Postagem em destaque

Justiça cassa mandato do Conselho Municipal de Cultura de Porto Alegre

A decisão do juiz José Antonio Coitinho, titular da 2ª Vara da Fazenda Pública de Porto Alegre, em Mandado de Segurança impetrado p...

13 de setembro de 2015

Oficina de café campeiro reaviva lembranças da infância

Principal refeição dos gaúchos que vivem na região dos pampas e cedo da manhã saem de casa para um longo dia de trabalho pesado com os rebanhos de gado, o café campeiro foi tema de uma das oficinas do projeto Turismo de Galpão neste domingo, 13, no Acampamento Farroupilha. Realizada no ambiente do galpão do Departamento de Tradições Gaúchas (DTG) Sangue Nativo, a oficina teve a participação de Nilsa Xavier, que acompanhou o coordenador cultura do DTG, Anderson Santos de Andrades, no preparo do típico café de cambona: depois de colocar o pó de café diretamente na água que aquece na chaleira de ferro suspensa em um braseiro, é mergulhado um pedaço de lenha com fogo, o tição como chamam os gaúchos. No contato com a água, a chama se apaga, fazendo com que a borra do pó se acumule no fundo da chaleira. E o café de cambona, ou café de chaleira, está pronto para ser bebido.

Depois de conhecer a técnica, Nilsa provou o café dos gaúchos dos pampas: "tem um outro gosto, bem diferente do café passado", avaliou ela. Moradora do bairro Meninos Deus, na Capital, Nilsa já fez outras oficinas do projeto Turismo de Galpão, como a de churrasco e de cuca. "Isso tudo faz parte da minha infância. Meu pai tinha estância em São Pedro do Sul, mas é sempre bom reaprender, porque acrescenta e revigora a memória", afirma.

Mas o café campeiro teve muitos outros ingredientes na composição da mesa, refletindo a mescla de culturas que formaram o povo gaúcho: o pão caseiro, o queijo colonial, cuca, cueca virada, bolinho de chuva, linguiça, aipim frito, biscoitos, entre outros quitutes. Depois de provar, Nilsa arriscou dizer que está pronta para trocar o chá da tarde, que às vezes faz para amigas, por um café campeiro: - "Tenho chaleira de ferro e acredito que possa suspende-la na churrasqueira".

Programação - Nesta segunda-feira, 14, será possível participar de três oficinas culinárias, que irão ensinar como fazer churrasco, chimarrão e cuca. Da programação do dia, faz parte também uma exposição de fotos e de objetos antigos de uma típica casa de barro do passado. As oficinas são oferecidas diariamente entre 11h e 19h, com variados temas. Para participar das oficinas no Acampamento Farroupilha, basta fazer as inscrições no Espaço de Hospitalidade do Turismo de Galpão, localizado próximo à entrada principal do Parque Harmonia, ao lado do Centro de Eventos Casa do Gaúcho. Toda a programação de oficinas está disponível no local, diariamente das 10h às 22h, em guias impressos em português, espanhol e inglês. Outra opção é consultar antecipadamente o portalwww.portoalegrecriativa.info.

O projeto Turismo de Galpão oferece atividades de aprendizagem sobre a cultura gaúcha e expressa o conceito de Turismo Criativo, segmento que a Secretaria Municipal de Turismo (SMTUR) desenvolve desde 2013. No Acampamento Farroupilha, a realização das oficinas é uma iniciativa da Secretaria Municipal da Cultura, da 1ª Região Tradicionalista e da Fundação Cultural Gaúcha. 


 



/acampamento_farroupilha

Texto de: Eliana Zarpelon
Edição de: Andrea Brasil
Autorizada a reprodução dos textos, desde que a fonte seja citada.

Guimarães Presidente  Conselho Municipal de Cultura
Em mandato prorrogado
F: 3338.8738 / 9987.5880
Twitter Guimarães:http://twitter.com/notas_guimaraes
https://www.facebook.com/Paulorobertoguimaraes
Blog Conselho POA:http://cmcpoa.blogspot.com