Postagem em destaque

Justiça cassa mandato do Conselho Municipal de Cultura de Porto Alegre

A decisão do juiz José Antonio Coitinho, titular da 2ª Vara da Fazenda Pública de Porto Alegre, em Mandado de Segurança impetrado p...

15 de julho de 2013

Por que dançamos?


VIA BLOG ROGERIO BASTOS
 
A dança é uma arte que esta diretamente ligada à raça humana, é impossível hoje determinar com exatidão quando e porque o homem dançou pela primeira vez. A quem se arrisque afirmar que seu surgimento se dá devido às necessidades básicas do homem. Há figuras gravadas nas paredes de cavernas que demonstram o homem dançando. Como os povos da idade da pedra só gravavam nas paredes de suas cavernas aquilo que lhes era importante, como a caça, a alimentação, a vida e a morte, isso nos possibilita constatar que a dança fizesse parte de rituais de cunho religioso, básicos para a sociedade pré-histórica, a cujos costumes esse tipo de manifestação já estaria incorporado.
A arqueologia não deixa de indicar a existência da dança como parte integrante de cerimônias religiosas, nos levando a afirmar que a dança surgiu da religião ou até mesmo que tenha nascido junto com ela.
A única certeza é que, como todas as artes, a dança é fruto da incansável necessidade de expressão humana e provavelmente veio da necessidade de se comunicar com os Deuses ou exprimir alegria por algo de bom concedido por estes seres supremos. Portanto, os povos primitivos dançavam para agradar os seus deuses. A dança servia então aos rituais tribais, especialmente rituais sagrados, mas também para estimular o vigor físico, o desenvolvimento de habilidades e até mesmo para se aquecer.
Se analisarmos a vida de qualquer povo, sempre encontraremos a dança como expressão de uma cultura. Percebemos assim que a sua evolução na história não é aleatória, pois obedece claramente a padrões sociais e econômicos, retratando épocas e etapas do desenvolvimento, sofrendo influências direitas do meio e afetando o comportamento de todas as classes sociais. Isso se deve à necessidade de imitar comportamentos e até mesmo por influências de modas.

O comportamento do homem releva que ele sempre dançou de felicidade quando tem uma boa colheita, quando acontecem casamentos, batizados, aniversários, para conquistar ou simplesmente apenas pelo prazer de dançar, como motivo de recreação ou demonstração de habilidade.

Professor Toni Sidi Pereira