Postagem em destaque

Justiça cassa mandato do Conselho Municipal de Cultura de Porto Alegre

A decisão do juiz José Antonio Coitinho, titular da 2ª Vara da Fazenda Pública de Porto Alegre, em Mandado de Segurança impetrado p...

3 de junho de 2013

Professores terão formação sobre a presença indígena na cidade

De quinta-feira, 5, a sexta, 7, a Secretaria Municipal de Direitos Humanos realiza o encontro a Formação e Distribuição Qualificada do livro "Presença Indígena na Cidade: reflexões, ações e políticas". A obra, a segunda publicação do Núcleo de Políticas Públicas para Povos Indígenas (NPPPI), será distribuída para compor o acervo das bibliotecas das escolas municipais e das instituições presentes no evento que se realizará na sala A2 B2 da Casa de Cultura Mário Quintana. Voltado aos professores da Rede Municipal de ensino, o evento, em parceria com a Secretaria Municipal de Educação, será aberto às 9h do dia 5. 
 
O livro deverá subsidiar os professores da rede municipal de ensino para a temática indígena na escola com ênfase na cidade de Porto Alegre. A prática atende à lei federal que estabelece a obrigatoriedade de inserção da história e das culturas afro-brasileiras e indígenas no currículo escolar. 
 
A programação conta com debate com a presença de autores da obra e apresentações culturais indígenas. "Por uma série de preconceitos decorrentes da dominação cultural, a invisibilidade da presença indígena no espaço urbano ainda persiste. É um grande desafio a constituição de políticas públicas locais que considerem a diversidade de modos de organização social, padrões de ocupação do espaço, formas de sustentabilidade, perspectivas culturais e direitos específicos dos povos indígenas presentes na cidade", diz a coordenadora do NPPPI, Rosa Maris Rosado. 
 
A publicação traz ao debate questões dos povos Mbyá-Guarani, Kaingang e Charrua presentes em Porto Alegre. "Reescrever a história de Porto Alegre incorporando aqueles que foram esquecidos nos silêncios da memória é um compromisso ético de todo o porto-alegrense ", aponta Rosa. O assessor de Educação das Relações Etnicorraciais da Smed, Vanderlei de Paula Gomes, destaca que ações realizadas em cooperação como essa  potencializam as práticas pedagógicas existentes nas escolas e provocam o exercício do respeito nas relações humanas dentro e fora do espaço escolar.
 
A abertura do evento contará com as presenças do secretários de Direitos Humanos, Luciano Marcontônio, e da Educação, Cleci Jurach, e da secretária-adjunta de Povos Indígenas e Direitos Específicos, Karina Dávila.


/educacao /indigenas
Edição de: Caren Mello
Autorizada a reprodução dos textos, desde que a fonte seja citada.