Postagem em destaque

Justiça cassa mandato do Conselho Municipal de Cultura de Porto Alegre

A decisão do juiz José Antonio Coitinho, titular da 2ª Vara da Fazenda Pública de Porto Alegre, em Mandado de Segurança impetrado p...

2 de março de 2014

Imperadores do Samba homenageia Luis Fernando Verissimo

Foto: Anselmo Cunha/PMPA
Imperadores encerrou os desfiles do Grupo Especial
Imperadores encerrou os desfiles do Grupo Especial
Às 4h22, o vermelho e branco da Imperadores do Samba começou a evolução na passarela. Com mais de 1,8 mil integrantes, a escola cujo símbolo é uma coroa imperial guardada por dois leões africanos, homenageou o escritor Luis Fernando Verissimo. A Imperadores encerrou os desfiles do Grupo Especial no Complexo Cultural Porto Seco na madrugada deste domingo, 2 de março. (fotos)

Com 21 alas, incluindo a bateria comandada pelo mestre Brinco, a agremiação mostrou a vida e a obra do escritor gaúcho. Os personagens a Velhinha de Taubaté, Ed Mort, o Analista de Bagé e as tirinhas das Cobras ajudaram a ilustrar o samba-enredo. O quinto e último carro alegórico, intitulado Sangue e Alma Vermelha, foi o que trouxe o escritor.

Na dispersão, o presidente da escola Luiz Carlos Amorim Borges se mostrou otimista: "O desfile foi maravilhoso, como todos os outros que fizemos no passado. Espero que dessa vez o resultado seja diferente." Em 2013, a escola ficou em segundo lugar.

A escola – A Imperadores do Samba foi fundada em 19 de janeiro de 1959 na rua Joaquim Nabuco, bairro Cidade Baixa. Suas cores são o vermelho e o branco e seu símbolo é a coroa imperial, guardada por dois leões. É a segunda escola com mais títulos no Grupo Especial. O atual presidente é Luiz Carlos Amorim.

Samba-enredo – “A Imperadores do Samba faz a justa homenagem aos personagens de Luis Fernando Veríssimo”

Compositores – Andy Lee, Victor Hugo Silva do Nascimento, Carlos Roberto Costa do Nascimento
Intérprete – Vinicius Machado
Integrantes – 1,8 mil
Carros Alegóricos – 05
Alas – 22

Letra Vem meu povo cantar sou imperador
O clamor do mar vermelho inflama
Pra ver os personagens deste cronista sem igual
Veríssimo é o nosso carnaval

Sonhando viu traçado o seu destino
Querubins anunciaram uma viagem
Em nova morada o tempo passou
Sobre as asas de um anjo o menino libriano chegou

Seu berço foi a capital
Dos sonhos da infância para o mundo despertar
Na terra do Tio Sam com a família foi morar
Aluno nos Estates se formou

Cenário americano que fascina
Deslumbrante show, jazz encantador
Ao som do sax lindas melodias
Luís Fernando se apaixonou

Aplaude ele aí
Homenagem aceita, aí sim! olha ele ali
No compasso dos tamborins
Criador e criaturas num desfile multicor
Na cadência da sinfônica mostrando seu valor

Lindaura foi buscar o Analista de Bagé
Pra resolver o causo da Velhinha de Taubaté
Ed Mort viu nas cartas de Dorinha
Que as Cobras quem diria fazem parte da Família

De um simples “patentino”, condecorado se faz
Textos publicados em revistas e jornais
Seus traços inspirando decoração
Vermelho e branco também é sua paixão

Sou Fiel Resistência de corpo e alma na passarela
Sambando pra contar a sua história
Rugindo no encontro de culturas
Exaltando um gênio da nossa literatura

Texto de: Adriano Santana
Edição de: Caco Belmonte
Autorizada a reprodução dos textos, desde que a fonte seja citada.