Postagem em destaque

Justiça cassa mandato do Conselho Municipal de Cultura de Porto Alegre

A decisão do juiz José Antonio Coitinho, titular da 2ª Vara da Fazenda Pública de Porto Alegre, em Mandado de Segurança impetrado p...

31 de outubro de 2013

CMC explica construção do Plano Municipal de Cultura

Foto: Elson Sempé Pedroso
Paulo Guimarães pediu que a prefeitura envie o projeto para a Câmara
Foto: Elson Sempé Pedroso




O presidente do Conselho Municipal de Cultura de Porto Alegre, Paulo Guimarães, explicou hoje (31/10), na Tribuna Popular da Câmara Municipal, como foi construído o Plano Municipal de Cultura. Guimarães pediu ao prefeito que envie o projeto que institui o plano o mais breve possível para análise do Legislativo, "para que os vereadores possam aprová-lo ainda em 2013". Segundo Guimarães, "o plano é mais uma prova do pioneirismo de Porto Alegre na área cultural, pioneirismo iniciado em 1976, com a criação do Conselho Municipal do Patrimônio Artístico e Cultural (Comphac)."

Ao avaliar o trabalho que resultou no Plano de Cultura, Guimarães observou que a proposta é resultado de 18 anos de discussões entre os operadores da cultura na cidade. Conforme ele, após oito conferências municipais de cultura, realizadas bienalmente desde 1995, chegou-se ao plano que foi entregue ao prefeito no último dia 18 de outubro. "Nenhuma cidade realizou trabalho de forma tão democrática. É um processo que vai intensificar a atividade cultural na cidade."

Em um histórico da cultura na cidade, o presidente do CMC relembrou outros fatos marcantes na área cultural, como a criação da Secretaria Municipal de Cultura (SMC), em 1988, a criação, em 1991, do centro cultural Usina do Gasômetro - "o mais visitado do Estado" - , e a realização da primeira conferência municipal de cultura, em 1995. Porto Alegre possui hoje cinco fundos de cultura, acrescentou Guimarães, além de 60 equipamentos e espaços culturais. 

Texto: Marco Aurélio Marocco (reg. prof. 6062)
Edição: Claudete Barcellos (reg. prof. 6481)