Postagem em destaque

Justiça cassa mandato do Conselho Municipal de Cultura de Porto Alegre

A decisão do juiz José Antonio Coitinho, titular da 2ª Vara da Fazenda Pública de Porto Alegre, em Mandado de Segurança impetrado p...

19 de setembro de 2013

O DESFILE TEMÁTICO EM PAJADAS



Hoje a noite, em Porto Alegre, teremos o Desfile Temático, atrativo do qual serei comentarista, ao lado do meu amigo, o radialista Jairo Reis, pela Rádio Rural. Pois outro grande amigo, o pajador Pedro Junior da Fontoura, sabedor disto, me manda, para tornar o desfile mais poético, uma pajada para cada carro. Grande Pedro Junior. Com certeza este material irá abrilhantar sobremaneira nossos comentários. Mil gracias, meu mano velho.

Por: PEDRO JUNIOR DA FONTOURA

Rogério Bastos (mentor) e Silvio Oliveira (produtor) do Desfile Temático


TEMA DE ABERTURA
O imaginário social
adentra pela avenida.
A vida anda colorida
num abraço fraternal;
olhar de igual pra igual,
mesmo carinho e afeto.
Seguindo o velho dialeto
Co’as glórias que relembro:
Salve o Vinte de Setembro!
Salve Simões Lopes Neto!

Carro 1: O Imaginário

Busca um resgate ancestral
o manso olhar na planura
e na voz da Literatura
canta um povo sem igual;
seguindo o velho ritual
do santo vocabulário;
a querência é um relicário
e quero que tu entendas
vivendo Mitos e Lendas
nascidos no imaginário.

Carro 2 : A Lenda do Boitatá

Puxo o laço na presilha
e a argola distrai o bicho,
parece mesmo um “gualicho”
este rastro em minha trilha.
Tem fogo nesta coxilha
que vem querendo "incendiá",
escuto desde piá
toda manha desse jogo:
conheço a Cobra de Fogo
da Lenda do Boitatá.

Carro 3: A Lenda do Negrinho do Pastoreio

Nos tempos da escravidão
foi que o Negrinho morreu,
e esta lenda nasceu
pra habitar o coração
desta indiada do rincão
que sem "fazê" muito floreio,
reparte o fumo no meio
na ternura que aflora
co’a benção de Nossa Senhora
Negrinho do Pastoreio.

Carro 4: A Salamanca do Jarau
As raças miscigenadas
moldaram nossa bravura
como luz em noite escura
nas sete provas sagradas,
uma a uma superadas
ódio, vingança e terror,
surgindo um novo senhor
na alma do velho Blau
na maldição do Jarau
só o amor foi vencedor.

Carro 5: O Mate do João Cardoso

Lá vem vindo algum tropeiro
prepare o mate, muié.
No andante boto fé
tem notícias do povoeiro.
Apeie, meu companheiro
pra um mate bueno e gostoso
fale de um tempo grandioso
que o mate já tá chegando...
- tô até agora esperando
o Mate do João Cardoso.


Carro 6: Trezentas Onças
Blau Nunes tá enredado
são tantas onças perdidas...
e quanto vale uma vida
quando tudo está errado?
Blau Nunes atarantado
vê ao longe a comitiva,
a velha aura biriva
traz a guaiaca e a riqueza
representando a nobreza
na nossa gente nativa.

Carro 7: Lobisomen e Bruxa

estou tremendo de medo
da bruxa e do lobisomen
na noite tudo se some
só ficam os meus segredos,
a escuridão cria enredos
o vento assopra e me pucha
mas a coragem gaúcha
que herdei desde batismo
explica esse misticismo
do lobisomen e da bruxa.

Carro 8: Crendices e Supertições

Benzedura e simpatias
rezas, crenças e muita fé.
As bençãos de algum Pajé
redobrando as energias.
A lua namora os dias,
adentra pelos galpões;
faz morada nos fogões,
nos olhos arregalados
de quem já vem assustado
por tantas supertições.

Carro 9 - Chasque do Imperador

Na fumaça dos canhões
a defesa da fronteira
a velha Pátria Brasileira
renascida nos galpões
retrata a voz dos peões
do guasqueiro ao domador,
guitarreiro e pajador
com sentimento profundo
como Dom Pedro Segundo
no Chasque do Imperador.