Postagem em destaque

Justiça cassa mandato do Conselho Municipal de Cultura de Porto Alegre

A decisão do juiz José Antonio Coitinho, titular da 2ª Vara da Fazenda Pública de Porto Alegre, em Mandado de Segurança impetrado p...

8 de julho de 2013

QUE DECEPÇÃO COM TANTA INCOERÊNCIA!





Hoje pela manhã corri os olhas pelo jornal Zero Hora que recebo na porta de meu rancho e, como sempre faço, comecei a leitura pela penúltima página, ou seja, a coluna do jornalista Paulo Santana. Mas que decepção...

Gosto do estilo, das opiniões fortes, da veemência, das palavras empregadas no texto deste colunista.

Contudo, como tudo na vida, sempre há o dia da decepção. O meu, com Paulo Santana, foi hoje (assim como com o lutador Anderson Silva foi na madrugada de domingo).

Com o sinistro ocorrido em nosso querido e histórico mercado Público de Porto Alegre, Paulo Santana simplesmente prega sua implosão e a construção de um moderno shopping, com estacionamento, etc...

Mas e a memória? E a história? E a preservação cultural?

O Mercado Público faz parte da vida dos portoalegrenses e do próprio povo gaúcho. Por ali andejaram boêmios como Lupicínio Rodrigues (que o jornalista tanto decanta), políticos que marcaram época, pessoas comuns do povo... O Mercado Público era, é e sempre será o coração da cidade de Porto Alegre!

Que idéia infeliz, Senhor Paulo Santana!

Seria o mesmo que implodir as ruínas missioneiras, em São Miguel para a construção de uma nova e moderna catedral, ou seja, um descalabro, um acinte, uma senilidade.

Agora atentem para o pior:

- Foi de Francisco Paulo Santana, então vereador desta capital, o projeto aprovado para o tombamento, isto é, a preservação oficial, do Mercado Público. SANTA INCOERÊNCIA!