Postagem em destaque

Justiça cassa mandato do Conselho Municipal de Cultura de Porto Alegre

A decisão do juiz José Antonio Coitinho, titular da 2ª Vara da Fazenda Pública de Porto Alegre, em Mandado de Segurança impetrado p...

9 de setembro de 2013

Traje típico feminino é apresentado em oficina

Foto: Vanessa Silva/PMPA
Oficina no Acampamento contou história e tradição do vestido de prenda Oficina no Acampamento contou história e tradição do vestido de prenda
Foto: Vanessa Silva/PMPA
Para Maria (E), fazer o traje é mais do que costurar uma roupa comum
Para Maria (E), fazer o traje é mais do que costurar uma roupa comum
A história e a confecção da vestimenta típica da mulher gaúcha foram ensinadas na oficina Vestido de prenda: História e tradição, realizada na tarde desta segunda-feira, 9, no espaço do 35 CTG, no Acampamento Farroupilha. A atividade faz parte da programação do Turismo de Galpão, programa promovido em ação conjunta pelas secretarias municipais de Turismo, Cultura e da Copa, 1ª Região Tradicionalista e Fundação Cultural Gaúcha. (fotos)

A oficina teve início com a patroa do CTG, Márcia Cristina Borges da Silva, contando a história do vestido de prenda, que surgiu a partir da necessidade de criar uma indumentária para as moças do centro tradicionalista. “Não havia uma indumentária. Antes, as prendas usavam saia e uma camisa branca“, contou. Na sequência, Márcia apresentou os diversos modelos até chegar ao modelo atual de vestido. A vestimenta contemporânea segue os padrões criados em 1948 pelo CTG. “O vestido deve ser simples, de tecido e corte”, advertiu Márcia.

São três modelos de traje que podem ser usados pelas prendas: o vestido para o cotidiano, o vestido para apresentações de invernadas e a saia que também pode ser usada no dia a dia. “Para cada um é um tipo diferente de corte da saia”, ressaltou a costureira Maria Regina Moura, que confecciona os vestidos das invernadas do CTG. Maria revelou o segredo de como fazer o vestido: é saber cortar a saia. Para a costureira, fazer o traje é mais do que costurar uma roupa comum. “Não é só um vestido, tem uma história. Por isso, tem que conhecer a cultura gaúcha”, comentou.

Oficinas - A programação de oficinas e palestras do programa Turismo de Galpão prossegue até 22 de setembro. A programação está disponível no Galpão da Hospitalidade, no Acampamento Farroupilha, Parque Maurício Sirotsky Sobrinho (Harmonia), e no site www.portoalegre.travel. As inscrições devem ser feitas pelo e-mail turismodegalpao@gmail.com ou diretamente no Galpão da Hospitalidade.


/acampamento_farroupilha /cultura /tradicionalismo /turismo
Texto de: Cristiane Serra
Edição de: Vanessa Oppelt Conte
Autorizada a reprodução dos textos, desde que a fonte seja citada.