Postagem em destaque

Justiça cassa mandato do Conselho Municipal de Cultura de Porto Alegre

A decisão do juiz José Antonio Coitinho, titular da 2ª Vara da Fazenda Pública de Porto Alegre, em Mandado de Segurança impetrado p...

10 de setembro de 2013

Sala Sinfônica da Ospa: nesta quarta-feira será realizada nova abertura de envelopes


Cumpridos os prazos recursais do processo licitatório para execução da terceira fase das obras da Sala Sinfônica da Ospa, nenhuma das sete empresas concorrentes foi habilitada. Nova oportunidade de entrega de documentos que comprovem a experiência técnica necessária foi dada, conforme artigo 48 da Lei nº 8666. Portanto, nesta quarta, dia 11 de setembroàs 14h, na Central de Licitações (Celic) da Secretaria da Administração e dos Recursos Humanos, no Centro Administrativo (Av. Borges de Medeiros, 1.501, 2º andar), serão abertos os envelopes com as documentações atualizadas.
A terceira etapa das obras consiste na construção da supraestrutura do prédio. O orçamento previsto para esta fase é de R$ 25.156.642,23, custo que será financiado por verba provinda de convênio firmado entre o Ministério da Cultura e o Governo do Estado do Rio Grande do Sul.
Sala Sinfônica da Ospa
Desde sua fundação, em 1950, a Orquestra Sinfônica de Porto Alegre (Ospa) não tem uma sede própria. A necessidade de possuir ambientes compatíveis com os projetos que desenvolve levou a Fundação Orquestra Sinfônica de Porto Alegre (Fospa) a buscar, ao lado da Associação de seus funcionários (Affospa), a edificação de uma Sala Sinfônica, com áreas complementares para abrigar os arquivos musicais e demais atividades de apoio aos seus projetos socioculturais. Para tanto, em 2004, foi criada a Fundação Cultural Pablo Komlós.
O projeto da Sala Sinfônica da Ospa inclui uma sala de concertos, um museu da música, salas de ensaio, escola de música e sede administrativa. Em 2008, a prefeitura de Porto Alegre cedeu o terreno para a construção, na Avenida Loureiro da Silva, nº 165, no Parque Maurício Sirotsky Sobrinho.
As obras começaram em 2012. As fundações do prédio, que consistiram nas duas primeiras etapas da construção (estaqueamento e construção de blocos de concreto para apoio dos pilares), foram financiadas por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura, com patrocínio de Banrisul, Souza Cruz, Vonpar, Lojas Renner, SulGás, Randon, Celulose Irani e Habitasul, e apoio de STIHL, BarraShopping, Marcopolo, Pactum e CIEE, através da Fundação Cultural Pablo Komlós.
Em julho do ano passado, foi dado um passo importante para a viabilização deste projeto. Em decorrência de uma proposta de emenda ao orçamento da União feita pela bancada federal gaúcha, o Ministério da Cultura e o Governo do Estado firmaram convênio que definiu a liberação de cerca de R$ 19 milhões pelo ministério e a contrapartida do estado no valor aproximado de R$ 5 milhões. Este convênio custeará a execução da supraestrutura do prédio. A previsão é de que a Sala Sinfônica da Ospa seja inaugurada no segundo semestre de 2014.
Texto: Ana Laura Freitas