Postagem em destaque

Justiça cassa mandato do Conselho Municipal de Cultura de Porto Alegre

A decisão do juiz José Antonio Coitinho, titular da 2ª Vara da Fazenda Pública de Porto Alegre, em Mandado de Segurança impetrado p...

26 de outubro de 2013

Como curar as doenças do cavalo


via blog  ROGERIO BASTOS
 
DOENÇAS DO CAVALO E COMO CURÁ-LAS

Peste do garrotilho é tosse provocada por inflamação da “güéla” do animal, que expele “pus pelas ventas”; o remédio campeiro é “queimar pano junto às ventas do bicho”, diz-se em Cruz Alta.
‘“Embeber uma bucha com creolina e por nas ventas do animal até que espirre” (Alto Uruguai). Dá-se “para o animal comer frutilha e folha de cinamão” (cinamomo – Mélia Azedarachl.) (Taquari).
Para o animal abombado, quando cansou, porque correu demais “dá-se um banho e larga-se para que role nas gramas”.
Mal de vasa, também chamado de mal do casco ou broca é aparecimento de fenda no casco. Como meio de cura, “limpam o casco com faca e põem, em cima da rachadura, açúcar mascavo ou pedaços de rapadura e passa um ferro quente em cima”. Outra receita: “limpa, põe sebo ou breu e passa um ferro quente”.
Quanto o animal é picado por bicho venenoso, é costume em Bagé “colocarem, sobre a mordedura, querosene com sal”.
“Cavalo quando péla nas cruz, se passa em cima a tisna da panela”.
“Quando se sai a cavalo, o animal esquenta; se desencilha e larga na geada, dá sarna; prá curá se passa querosene”.
“Cavalo abichado da pata, se bota creolina na bichera”.

Há quem recorra a benzedores para curar as bicheiras, usando “palavras santas” e certos ritos. A maioria dos benzedores não as ensina para não perderem “o poder”.