Postagem em destaque

Justiça cassa mandato do Conselho Municipal de Cultura de Porto Alegre

A decisão do juiz José Antonio Coitinho, titular da 2ª Vara da Fazenda Pública de Porto Alegre, em Mandado de Segurança impetrado p...

25 de novembro de 2013

Prêmio Açorianos: Em defesa de Certa Desordem


 
Em Defesa de Certa Desordem de Celso Gutfreind é finalista do Prêmio Açorianos de Literatura na categoria Poesia.

Em Defesa de Certa Desordem de Celso Gutfreind concorre juntamente com, Breu rendado de Deisi Beier e Aqui Jasmim de Carolina Milman.

Em Defesa de Certa Desordem de Celso Gutfreind, reúne uma série de poesias afirmando que, agora, “na meia idade”, retoma sua identidade verdadeira, diz: “Os temas, como sempre, poucos: as origens, a infância, a poesia (a arte), a filosofia, as viagens, o amor...” “Este é um livro de quem se deslocou muito na vida. De quem saiu do lugar para conhecer coisas variadas. De quem viajou e voltou de lá com mais sabedoria, mais jeito de dizer, mais força de artista. O som desse processo é o baixo-contínuo que se ouve aqui, ao largo das páginas” - Luís Augusto Fisher.

Celso Gutfreind é escritor, psiquiatra e psicanalista. É autor de 29 livros de poesia, ensaios e histórias para crianças, entre os quais se destacam Arte de Rua (poesia, prêmios Açorianos e Henrique Bertaso), Narrar, ser mãe, ser pai & outros ensaios sobre a paternalidade (finalista do Prêmio Jabuti e Prêmio da Associação Gaúcha de Escritores para melhor livro de ficção). Pela Artes e Oficios, publicou O Terapeuta e o lobo, Grilos, A almofada que não dava tchau (Prêmio AGE para melhor livro infantil do RS), Domingo para sempre & outras histórias sobre nunca mais e A dança das palavras: poesia e narrativa para pais e professores.