Postagem em destaque

Justiça cassa mandato do Conselho Municipal de Cultura de Porto Alegre

A decisão do juiz José Antonio Coitinho, titular da 2ª Vara da Fazenda Pública de Porto Alegre, em Mandado de Segurança impetrado p...

16 de agosto de 2015

Região Nordeste escolhe a habitação como prioridade no OP

Foto: Luciano Lanes / PMPA
Para Fortunati, a democracia participativa depende de comunidades ativas

Para Fortunati, a democracia participativa depende de comunidades ativas
Foto: Luciano Lanes / PMPA
Comunidade do bairro Mário Quintana lotou plenário na escola Victor Issler

Comunidade do bairro Mário Quintana lotou plenário na escola Victor Issler
Com plenário lotado, mais uma vez a região Nordeste se reafirma como uma das mais mobilizadas no Orçamento Participativo. Os 1.201 credenciados, 25% a mais que no ano passado, escolheram habitação como prioridade mais importante no ciclo 2015/2016. A comunidade do bairro Mário Quintana também elegeu os investimentos em cultura, esporte e lazer e pavimentação como prioritários. A assembleia regional foi realizada na Escola Municipal Deputado Victor Issler (fotos).
A comunidade levou faixas e cartazes com suas demandas e promoveu um debate construtivo e intenso sobre as demandas do bairro. O prefeito José Fortunati destacou essa característica da região, de intensa mobilização. “Temos aqui no Mário Quintana lideranças comunitárias muito atuantes e moradores que participam efetivamente do OP, tanto que o público aumenta a cada ano. Eles trazem até nós suas necessidades, discutem, argumentam e, por fim, votam e decidem a melhor forma de aplicar os recursos públicos na região. O sucesso da democracia participativa depende de comunidades assim, que são ativas na construção de uma sociedade melhor”, afirmou Fortunati.
Nas manifestações dos representantes da comunidade, pedidos na área da habitação, saúde e educação foram os que mais se destacaram. O Movimento Jovem Mário Quintana pediu agilidade na construção de uma pista de skate e qualificação do telecentro. “Eu frequento as assembleias do OP desde 1989, quando foi implantado. As comunidades precisam de lideranças jovens como essas que estão aqui. Aliás, precisam de lideranças mas também da presença massiva dos moradores dispostos a defenderem suas demandas, para despertar o espírito de cuidado com a cidade e a consciência de que todos somos responsáveis por Porto Alegre”, disse o vice-prefeito Sebastião Melo.
Os secretários e gestores municipais responderam os questionamentos dos moradores. Em seguida, a única chapa para o conselho inscrita foi eleita por aclamação. Giovane Byl e Denise das Neves Flores são os conselheiros titulares, e Carla Rejane Meneghetti Rodrigues e Rosi Bauerfekdt Mendes as suplentes.
A próxima assembleia acontece na segunda-feira, 17, na região Leste. As rodadas de plenárias regionais iniciaram-se no último dia 5 e seguem até o dia 29 de agosto. Também já foram realizadas reuniões nas regiões Centro, Cruzeiro, Centro-Sul, Norte, Cristal e Sul.
Investimentos em novas demandas - O Plano de Investimentos e Serviços (PI) deste ano contém mais de R$ 80 milhões em demandas novas, sendo R$ 67 milhões das regionais e R$ 12,5 milhões das temáticas. Na região Nordeste serão investidos R$ 9.414.793,46 em obras e demandas de saneamento básico, habitação, assistência social e cultura. Mesmo não estando imune à crise que afeta o país e o estado do Rio Grande do Sul, Porto Alegre está mantendo sua capacidade de investimentos.
Além das discussões acerca das novas demandas das regiões e temáticas e a garantia sobre a continuidade de execução das demandas antigas, os fóruns de delegados e o governo debateram e apresentaram propostas de alteração do regimento interno. As discussões foram conduzidas pelas duas secretarias municipais responsáveis pelo Orçamento Participativo: Governança Local (SMGL) e Planejamento Estratégico e Orçamento (Smpeo).
Maior participação - Em 2014, quando o OP completou 25 anos de implantação, as Assembleias Regionais e Temáticas registraram recorde histórico de participação. As seis reuniões temáticas e as 17 regionais contabilizaram 17.582 credenciamentos. Nas 17 regiões, a prioridade que mais apareceu na primeira colocação foi habitação. Mas a novidade foi em relação à cultura. Dez das 17 regiões pontuaram cultura entre as quatro prioridades. 


/orcamento_participativo
Texto de: Melina Fernandes
Edição de: Gilmar Martins
Autorizada a reprodução dos textos, desde que a fonte seja citada.