Postagem em destaque

Justiça cassa mandato do Conselho Municipal de Cultura de Porto Alegre

A decisão do juiz José Antonio Coitinho, titular da 2ª Vara da Fazenda Pública de Porto Alegre, em Mandado de Segurança impetrado p...

9 de setembro de 2013

Projeto ensina costumes gaúchos no Acampamento Farroupilha


Iniciativa "Turismo de Galpão" da Secretaria Municipal de Turismo oferece aulas sobre tradições do Estado


Projeto ensina costumes gaúchos no Acampamento Farroupilha Lauro Alves/Agencia RBS
Com as dicas da professora Leda, o paulista Ricardo Brogiato se arriscou no fandango com a mulher, a gaúcha Rosangela Espíndola de Vargas Foto: Lauro Alves / Agencia RBS
O mundo gaudério sem mistérios é a promessa de um novo programa para visitantes que ingressam no Acampamento Farroupilha, no coração de Porto Alegre, durante os festejos farroupilhas. Intitulado Turismo de Galpão, um projeto da Secretaria Municipal de Turismo promove visitações aos piquetes reunidos no Parque Maurício Sirotsky Sobrinho.
Os visitantes são convidados a apreciar aulas sobre culinária campeira, lendas rio-grandenses, como encilhar e montar no cavalo, indumentária e artesanato. O clima quente e o sol ajudaram a atrair cerca de 60 mil pessoas ao parque, e um grupo de 22 piquetes foi selecionado e credenciado para dar aulas aos interessados em desvendar a alma e os costumes dos gaúchos. Serão oferecidas mais de 30 oficinas e palestras, em sua maioria, gratuitas.
No fim de semana, o primeiro de atividades do Acampamento Farroupilha neste ano, a procura foi grande. Entre americanos, canadenses e nordestinos que passaram pelo local para receber informações sobre o projeto, o paulista Ricardo Antônio Soares Brogiato, 48 anos, resolveu ficar e experimentar. Ele e a mulher, a porto-alegrense Rosangela Espíndola de Vargas, 46 anos, participaram da oficina de fandango oferecida pelo piquete Loko de Gaúcho, locado no número 149.
O advogado, que se mudou de Presidente Prudente (SP) para a Capital há um ano, conta que o que mais o atraiu para o Rio Grande do Sul – além de Rosangela – foi o cultivo das tradições. Foi a segunda vez em que Brogiato visitou o Acampamento Farroupilha.
— Sempre gostei da cultura do gaúcho desde quando vivia em São Paulo. Parecia uma realidade tão longe para mim e, hoje, estou aqui, aprendendo a dançar como um deles — brincou o paulista.
Projeto pretende melhorar atividades para o ano da Copa
Com camisa social, calça jeans e passos desajeitados, o paulista aprendeu os oito ritmos da dança, na teoria e na prática. Engajados no passo forte e marcante, o casal brincou, riu e trocou conhecimentos com a professora Leda Salvi, que ensina o fandango há 30 anos. Eles pretendem frequentar o parque em média três vezes por semana durante o acampamento.
— Agora, a gente tem uma casa amiga para ficar. Adorei dançar, foi uma terapia — disse Brogiato.
Os interessados nas oficinas devem preencher uma ficha e ingressar em uma lista de espera. São oferecidas 15 vagas por atividade. Após o cadastro, a pessoa é conduzida ao piquete que lhe interessa.
Participam da experiência as secretarias da Copa e da Cultura, além da 1ª Região Tradicionalista (1ª RT) do Movimento Tradicionalista Gaúcho (MTG). Segundo a turismóloga Vanessa Welter, uma das responsáveis pelo projeto, a ideia é incrementar a iniciativa para o próximo ano.
Em 2014, serão montados dois acampamentos farroupilhas: um durante a Copa do Mundo, e outro, tradicional, em setembro. Nos dois, mais de cem piquetes serão credenciados para “dar aulas” aos visitantes.
— É um teste para sabermos como será na Copa de 2014. Os piquetes estão mais receptivos, e as pessoas podem se sentir em casa, com fácil acesso para o conhecimento da cultura gaúcha — avalia Vanessa.
COMO PARTICIPAR
- As oficinas e atividades do Turismo de Galpão ocorrem diariamente, até 22 de setembro, entre 10h e 20h. Todos os dias haverá uma ou mais opções de atividades nos piquetes que participam do programa. As inscrições podem ser feitas pelo e-mail turismodegalpao@gmail.com ou no Galpão da Hospitalidade, no Acampamento Farroupilha.
OFICINAS E PALESTRAS DO PROGRAMA
- Danças no Harmonia e demonstração de coreografias tradicionais
- Teatro O Conto do João Cardoso e lendas gaúchas
- Lenda da erva-mate e degustação de chimarrão
- Café campeiro: história e degustação
- Rancho do peão: regresso ao passado através dos sentidos
- História do chapéu e demonstração da produção
- Contação de lendas gaúchas em libras
- Palestras sobre causos, lendas e mitos
- Danças tradicionais e a indumentária do gaúcho: demonstração e prática
- Oficina de bolinho de chuva (R$ 10 reais)
- Vestido de prenda: a história e a tradição
- Oficina de arroz de leite
- Vídeo: A Trajetória dos Lanceiros Negros na História da Revolução
- Contação de lendas Negrinho do Pastoreio: roda de chimarrão e pinhão sapecado na chapa do fogo a lenha
- A religiosidade do gaúcho
- A casa da fazenda: como encilhar um cavalo
- O chasque do imperador: a bravura e a coragem do gaúcho pelos olhos de Blau Nunes
- A história da Vó Herta: lendas e contos segundo uma avó alemã
- Contação de lendas João de Barro
- Oficina de pão
- Oficina do fuxico
- Indumentária do gaúcho: resgatando tradições
- Arte do guasqueiro: demonstração de trançado em couro cru
- Tertúlia: apresentação de música, declamação e danças
- Café de cambona: a roda de café
- Jogos campeiros
- Tosquia de ovelha martelo
- Baú do Guri: “Eu brinquei disso”: exposição de brinquedos utilizados antigamente no RS
- Palestra sobre símbolos gaúchos
ZERO HORA