos de viagens A mostra Genesis reúne 250 imagens registradas em oito anos de viagens
A programação com mais de 85 atrações para comemorar os 242 anos de Porto Alegre começou na noite desta quinta-feira, 13. Foi aberta na Usina do Gasômetro a exposição Genesis, do consagrado fotógrafo brasileiro Sebastião Salgado, que veio à Capital para o lançamento do trabalho. A mostra integra o FestFoto 2014 e resulta de um projeto de oito anos registrando os locais mais remotos do planeta. O evento de apresentação do projeto na Capital teve as presenças do prefeito José Fortunati e do governador Tarso Genro.

Genesis é composta de 250 fotos, com curadoria e projeto de Lélia Salgado. A exposição estará aberta ao público de terça a sexta, das 9h às 21h; e no sábado e no domingo, das 10h às 21h. "Estamos iniciando da melhor forma possível a celebração do aniversário de nossa cidade. Sebastião Salgado é um verdadeiro gênio da fotografia e a presença de seu trabalho aqui, nesse lugar tão querido pelos porto-alegrenses, não poderia ser mais feliz", afirmou Fortunati, na solenidade de abertura.

Nesta sexta-feira, 14, o fotógrafo realiza palestra a partir das 10h, no Salão de Atos da Ufrgs. "Fico feliz de retornar ao Rio Grande do Sul, lugar de um povo que se caracteriza pela luta e pela bravura, pelo engajamento político. Quero dividir com os gaúchos um pouco dessa visão da preservação da natureza e da necessidade que temos de refletir sobre isso", manifestou Salgado.
A exposição foi inaugurada no Museu de História Natural de Londres, como resultado do trabalho desenvolvido entre 2004 e 2012. Salgado realizou 30 viagens utilizando aviões de pequeno porte, helicópteros, barcos e canoas para atingir os pontos mais remotos do planeta. Consagrado pelas exposições Trabalhadores (1986-1992) e Êxodos (1994-1999), o fotojornalista mantém na nova mostra sua característica mais marcante: as imagens em preto e branco, aguçando as texturas e os contrastes. Gênesis é organizada em cinco seções, priorizando os diferentes ecossistemas visitados.
Planeta Sul - nesta seção, Salgado mostra as paisagens da Antártica, englobando a Península Valdés, as Ilhas Malvinas, o arquipélago Diego Ramirez e as Ilhas Sandwich. O mundo gelado da parte meridional da Terra serve de habitat para pinguins, leões marinhos, baleias, albatrozes, pétreis-gigantes e cormorões.
Santuários - enfoca lugares como as Ilhas Galápagos, Nova Guiné, Sumatra e Madagascar. Paisagens vulcânicas, populações anciãs e a peculiaridade da fauna intocada dão o tom da amostra.
África - as imagens capturam a vida selvagem do continente em países como Botswana,  Ruanda, Congo e Uganda. Tribos da Etiópia e do Deserto Kalahari. Nessa seção, também são temas os desertos da Líbia e da Nigéria.
Terras do Norte - mostra o extremo norte da América e da Rússia. Além dos ursos polares, se destacam os registros da tribo Nenet, no norte da Sibéria, que resiste às mais baixas temperaturas do planeta.
Amazônia e Pantanal - apresenta a diversidade biológica dos trópicos. Além da flora e da fauna exuberantes, Salgado registra tribos isoladas, do Pantanal à região do Rio Xingu.
Sebastião Salgado - Nasceu em 8 de fevereiro de 1944, na vila de Conceição do Capim, distrito do município brasileiro de Aimorés, no interior do estado de Minas Gerais. Em 1963, foi para a Universidade de São Paulo. Fotógrafo de referência internacional, recebeu praticamente todos os principais prêmios de fotografia do mundo como reconhecimento por seu trabalho. Em 1994, fundou a própria agência de notícias, "As Imagens da Amazônia", que representa o fotógrafo e seu trabalho. Salgado e sua esposa, Lélia Wanick Salgado, autora do projeto gráfico da maioria de seus livros, vivem atualmente em Paris. O casal tem dois filhos.

Ao longo dos anos, Sebastião Salgado tem contribuído com organizações humanitárias incluindo o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), o Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR), a Organização Mundial da Saúde (OMS), a ONG Médicos sem Fronteiras e a Anistia Internacional. Apoia atualmente um projeto de reflorestamento e revitalização comunitária em Minas Gerais.
Leia também:

Porto Alegre 242 anos: 85 atrações na programação
Texto de: Antônio Bavaresco
Edição de: Carolina Seeger
Autorizada a reprodução dos textos, desde que a fonte seja citada.